Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Maio, 2015

Consoladora dos Aflitos

As invocações, que o povo cristão dirige a Nossa Senhora, manifestam, em primeiro lugar, as situações concretas e existenciais desse mesmo povo. Se pudéssemos examinar os milhões de títulos dirigidos à Maria, teríamos um retrato completo das circunstâncias pelas quais passa a humanidade.


Um grande número dessas invocações retrata as dores e angústias humanas, suas fraquezas, sua indigência e necessidade de proteção, auxílio e consolo.Todos nós sabemos que Maria não é a fonte das graças e favores que pedimos; acreditamos que Ela seja nossa Medianeira e Intercessora.
Nossa confiança em Maria e em sua intercessão se fundamenta em sua íntima união com seu Filho e na vontade livre e soberana de Deus de querer precisar da colaboração de Maria para realizar, por meio do seu Filho, a Redenção e Libertação da Humanidade. Se a Trindade Santíssima precisou do “Sim” de Maria para realizar a salvação do mundo, que mal existe quando nós, frágeis mortais e pecadores, pedimos a intercessão desta Mãe …

Momento íntimo com a Mãe do Salvador

"E junto à cruz estavam a mãe de Jesus, a irmã dela, e Maria, mulher de Clopas, e Maria Madalena. Vendo Jesus sua mãe, e junto a ela o discípulo amado, disse: “Mulher, eis o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. Dessa hora em diante desde o discípulo a tomou para casa". (João 19.25-27).
Enquanto Maria olha para a cruz, tolda-se a terra de um nevoeiro, como se tivesse sido atingida bem em seu âmago por uma espada. Enquanto observa, Maria percebe a semelhança entre o que ela sente com o que foi profetizado por Simeão, por ocasião do nascimento de Jesus: "Eis que este menino está destinado tanto para ruína como para levantamento de muitos em Israel, e para ser alvo de contradição (também uma espada traspassará a tua própria alma), para que se manifestem os pensamentos de muitos corações” (Lucas 2.34-35), referindo-se à agonia que Maria haveria de passar. Focalizando novamente a cruz, tudo fica nítido para ela: Então, esta é a espada...
É algo que toda a mãe …

Pentecostes segundo o Catecismo da Igreja Católica

Pentecostes dia da efusão do Espírito Santo
§696 O fogo. Enquanto a água significa o nascimento e a fecundidade da Vida dada no Espírito Santo o fogo simboliza a energia transformadora dos atos do Espírito Santo O profeta Elias, que “surgiu como um fogo cuja palavra queimava como uma tocha” (Eclo 48,1), por sua oração atrai o fogo do céu sobre o sacrifício do monte Carmelo, figura do fogo do Espírito Santo que transforma o que toca. João Batista, que caminha diante do Senhor com o espírito e o poder de Elias” (Lc 1,17), anuncia o Cristo como aquele que “batizará com o Espírito Santo e com o fogo” (Lc 3,16), esse Espírito do qual Jesus dirá “Vim trazer fogo à terra, e quanto desejaria que já estivesse acesso (Lc 12,49). É sob a forma de línguas “que se diriam de fogo” o Espírito Santo pousa sobre os discípulos na manhã de Pentecostes e os enche de Si. A tradição espiritual manterá este simbolismo do fogo como um dos mais expressivos da ação do Espírito Santo Não extingais o Espírito” …

Poderosa oração a Nossa Senhora de Fátima

Peça com fé a graça de que você tanto precisa

Muitas pessoas já foram abençoadas com graças especiais alcançadas por Maria. Agora é a sua vez. Peça com fé:
Santíssima Virgem, 
que nos montes de Fátima 
vos dignastes revelar a três pastorinhos 
tesouros de graças 
contidos na prática do vosso santo Rosário, 
incuti profundamente em nossa alma 
o apreço em que devemos ter esta devoção, 
a vós tão querida, 
a fim de que, meditando os mistérios da Redenção, 
que neles se comemoram, 
nos aproveitemos de seus preciosos frutos 
e alcancemos a graça (............................) 
que vos pedimos, 
se for para a glória de Deus 
e proveito de nossas almas. 
Assim seja. 

