quarta-feira, 28 de junho de 2017

AS CINCO QUALIDADES REQUERIDAS PARA TODAS AS ORAÇÕES



AS CINCO QUALIDADES REQUERIDAS PARA TODAS AS ORAÇÕES
 



1. — A Oração Dominical, entre todas, é a oração por excelência, pois possui as cinco qualidades requeridas para qualquer oração. A oração deve ser: confiante, reta, ordenada, devota e humilde.



2. — A oração deve ser confiante, como São Paulo escreve aos Hebreus (4, 16): Aproximemo-nos com confiança do trono da graça, a fim de alcançar a misericórdia e achar a graça para sermos socorridos no tempo oportuno.

A oração deve ser feita com fé e sem hesitação, segundo São Tiago. (Tg 1,6): Se algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus... Mas peça-a com fé e sem hesitação.

Por diversas razões, o Pai Nosso é a mais segura e confiante das orações. A Oração Dominical é obra de nosso advogado, do mais sábio dos pedintes, do possuidor de todos os tesouros de sabedoria (cf. Cl 2, 3), daquele de quem diz São João (I, 2, 1): Temos um advogado junto ao pai: Jesus Cristo, o Justo. São Cipriano escreveu em seu Tratado da oração dominical: «Já que temos o Cristo como advogado junto ao Pai, por nossos pecados, em nossos pedidos de perdão, por nossas faltas, apresentemos em nosso favor, as palavras de nosso advogado».

A Oração Dominical parece-nos também que deve ser a mais ouvida porque aquele que, com o Pai, a escuta é o mesmo que no-la ensinou; como afirma o Salmo 90 (15): Ele clamará por mim e eu o escutarei. «É rezar uma prece amiga, familiar e piedosa dirigir-se ao Senhor com suas próprias palavras» diz São Cipriano. Nunca se deixa de tirar algum fruto desta oração que, segundo santo Agostinho, apaga os pecados veniais.


3. — Nossa oração deve, em segundo lugar, ser reta, quer dizer, devemos pedir a Deus os bens que nos sejam convenientes. «A oração, diz São João Damasceno, é o pedido a Deus dos dons que convém pedir».

Muitas vezes, a oração não é ouvida por termos implorado bens que verdadeiramente não nos convêm. «Pediste e não recebeste, porque pediste mal», diz São Tiago. (4,3).

É tão difícil saber com certeza o que devemos pedir, como saber o que devemos desejar. O Apóstolo reconhece, quando escreve aos Romanos (8, 26): Não sabemos pedir como convém, mas (acrescenta), o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inefáveis.

Mas não é o Cristo que é nosso doutor? Não foi ele que nos ensinou o que devemos pedir, quando seus discípulos disseram: Senhor, ensinai-nos a rezar? (Lc 11, 1).
Os bens que ele nos ensina a pedir, na oração, são os mais convenientes. «Se rezamos de maneira conveniente e justa, diz Santo Agostinho, quaisquer que sejam os termos que empregamos, não diremos nada mais do que o que está contido na Oração Dominical».


4. — Em terceiro lugar, a oração deve ser ordenada, como o próprio desejo que a prece interpreta.
A ordem conveniente consiste em preferirmos, em nossos desejos e preces, os bens espirituais aos bens materiais, as realidades celestes às realidades terrenas, de acordo com a recomendação do Senhor (Mt, 6,33): Procurai primeiro o reino de Deus e sua justiça e o resto — o comer, o beber e o vestir — ser-vos-á dado por acréscimo.
Na Oração Dominical, o Senhor nos ensina a observar esta ordem: primeiro pedimos as realidades celestes e em seguida os bens terrestres.


5. — Em quarto lugar, a oração deve ser devota.

A excelência da devoção torna o sacrifício da oração agradável a Deus. Em vosso nome, Senhor, elevarei minhas mãos, diz o Salmista, e minha alma é saciada como de fino manjar.

A prolixidade da oração, no mais das vezes, enfraquece a devoção; também o Senhor nos ensina a evitar essa prolixidade supérflua: Em vossas orações não multipliqueis as palavras; como fazem os pagãos, (Mt 6,7). S. Agostinho recomenda, escrevendo a Proba: «Tirai da oração a abundância de palavras; no entanto não deixeis de suplicar, se vossa atenção continua fervorosa».

Esta é a razão pela qual o Senhor instituiu a breve oração do Pai Nosso.


