segunda-feira, 27 de junho de 2016

O golpe do Rosário tinha sido o golpe de misericórdia

No século XVII, na Inglaterra, os católicos eram submetidos a uma sangrenta perseguição. O Padre João Ogilvie foi julgado em Glasgow, Escócia, no dia 15 de outubro de 1614, por ter afirmado que, no domínio espiritual, o Papa estava acima do Rei.
Condenado à morte, passou todo o tempo no cativeiro sem nada perder da sua alegria e de suas brincadeiras costumeiras. Após ter sido torturado, foi conduzido ao cadafalso no dia 10 de março de 1615, quando renovou sua fidelidade ao Rei, no domínio temporal, e declarou que morreria por sua fidelidade ao Papa.
No patíbulo, pronto para ir ao encontro da morte, repentinamente, pegou o terço lançando-o à multidão. O terço atingiu em cheio o peito de um calvinista húngaro que estava de passagem por Glasgow: este era o notável Johan von Echesdoff, que se converteu ao catolicismo, logo após esta passagem. O golpe do Rosário tinha sido o golpe da Graça.
Escocês, jesuíta, mártir na Escócia, em 1615, João Ogilvie era Congregado Mariano no Colégio dos Jesuítas, em Olmutz, Lovaina, Bélgica. John Ogilvie foi canonizado pelo Papa Paulo VI, em outubro de 1976.
Florilégio mariano 1979
E também em: www.mariedenazareth.com

terça-feira, 21 de junho de 2016

A menina que passou a noite coberta com o manto de Nossa Senhora


Ela tinha apenas 3 anos de idade e se perdeu dos seus pais em plena noite de inverno
little girl sleeping
Uma menina de apenas 3 anos de idade se perdeu dos seus pais na cidade espanhola de Rojales. A noite gelada chegou, no rigoroso inverno europeu, e seus pais, com o coração partido de dor, recorreram às autoridades. A notícia correu de boca em boca. O povoado inteiro se mobilizou. Os jovens, com tochas, percorreram as redondezas do local e da cidade vizinha, mas a pequena não aparecia em lugar nenhum. Era 18 de janeiro de 1896.
No dia 19, os habitantes das cidades vizinhas foram avisados, e todos procuravam a menina com ansiedade. As pessoas esperavam encontrar pelo menos seu cadáver, supondo que ela não teria resistido ao frio da noite anterior.
Às três da tarde, seus tios, que persistiam na busca, viram-na encostada em uma grande pedra, atrás da qual havia um enorme precipício. A menina parecia estar morta. No entanto, ao ouvir a voz dos seus tios, ela se levantou e se dirigiu a eles com os bracinhos levantados, como se estivesse acordando de um profundo sonho. Sua tia, abraçando-a com força e chorando de emoção, perguntou-lhe:
– Querida, você não passou frio à noite?
Então, e menina respondeu sorrindo que não tinha sentido frio algum, porque havia uma mulher com ela, que a cobria com seu manto. A tia, com olhos arregalados, continuou perguntando:
– Uma mulher passou a noite com você?
– Sim, tia, uma mulher boa e carinhosa – respondeu.
– Mas o que essa mulher lhe dizia? Você não via as luzes das nossas lanternas, não ouvia nossos gritos?
– Sim – disse a menina. Mas a mulher me disse: “Não se mexa, minha filha, já virão buscá-la”.
As pessoas simples aquele povoado, entusiasmadas com o que ouviam, gritavam: “Milagre! Milagre!”. No dia seguinte, celebraram uma missa solene em ação de graças. A menina foi levada até a imagem de Nossa Senhora do Carmo e, nesse momento, disse para a sua mãe:
– Mamãe! Mamãe! Esta é a mulher que me cobriu ontem!
Essa menina esteve prestes a cair em um precipício, pois era noite e não se enxergava nada. Foi por isso que Nossa Senhora, como boa mãe, ficou com ela junto àquela pedra, para que, durante a noite, a pequena não errasse o caminho e não se dirigisse ao lado do precipício, onde havia um grande abismo.
Por isso, quando a menina escutava os gritos e via as tochas acesas, Nossa Senhora lhe pedia para não se mexer, que em breve viriam buscá-la, pois, ao estar no escuro e ter o precipício ao seu lado, certamente teria caído nele se tivesse tentado sair do lugar.
* * *
E você, quando se sente desolado e perdido no escuro, prefere caminhar sozinho, correndo o risco de cair no precipício, ou coloca sua vida nas mãos de Maria?