Pai-nosso, Ave-Maria, Glória ao Pai.

Tudo por Jesus, nada sem Maria

Permita que Nossa Senhora conquiste seu coraçãoJesus fez tudo através de Nossa Senhora. Ele veio ao mundo por ela; ela lhe deu a natureza humana que fez do Verbo encarnado o sumo Sacerdote. Ela foi o paraíso do novo Adão, como disse S. Luiz de Montfort; ela o embalou em seus braços; ensinou-o a andar, falar, rezar e o preparou para a grande missão de Salvador da humanidade.
Por Maria Ele foi levado ao Egito, para fugir da fúria diabólica de Herodes, e ali o protegeu.
Por Maria, Jesus começou os seus milagres, nas bodas de Canã da Galileia; a seu pedido, “quando ainda não havia chegado a sua hora.”
Maria o acompanhou em sua missão redentora e chegou até o Calvário com Ele.
Ninguém cooperou mais do que Maria com o Senhor na obra da salvação da humanidade. Por isso ela mereceu a glória da Assunção ao céu de corpo e alma. No céu ela continua a sua missão de Mãe dos viventes.
Jesus quis dá-la a nós aos pés da cruz, para ser a nossa Mãe espiritual. Na cruz, agonizando, com lábios de sangue, ante…

História de Nossa Senhora da Fátima

Nossa Senhora de Fátima teve origem na cidade de Fátima, uma cidade de Portugal onde três meninos, Lucia de Jesus Santos, com 10 anos e  seus primos Francisco Martos de 9 anos e Jacinta Martos de 7 anos, tiveram a visão de Nossa Senhora. Aconteceu no ano de 1917. Sete aparições de Nossa Senhora aos três meninos, sempre no dia 13 de cada mês. A primeira foi no dia 13 de maio. Lucia via e conversava com Nossa Senhora de Fátima. Francisco só via e não ouvia os diálogos. Jacinta via e ouvia, mas não falou com Nossa Senhora de Fátima. História de Nossa Senhora de FátimaQuando Nossa Senhora de Fátima apareceu aos três, eles descreveram assim a visão: Parecia ter uns 18 anos a Senhora, rodeada de claridade fulgurante, seu vestido era de uma alvura puríssima, assim como o manto ornado de ouro, que lhe cobria a cabeça e grande parte do corpo. O rosto sobrenatural e divino, estava sereno e grave, com uma sombra de tristeza. Em suas mãos, uma cruz de ouro com um terço em contas que pareciam pérola…

OFERECIMENTO À MARIA, MÃE DE JESUS

“Ò Maria, Mãe querida, como é bom nos encontrarmos na tua presença e novamente nos colocarmos sob teu olhar, pois tu és a Mãe do Belo Amor e da Santa Esperança. A ti, Maria, elevamos o nosso coração. Que a tua santidade ilumina a nossa vida e acerte os nossos passos no caminho da justiça, da fraternidade e da paz. Como sempre estiveste de portas abertas a Cristo, abre também as portas do nosso coração para que aconteça em nós e por nós a civilização do amor... Nós te pedimos isso nessa hora de Deus... Nós te pedimos, Maria, o dom da fé, da humildade, da fortaleza. Tu podes ajudar-nos a encarnar o Cristo Vivo na medida em que abrirmos o coração para os outros, para os que sofrem. Na medida em que não nos interessar nosso próprio prestígio, mas a glória do Pai e a felicidade dos irmãos quando, conforme o teu exemplo, soubermos pronunciar o nosso “sim” em resposta aos apelos de Deus. Santa Virgem Maria, Mãe de Deus e Mãe da Igreja, nós nos consagramos a ti, entregando em tuas mãos matern…