6. — A devoção provém da caridade, que é o amor de Deus e do próximo. O Pai Nosso é uma manifestação destes dois amores.

Para mostrar nosso amor a Deus, o chamamos «Pai» e para mostrar nosso amor ao próximo, pedimos por todos os homens justos, dizendo: «Pai nosso», e empurrados pelo mesmo amor, acrescentamos: «perdoai as nossas dívidas»


7. — Em quinto lugar, nossa oração deve ser humilde, segundo o que diz o Salmista (Sl. 101, 18): Deus olhou para a prece dos humildes.

Uma oração humilde é uma oração que certamente será ouvida, como nos mostra o Senhor, no evangelho do Fariseu e do Publicano (Lc 18, 9-15) e Judite, rogando ao Senhor, dizia: Vós sempre tivestes por agradável a súplica dos humildes dos mansos.


Esta humildade está presente na Oração Dominical, pois a verdadeira humildade está naquele que não confia em suas próprias forças, mas tudo espera do poder divino.



“O PAI NOSSO E A AVE MARIA” - (SERMÕES DE S. TOMÁS DE AQUINO)

Regulamento de Vida para uma pessoa se santificar no meio do mundo



De manhã:


1) Levantar-se a uma hora certa, como por exemplo, às 5 horas ou às 5:30, e nunca alterar a hora sem causa justa;

2) Oferecer, logo que acordar, o coração a Deus, fazer o sinal da cruz e vestir-se prontamente e com modéstia; depois rezar de joelhos três Ave-Marias em honra do Coração Imaculado da Santíssima Virgem Maria para obter uma grande pureza de coração, de corpo e espírito;

3) Fazer a oração e meditação da manhã durante meia hora, ou ao menos por espaço de um quarto de hora.

4) Assistir à Santa Missa todas as vezes que puder.


Durante o Dia:

5) Fazer pelo menos um quarto de hora de leitura espiritual;

6) Recitar o terço meditando em seus mistérios, sendo possível reze-o em família;

7) Fazer a visita ao Santíssimo Sacramento e à Santíssima Virgem, na Igreja caso possível;
N.B. Para estes três exercícios, se fixa a hora em que as ocupações de cada um permita;

8) Dizer frequentemente e dum modo especial, no principio e no fim do trabalho, orações jaculatórias, e fazer principalmente atos de amor a Deus como: “Ó meu bom Jesus! Eu vos amo. Eu quero amar-vos; fazei que eu vos ame muito, etc". não esquecendo a prática da comunhão espiritual;

9) Exercitar-se na mortificação dos olhos, dos ouvidos, da língua, abstendo-se de olhar para coisas inúteis, de as escutar e dizer, ainda que não sejam perigosas, para deste modo mais facilmente se abster das más e perigosas;

10) Aproveitar as ocasiões de sofrer alguma pena, contradição ou humilhação por amor a Deus. Submeter-se em todas as contrariedades e padecimentos, em todas, à vontade de Deus, dizendo: "Oh! Meu Deus! Vós assim o quereis, a vossa vontade seja feita".

11) Quando estiver à mesa, abster-se de alguma coisa de que mais goste; nunca saciar inteiramente o apetite, nem comer fora da hora da comida sem necessidade.

12) Evitar a ociosidade, as más companhias, as más leituras e as ocasiões do pecado, especialmente aquelas em que a castidade pode sofrer perigo. Santo Afonso, Santa Teresa e muitos outros Santos dizem que uma das principais regras para a perfeição e santificação d’uma alma, é evitar a familiaridade das pessoas de diversos sexos, ainda que essas pessoas sejam religiosas, porque muitas vezes o demônio lança em nosso coração certas afeiçõezinhas menos puras para com elas, fazendo passar por espirituais coisas que são verdadeiras loucuras;

13) Fazer o sinal da cruz nas tentações, sobre tudo nas carnais, estando só e dizer no fundo do coração: "Jesus! Maria! José! Socorrei-me". Não se perturbar, se a tentação continuar, mas orar mais vivamente e dizer: "Ò meu Jesus! Antes quero morrer que ofender-vos".