http://pt.aleteia.org/2016/06/17/a-menina-que-passou-a-noite-coberta-com-o-manto-de-nossa-senhora/?utm_campaign=NL_pt&utm_source=topnews_newsletter&utm_medium=mail&utm_content=NL_pt-Jun%2019,%202016%2007:02%20am

quarta-feira, 1 de junho de 2016

Como fazer a consagração pessoal a Nossa Senhora?


Saiba como fazer a consagração a Virgem Maria conforme o Tratado da Verdadeira Devoção
Maria e Menino Jesus

Para fazer a consagração a Maria segundo o “Tratado da Verdadeira Devoção à Santíssima Virgem”, de São Luís Maria Grignion de Montfort, a primeira coisa a fazer é conhecer esse precioso livro, que é um método de consagração. O santo o escreveu no final de sua vida e, nele, nos dá a conhecer a reflexão e a experiência que desenvolveu em seu apostolado de propagar esta devoção, levando muitos muitos a se consagrarem a Nossa Senhora.
Tendo em vista a riqueza que é este pequeno livro, não podemos deixar de recomendar insistentemente que se leia o Tratado da Verdadeira Devoção (TVD) antes de começar a preparação para a consagração. Esta leitura é necessária para conhecer esta devoção, que é a consagração total à Virgem Maria. O Tratado nos ajuda a conhecer a nós mesmos, nossas misérias e fraquezas, e nos faz tomar consciência da necessidade do auxílio de Nossa Senhora. O livro também nos ajuda a conhecer a Virgem Maria, a quem nos consagraremos, e a Jesus Cristo, que é o fim último da consagração.
Depois da leitura do Tratado, escolhe-se uma data para fazer a consagração. Não há nenhuma indicação no Tratado, mas costuma-se fazer a consagração em um dia mariano. Outra indicação que podemos dar é fazer a consagração no dia de São Luís Maria, que é 28 de abril, ou no dia da Imaculada Conceição de Maria, dia 8 de dezembro, pois quem se consagrar neste dia ou renovar a consagração ganha indulgência plenária (desde que a pessoa tenha se confessado recentemente e reze um pai-nosso, uma ave-maria e um glória pelas intenções do papa. A data não pode ser muito próxima, pois antes de fazer a consagração é preciso fazer uma preparação de trinta dias).
Esta preparação pode ser feita somente recitando as orações indicadas no Tratado (cf. TVD 227-230). Porém, recomenda-se também o uso de livros próprios para a preparação (exercícios espirituais para a consagração) e que se façam as reflexõespropostas para cada dia antes das orações. Outra coisa que ajuda é fazer a preparação para a consagração em grupo, pois, embora a consagração seja pessoal, ela tem um caráter comunitário. Nesta preparação em grupo, pessoas que já fizeram a consagração e se dispõem a ajudar são bem-vindas para orientar quem se prepara. Perto do final da preparação, recomenda-se fazer uma boaconfissão.
Após a preparação, no dia da consagração deve-se participar daEucaristia; depois da comunhão, se faz a consagração conforme a fórmula prevista no Tratado (cf. TVD 231). Caso não seja possível a participação na Santa Missa, pode-se fazer a consagração diante de uma imagem de Nossa Senhora. A fórmula da consagração deve ser escrita antes, de preferência de próprio punho. Depois da consagração, quem se consagrou assina a folha com a fórmula e, se houver um sacerdote ou outra pessoa que possa ser testemunha, ele também deve assinar. São Luís Maria recomenda que a consagração seja renovada todo ano, na mesma data em que foi feita pela primeira vez, com as mesmas orações preparatórias (cf. TVD 233).
Certamente, esta devoção a Nossa Senhora, ensinada por São Luís Maria, será de grande auxílio na nossa busca pela fidelidade à Igreja e aos mandamentos de Deus. Pelas mãos da Virgem Maria, nós nos aproximamos cada vez mais de Nosso Senhor Jesus Cristo e do Seu Reino.
___________
Natalino Ueda, via blog Canção Nova – Todo de Maria