Hino à Santa Virgem Maria

Salve, raio de sol espiritual; salve, reflexo da luz sem ocaso.
Salve, arco-iris que iluminas as almas; salve, relâmpago que aterrorizas os inimigos.
Salve, tu que fazes aparecer o astro fulgurante; tu que fazes brotar rios de água.
Salve, ó tu que representas a piscina simbólica;
Salve, tu que tiras as manchas do pecado.
Salve, banho que purificas a consciência; salve, taça que derramas alegria.
Salve, perfume da fragrância de Cristo; salve, vida do banquete místico; salve, 
esposa sempre virgem.
(Hino da Litúrgia Oritental)

A NOSSA CRUZ E A DE CRISTO

Cada uma das nossas dores traz uma mensagem de Cristo que pergunta por nós. Do alto da Cruz, Ele olha-nos pessoalmente, chama-nos pelo nosso nome e nos pergunta: “Não queres aprender a sofrer comigo? Não queres transformar a tua dor em amor? Não queres ter um sofrimento santificador?” Quando nos decidiremos a isso? Quando perceberemos estas interrogações afetuosas, estas sugestões da graça de Deus? “Perante esse pequeno desaforo –Deus nos diz-, por que não respondes com um silêncio paciente e humilde como o meu, sem ódio nem discussões? Se te custa aguentar o caráter daquela pessoa, por que não te esforças por viver melhor a compreensão e a desculpa amável? Quando alguém te ofende, por que -sem deixares de defender serenamente o que é justo- não te esforças por perdoar, como Deus te perdoa?” E, assim, quando as dores físicas ou morais –os desgostos, as decepções, os fracassos, os fastios, o tédio, a solidão, a depressão…− nos acabrunham, a voz cálida de Cristo crucificado convida-nos a …

MARIA E O SANTO ROSÁRIO

Meditar com São Josemaria
O “princípio do caminho”, que tem por fim a completa loucura por Jesus, é um confiado amor a Maria Santíssima. – Queres amar a Virgem? – Pois então conversa com Ela! – Como? – Rezando “bem” o Rosário de Nossa Senhora [Santo Rosário, prólogo]. Mas no Rosário… dizemos sempre o mesmo! – Sempre o mesmo? E não dizem sempre a mesma coisa os que se amam? (Id.)… Eu entendo que cada Ave-Maria, cada saudação à Santíssima Virgem, é um novo palpitar de um coração enamorado [Forja, n. 615]. Bendita monotonia das Ave-marias, que purifica a monotonia dos teus pecados! [Sulco, n. 475]. Não se pronuncia o terço somente com os lábios, mastigando uma após outra as Ave-marias. Assim mussitam as beatas e os beatos. – Para um cristão, a oração vocal há de enraizar-se no coração, de modo que, durante a recitação do terço, a mente possa adentrar-se na contemplação de cada um dos mistérios [Sulco, n. 477]. Vou dar-te um conselho prático… : demora-te por uns segundos – três ou quatro – num…

O povo da cruz e a cruz de Cristo: atração e repulsão

Por Leonardo Morais, Jr., OFA*


Há cerca de duas semanas o mundo tomou conhecimento da execução de 21 jovens cristãos egípcios pelas mãos do ISISI (Estado Islâmico do Iraque e Síria). O clima de indignação e repúdio espalhou-se rapidamente por todos os continentes logo que a organização terrorista divulgou o vídeo – produzido em alta qualidade – da decapitação de cada um daqueles prisioneiros. Nas legendas do vídeo, podia-se ver, em língua árabe, a “razão” ou o “motivo” de sua execução: “Povo da Cruz”. Isso me fez lembrar das epígrafes que os soldados romanos, por sugestão dos judeus, colocaram sobre a cabeça de Jesus, quando este estava dependurado na cruz: “Jesus Nazareno, o Rei dos Judeus”. A morte do Messias foi, por assim dizer, identificada, ainda que jocosamente, com a sua missão e verdadeira identidade.

Entretanto, o que me chama à atenção, entre outras coisas, nesse triste episódio dos 21 mártires egípcios, é o modo como foram apresentados ao mundo pelos terroristas do ISIS: o …