14) Não se perturbar, se tiver a desgraça de cometer algum pecado mesmo grave, mas fazer um perfeito ato de contrição com o propósito de não cair mais e de confessar na primeira ocasião que puder;

 


À Noite:


15) Fazer, em uma hora fixa, como por exemplo, às nove horas, a oração da noite e o exame de consciência; dizer os Atos cristãos e as Ladainhas da Santíssima Virgem depois de ler alguma coisa acerca do que deve meditar no dia seguinte;

16) Depois de ter rezado as três Ave Marias, como de manhã, despir-se com modéstia; estando na cama cobrir-se sempre com decência e conservar-se nela com modéstia; ocupar o espírito na meditação do dia seguinte, no pensamento da morte ou em qualquer outro santo pensamento, e fazer ou dizer as orações jaculatórias que puder, até que venha o sono.

17) Escolher um bom confessor, em quem tenha confiança; abrir-lhe bem o coração e deixar-se guiar pelos seus conselhos, e nunca o deixar sem grave motivo;

18) Confessar-se uma vez por semana e comungar tantas vezes quantas o seu diretor permitir;

19) Nutrir no seu coração uma devoção constante e terna para com Maria Santíssima. Repetir a Ave Maria quando o relógio der horas, ao entrar em casa e ao sair, acrescentando: "Jesus Maria e José, eu vos amo; não permitais que eu vos ofenda"
Jejuar nos sábados e na véspera das sete festas de Maria Santíssima. 
Fazer uma novena com preparação para cada uma delas, bem como as do Natal, Pentecostes e Santo Patrono.
Trazer os escapulários ou algumas medalhas piedosas e inspirar aos outros a devoção à Maria Santíssima.

20) Ouvir sermão todas as vezes que puder. Entrar em uma congregação, para se ocupar do que interessa a alma. Fazer com o mesmo fim um dia de retiro espiritual, todos os meses. E todos os anos exercícios espirituais por espaço de quatro ou cinco dias.


Extraído e adaptado das obras de Santo Afonso Maria de Ligório


É do esquecimento do dever que nascem os grandes males.


"A arte de bem viver aprende-se praticando-se; mas não se pode praticar convenientemente, se o espírito a não meditar e profundar. 

Quantas vezes ouvimos dizer: "Óh! se eu pensasse, não fazia isso, se soubera o que me veio a acontecer, teria procedido de outro modo"? - E porque não pensastes a tempo, para evitardes um arrependimento tardio e talvez inútil?

Porque o orgulho e a vaidade, o capricho e o amor próprio se meteram de permeio. 

É necessário, pois, que cada uma, no seu estado e condição, procure compenetrar-se bem dos deveres que tem a cumprir, e veja o modo como os cumpre.

Todos nós devemos caminhar para um mesmo destino sobrenatural, mas por diversos caminhos, conforme o papel que temos de representar cá na terra, segundo plano da Providência."


Excerto do livro "A mãe segundo a vontade de Deus"
Pe. J. Berthier

terça-feira, 27 de junho de 2017

Sim


A imagem pode conter: uma ou mais pessoas

A Igreja recorda-nos o Nome de Maria. Nela, que estava e está totalmente unida ao Filho, a Cristo, os homens nas trevas e nos sofrimentos deste mundo encontraram o rosto da Mãe, que nos incute coragem para ir em frente. Na tradição ocidental, o nome "Maria" foi traduzido com "Estrela do Mar". É precisamente nisto que se manifesta esta experiência: quantas vezes a história em que vivemos parece um mar obscuro que atinge ameaçadoramente com as suas ondas a pequena barca da nossa vida. Às vezes, a noite parece impenetrável. Muitas vezes pode criar-se a impressão de que somente o mal tem poder e Deus está infinitamente longínquo. Muitas vezes entrevemos apenas de longe a grande Luz, Jesus Cristo, que venceu a morte e o mal. Mas então vemos muito próxima a luz que se acendeu, quando Maria disse: "Eis a serva do Senhor". Vemos a clara luz da bondade que emana dela.
Na bondade com que Ela acolheu e sempre de novo vem ao encontro das grandes e pequenas aspirações de muitos homens e mulheres, reconhecemos de maneira muito humana a bondade do próprio Deus. Com a sua bondade, Ele traz sempre novamente Jesus Cristo, e assim a grande Luz de Deus, ao mundo. Ele ofereceu-nos a sua Mãe como nossa Mãe, a fim de que aprendêssemos dela a pronunciar o "sim" que nos faz tornar bons.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

7 atitudes de mulheres da Bíblia que toda cristã deveria imitar


Conheça algumas mulheres da Bíblia para se inspirar

Hoje, pesquisas afirmam que as mulheres já são maioria nas igrejas. Elas têm sido uma grande bênção na vida da Igreja do Senhor Jesus. Apesar do grande machismo existente nas culturas descritas na Bíblia, encontramos a menção de grandes mulheres que têm muito a nos ensinar. Em homenagem às mulheres, gostaria de destacar sete atitudes de mulheres da Bíblia que todo cristão deveria imitar.
1. A humildade de Maria, mãe do Senhor Jesus
Maria foi escolhida dentre diversas moças para ser a mãe do Salvador. Talvez isso pudesse trazer ao coração dela certo orgulho, certa altivez. Ela, no entanto, declarou algo que todos nós precisamos declarar diariamente a Deus: “Então, disse Maria: ‘A minha alma engrandece ao Senhor, e o meu espírito se alegrou em Deus, meu Salvador, porque contemplou na humildade da sua serva. Pois, desde agora, todas as gerações me considerarão bem-aventurada’…” (Lc 1,46-48). A humildade de Maria, em colocar-se nas mãos de Deus e cooperar com o Senhor na Sua grande missão, é algo realmente fascinante, que todo crente deveria imitar.
2. A perseverança na oração de Ana
Ana não tinha uma vida fácil. Seu marido Elcana havia se aproveitado da tradição para ter duas mulheres (1 Sm 1,2). Ainda por cima, Ana era estéril, algo considerado como uma espécie de maldição em sua época. Era desprezada pela outra esposa do marido e carregava grande tristeza no coração por causa de tudo isso (1 Sm 1,6). Mas não desistiu de seu objetivo de ter um filho e não se entregou à murmuração, antes, foi perseverante na oração e pode declarar: “Ela concebeu e, passado o devido tempo, teve um filho, a que chamou Samuel, pois dizia: Do Senhor o pedi.” (1Sm 1,20)
3. A coragem de Maria Madalena para superar o passado
A Bíblia diz que Maria Madalena era uma endemoninhada. Jesus expeliu dela sete demônios (Lc 8,2). Não temos muitos detalhes do passado dessa mulher, mas, certamente, não foi um passado que agradasse a Deus. Ela, no entanto, teve a coragem de superar o seu passado negro e ser uma grande serva do Senhor Jesus. Ela é mencionada sempre em companhia dos discípulos, e foi a primeira a saber e crer na ressurreição de Jesus Cristo (Mt 28:1). Foi uma mulher que mostrou uma superação inigualável, um verdadeiro retrato da transformação que Deus opera na vida das pessoas.
4. A sabedoria de Miriam para superar as crises
O Faraó havia determinado que cada egípcio deveria matar os meninos que nascessem às hebreias (Ex 1:22). Essa ordem colocou em risco a vida de Moisés, que era ainda um bebê. Mas a estratégia da mãe de Moisés e Miriam, sua irmã, salvou a vida d’Ele. Mas não foi fácil. A menina Miriam mostrou uma sabedoria grandiosa ao seguir o menino que fora colocado num cesto no rio, convencendo a filha do faraó a entregar o menino à própria mãe, para que cuidasse dele por um tempo (Ex 2,7). Ela salvou a vida de Moisés com a sua forma sábia de lidar com as situações adversas.
5. O temor de Deus da prostituta Raabe
Raabe é mencionada na Bíblia como sendo uma prostituta. A Bíblia não esconde o que ela era. Mas também não esconde a mudança que estava ocorrendo no coração dela. Na conversa que teve com os espiões de Israel, que ela escondeu em sua casa com o objetivo de protegê-los, ela nos mostra um grandioso temor a Deus: “Ouvindo isto, desmaiou-nos o coração, e em ninguém mais há ânimo algum, por causa da vossa presença; porque o Senhor, vosso Deus, é Deus em cima nos céus e embaixo na terra.” (Js 2,11). Uma grande confissão de temor ao Senhor. Considerando que Raabe vivia em meio a um povo pagão, a declaração dela mostra quão grande foi seu temor. Tão grande foi a atitude dela diante de Deus, que ela faz parte da genealogia de Jesus Cristo (Mt 1,5)
6. O fervor missionário da mulher samaritana
A mulher samaritana, como todos sabem, teve um grande encontro com Jesus próximo de um poço onde foi buscar água (Jo 4,9). Jesus lhe revela os erros que ela havia cometido no passado e no presente, e traz a ela uma palavra muito poderosa que impactou o coração dessa mulher. Resultado? O fervor missionário tomou conta do coração dessa mulher, que pregou as palavras de Jesus ao Seu povo, que não O conhecia: “Quanto à mulher, deixou o seu cântaro, foi à cidade e disse àqueles homens: Vinde comigo e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Será este, porventura, o Cristo? Saíram, pois, da cidade e vieram ter com ele.” (Jo 4,28-30)
7. O caráter da mulher virtuosa sem nome de provérbios
Os últimos versos do livro de Provérbios são dedicados a louvar o caráter de uma mulher que não tem nome, mas que bem poderia ser algumas das grandes mulheres de Deus, que existiram e existem em nossos tempos. Essa mulher apresenta virtudes no cuidado da família, do marido, dos filhos; na forma honesta e dedicada com que trabalha; no exemplo que dá ao próximo, na forma sabia com que vive sua vida etc. Esse texto mostra um resumo das qualidades das mulheres de Deus e como elas são importantes.

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Como entender e praticar a oração contínua?

"Devemos nos esforçar para ter, em nós, a alma da oração, que é o amor de Deus"

Três passagens do Novo Testamento falam da chamada “oração contínua” ou sem interrupção, Lucas 18,1; 21,36 e 1 Tessalonicenses 5,17.
Daí a questão: como entender e praticar a oração contínua, uma vez que todos temos atividades e descansos, incluindo, é óbvio, o sono, a nos impedirem de rezar dia e noite sem cessar? – São quatro as respostas oferecidas, sendo a última a mais próxima da realidade (cf. Dom Estêvão Bettencourt, OSB, no Curso de Espiritualidade. Rio de Janeiro: Mater Ecclesiae, 2006, p. 81-86).
primeira afirma o que segue: “Toda alma em estado de graça tem, por consequência, em si, o dom da caridade e está, portanto, em oração contínua”. Daí veio a ideia de que basta trabalhar pelo bem do próximo, sem cometer imperfeições por vontade própria, para estar unido a Deus em oração.
Em resposta a esta colocação, tem-se afirmado que ela contém uma lacuna, pois se podemos dizer – e podemos – que a fé sem as obras é morta (cf. Tg 2,18-20) e a caridade em tudo se faz importante (cf. 1Cor 13,1-13), não se pode abolir da vida cristã a oração propriamente dita, entendida como “elevação da alma a Deus”. O próprio Senhor Jesus dá exemplo da importância desse colóquio íntimo com o Pai: cf. Mc 6,5-6; Lc 6,12; Mc 1,35-37 e Mt 6,6. Ninguém está, portanto, isento de rezar.
segunda ensina que o ser humano deve ter a atenção voltada para Deus em um estado contínuo de contemplação a incluir o louvor, a adoração, a expiação e os muitos pedidos, seus e de outros.
Para contradizer a essa tendência, nota-se que tal estado de contemplação é algo para poucos e vai muito além de algum método (jaculatórias multiplicadas, postura corporal, mente dirigida a determinada coisa etc.), pois requer uma graça divina especial. Afinal, nesta vida nenhuma união com Deus é permanente, mas, sim, transitória ou sujeita a falhas. Não é, portanto, a via mais correta de oração contínua.
terceira propõe jaculatórias multiplicadas, ou seja, repetir muitas vezes orações curtas como “Senhor, Filho de Davi, tem piedade de mim pecador”, “Jesus, eu vos amo”, “Jesus e Maria eu vos amo, salvai almas” etc. Tal prática era muito usual entre os antigos monges, mas também este modo de oração contínua parece insuficiente aos teólogos, pois é interrompido pelo sono e pelos demais afazeres diários.
Dada a ineficácia dos métodos anteriores para estar continuamente em oração, Santo Agostinho de Hipona († 430) e São Tomás de Aquino († 1274), grandes teólogos e doutores da Igreja, propuseram a quarta formulação aceita e, por conseguinte, colocada em prática. Consiste, em resumo, no seguinte: antes de toda oração, existe o anseio de orar. Tal anseio é motivado ou tem a sua causa no amor a Deus a Quem devemos desejar antes de tudo o mais.
Portanto, como é humanamente impossível manter, na mente e nos lábios, alguma oração, devemos nos esforçar para ter, em nós, a alma da oração, que é o amor de Deus. De modo que “aquele que age sempre – no aqui e agora (intenção atual), em vista de (intenção virtual) e não apenas por hábito de (intenção habitual) – com amor ao Senhor está em contínua oração”.
Pergunta-se, porém: que significa, na prática, a definição dada? – Significa que em todos os atos da vida tem de haver a intenção atual (a produção de um ato de amor a Deus) ou virtual (fazer qualquer coisa lícita não por amor a essa coisa em si, mas a Deus), e não somente habitual (feito apenas por bom hábito, sem influência nos atos concretos) para que a oração seja contínua.
Importa, pois, que a cada hora do dia, ofereçamos, de modo consciente e com amor, todas as nossas atividades a Deus. Tal amor oferecido tornará o dia inteiro (preces vocais, trabalhos, recreações, sono, refeições etc.) do fiel um ininterrupto ato de amor, portanto, uma contínua oração como recomendou o Senhor Jesus em Lc 18,1.
Vanderlei de Lima é eremita na Diocese de Amparo

✝TERÇO DA LIBERTAÇÃO – PADRE PIO


Em tempos difíceis... para lutas espirituais precisamos de armas espirituais, nada melhor em um combate espiritual que este Terço do Padre Pio, com Fé e Deus no coração ele é muito poderoso.

✝TERÇO DA LIBERTAÇÃO – PADRE PIO

INICIO: 
➕Credo
➕Pai Nosso
➕3 Ave-Marias, Glória

⚫Nas contas grandes do Pai-Nosso, reza-se:

“É o coração de Jesus Cristo que lhe ordena satanás:deixe-nos em Paz”

🔘Nas contas pequenas das Ave-Marias, reza-se:

“O Coração Eucarístico de Jesus livrai-nos cada vez mais das insídias de satanás”

✔No final de cada mistério, reza-se:

🔥“Sangue de Cristo que lava e liberta, lavai-nos e
libertai-nos de todo mal.”

Ao final do terço reza-se 3 vezes=
“Jesus, manso e humilde de coração, fazei nosso coração semelhante ao vosso.
E que eu vos ame cada vez mais.”

*1º Mistério:*LIVRAI-NOS DO ORGULHO E DA SOBERBA

*2º Mistério:*LIVRAI-NOS DA LUXURIA E DA IMPUREZA

*3º Mistério:*LIVRAI-NOS DA MÁGOA E DA FALTA DE PERDÃO

*4º Mistério:*LIVRAI-NOS DA IDOLATRIA E DA FALSIDADE

5º Mistério:LIVRAI-NOS DA IRA E DO ÓDIO                        
    

De executiva de sucesso a religiosa de clausura


Uma “vocação relâmpago” que está comovendo milhares de pessoas

Nicoletta Falzoni era executiva de sucesso de uma multinacional, entretanto, em uma peregrinação mariana, descobriu que o Senhor a chamava para pedir que entregasse e Ele a sua vida através da vocação religiosa em um mosteiro de clausura.
“Diante do chamado de Deus se percebe um temor”, afirmou. “Como podemos com todos os nossos limites, nossas fraquezas, nossas infidelidades, estar a altura da vocação e ‘nos lançar por inteiro’?”, perguntou Nicoletta, que desde o dia 6 de maio tomou o nome de Irmã Maria Fides.
Em declarações ao semanário ‘L’Azione’, da Diocese de Vittorio Veneto (Itália), a religiosa afirma que o seu chamado pode se definir como uma “vocação relâmpago”.
Bem-sucedida gerente de marca da multinacional do tabaco Camel, Nicoletta estava acostumada ao mundo agitado dos negócios. Entretanto, em agosto de 2011 fez uma peregrinação a Medjugorje e, até a data que pediu entrar na Abadia Beneditina Mater Ecclesiae – na ilha italiana de San Julio –, passou um ano “pleno pelo crescente desejo de rezar, em comunhão com Maria e Jesus”.
Natural de Vazzola, Nicoletta realizou os seus votos perpétuos no dia 6 de maio, depois de cinco anos de noviciado. A cerimônia foi celebrada pela abadessa Madre Maria Canopi, de 86 anos, 44 dos quais é religiosa de clausura.
“Reconheci – acrescentou – que através deste chamado o Senhor me ofereceu o tesouro escondido pelo qual vale a pena deixar o resto, a pérola preciosa diante da qual qualquer outro bem perde o valor”.
Nesse sentido, com a experiência que Nicoletta teve como mulher de negócios, assinalou que “estamos acostumados a planejar, a organizar e queremos ter tudo sob controle, ao contrário o Senhor nos pede para entregar-lhe toda a nossa vida sem possibilidade de ter algum salva-vidas ou um paraquedas”.
“O mundo nos oferece tanto: carreira, sucesso, riqueza, realização, autoafirmação, e tudo isso com certeza é muito atraente”. Entretanto, “o chamado de Deus está na direção contrária” e “nos convida e garante ‘Não tenham medo’ e a sua fidelidade dura para sempre”.
Durante a entrevista, Madre Maria Fides também assinalou que a sociedade de hoje “tem tanta necessidade de uma vida de oração e de silêncio”.
Nesse sentido, recordou a importância de “recuperar oração e recitação do Rosário, especialmente na família”. “Nada nos une mais do que rezar juntos e isso também pode ser uma ajuda para combater a falta de comunicação, devido ao uso cada vez mais frequente dos telefones, que sempre estão em nossas mãos, inclusive na mesa”, acrescentou.
A religiosa de clausura disse que na atual sociedade tecnológica, “pode ??transmitir em tempo real notícias que se difundem de um lado ao outro da Terra, mas sempre deixa mais espaço para uma realidade dramática: quanto mais as distâncias a nível mundial diminuem e os tempos se reduzem, mais cavam um abismo de solidões insondáveis”.
“Se é fácil estar ciente do que acontece no outro lado do mundo, torna-se paradoxalmente mais difícil estabelecer um verdadeiro diálogo com o vizinho da casa e entre os membros da mesma família”.
“Esta é a proximidade e a ajuda que com a nossa escolha podemos transmitir, segundo o que afirmam estas palavras de Jan Leclercq: ‘os monges têm este privilégio de continuar olhando para o céu. Eles sabem que não verão o Senhor: viverão na fé, mas permanecerão lá. A sua cruz será amar sem ver e, entretanto, sempre contemplar, de fixar o olhar unicamente em Deus, invisível e presente’”.
“Seu testemunho perante o mundo – escreveu Leclercq – será mostrar, com a sua própria existência, a direção para o lugar que é preciso olhar. O seu trabalho será apressar através da oração e do desejo, o cumprimento do Reino de Deus”.
Finalmente, a Irmã Maria Fides expressou que o seu desejo “é de não ter medo de dizer ‘sim’ a Jesus e citou as belíssimas palavras de São João Paulo II: ‘Não tenham medo, abram as portas de par em par a Cristo’”.

terça-feira, 20 de junho de 2017

Nossa Senhora da Defesa


Oração a Nossa Senhora da Defesa

– todos os dias

Nossa Senhora da Defesa, virgem poderosa, recorro a Vossa proteção contra todos os assaltos do inimigo, 
pois Vós sois o terror das forças malignas. Eu seguro no Vosso manto santo e me refugio debaixo dele para estar 
guardado, seguro e protegido de todo mal. Mãe Santíssima, Refúgio dos pecadores, Vós recebestes de Deus o poder 
para esmagar a cabeça da serpente infernal e com a espada levantada afugentar os demônios que querem acorrentar os 
filhos de Deus.
Curvado sobre o peso dos meus pecados venho pedir a Vossa proteção hoje e em cada dia da minha vida, para que 
vivendo na luz do vosso filho, Nosso Senhor Jesus Cristo eu possa depois desta caminhada terrena, 
entrar na pátria celeste. Amém!

Ladainha a Nossa Senhora da Defesa

Nossa Senhora da Defesa,
Vós que sois o terror das forças malignas defendei-nos:
da inveja, vaidade e ódio
do orgulho, da soberba e atrevimento
da arrogância, presunção e cinismo
da hipocrisia, fingimento e deboche
do egoísmo e ganância
da preguiça e má vontade
da derrota, fracasso e desânimo
da depressão. aflição e desespero
da prostação, alienação e indilência
da auto-piedade, auto-rejeição e auto-condenação
dos complexos, carência afetiva e emocional
dos problemas de ordem sexual
da superproteção e dependência emocional
da adulação e idolatria das coisas e pessoas
da dominação, ciúmes, posse e perseguição
da murmuração, impaciência e omissão
da rejeição e desprezo
do isolamento e timidez
da solidão, melancolia e angústia
do suicídio, desejo de morrer e confusão mental
da culpa, aborto e falta de perdão
da acusação, quebra de segredo e avareza
da mentira, calúnia e falso testemunho
da condenação, crueldade e fofoca
da ingratidão, falsidade e trapaças
da mágoa, ressentimentos e brigas
da ira, raiva e agressividade
do desamor, desarmonia e separação
da violência e indignidade
dos assaltos, sequestros e vandalismo
das catástrofes, calamidades e pestes
da miséria, dívidas e desemprego
do medo, insegurança e maus pensamentos
da preocupação exagerada, insônia e tensão nervosa
do pânico, pavor e susto
dos males físicos, psíquicos e espirituais 
das heranças negativas de antepassados e malefícios
das manias, taras e vícios
da sedução, orgia e fornicação
do adultério, prostituição e promiscuidade
da compulsividade para ter, ser e poder
da compulsividade no jogo e dependência química
da falsa oração, dos objetos contaminados e superstição
da injustiça, revolta e frustração
da destruição e desejo de vingança
do assassinato e desejo de morte de alguém
da revolta contra Deus
da descrença, dúvida e falta de fé
da incredulidade, infidelidade e indiferença
da desobediência, zombaria e gozação
dos sacrilégios e blasfêmias

V. Rogai por nós, Santa Mãe de Deus.
R. Para que sejamos dignos das promessas de Cristo.

Oremos

Concedei a Vossos servos, nós Vo-lo pedimos, Senhor Deus, que possamos sempre gozar da saúde da alma e do corpo e, 
pela gloriosa intercessão da bem-aventurada Virgem Maria, sejamos livres da tristeza e alcancemos a eterna alegria. 
Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

http://www.recantodasletras.com.br/oracoes/5581952

domingo, 18 de junho de 2017

A nossa Igreja dedica o Sábado à Nossa Senhora.

ORAÇÃO*

_Ó Sagrado Coração de Jesus, capacita-me para viver em prol de uma sociedade mais justa e solidária._


*EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS*

📌 _Rezar o Santo Terço._

📌 Pedir as 7 virtudes de Maria: (1.Humildade, 2.amor, 3.fé, 4.esperança, 5.castidade, 6.pobreza, 7.Obediência

*As Sete Virtudes de Maria Santíssima:*

*1°: Tornar-se humilde como Maria.*

Ó Maria, Virgem Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, rogai por mim quando eu quiser me valorizar diante do próximo, revestindo-me com o manto da vossa humildade. 

“Ó Maria, daí-nos a virtude da humildade.”

*2°: Amar a Deus e ao próximo como Maria.*

Ó Maria, Virgem Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, como em Caná, rogai por mim ao vosso Filho, dizendo-lhe: ” Eles não têm mais amor”, e concedei-me a graça de praticar a caridade, como vós. Que o teu exemplo e a tua doação incondicional me lembre o amor a Deus e ao próximo, quando eu der preferência a mim, dentre os outros. 

“Ó Maria, daí-nos a virtude do amor.”

*3°: Acreditar como Maria.*

Ó Maria, Virgem Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, rogai por mim quando eu duvidar; dai-me olhos que visualizem toda a luz da fé. 
“Ó Maria, daí-nos a virtude da fé.”

*4°: Esperar como Maria.*

Ó Maria, Virgem Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, vós sois, depois de Jesus, toda a minha esperança, ensinai-me a praticar o abandono, a entrega à Providência Divina. 

“Ó Maria, daí-nos a virtude da esperança.”

*5°: Castidade de Maria.*

Ó Maria, Virgem Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, que o vosso nome, pronunciado com confiança, seja o meu recurso quando eu tiver que renunciar às paixões do espírito e da carne, para deixar Deus passar. 

“Ó Maria, daí-nos a virtude da castidade.”

*6°: Pobreza de Maria.*

Ó Maria, Virgem Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, que dizeis, em vosso sublime cântico: Minha alma exulta no Senhor. Dai-me a graça de poder sempre ter a Deus como prioridade na minha vida. 

“Ó Maria, daí-nos a virtude da pobreza.”

*7°: Obediência de Maria.* 

Ó Maria, Virgem Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, dai-me a graça de obedecer fielmente à vontade de Deus, de suportar em paz as cruzes e amar a Deus cada vez mais. 

“Ó Maria, daí-nos a virtude da obediência e paciência.”

*Rezar:*

1. Pai Nosso 
1. Ave Maria
1. Glória ao Pai

*ORAÇÃO:*

_Ó Maria Santíssima, cuja vida é modelo de santidade, fazei que floresça em nossas vidas as tuas virtudes, a fim de que possamos, também nós, alcançar a santidade._

Fonte: TElegRAM