sábado, 31 de maio de 2014

Visitação de Nossa Senhora

Sabemos que Nossa Senhora foi visitada pelo Arcanjo Gabriel com esta mensagem de amor, com esta proposta de fazer dela a mãe do nosso Salvador. E ela aceitou. E aceitar Jesus é estar aberto a aceitar o outro. O anjo também comunicou a ela que sua parenta -- Santa Isabel -- já estava grávida. Aí encontramos o testemunho da Santíssima Virgem -- no Evangelho de São Lucas no capitulo 1, -- quando depois de andar cerca de 100 km ela encontrou-se com Isabel. Nesta festa, também vamos descobrindo a raiz da nossa devoção a Maria. Ela cantou o Magnificat, glorificando a Deus. Em certa altura ela reconheceu sua pequenez, e a razão pela qual devemos ter essa devoção, que passa de século a século. "Porque olhou para sua pobre serva, por isso, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações." (Lucas 1,48) A Palavra de Deus nos convida a proclamarmos bem-aventurada aquela que, por aceitar Jesus, também se abriu à necessidade do outro. É impossível dizer que se ama a Deus, se não se ama o outro. A visitação de Maria a sua prima nos convoca a essa caridade ativa. A essa fé que se opera pelo amor. Amor que o outro tanto precisa. Quem será que precisa de nós? Peçamos a Virgem Maria que interceda por nós junto a Jesus, para que sejamos cada vez mais sensíveis à dor do outro. Mas que a nossa sensibilidade não fique no sentimentalismo, mas se concretize através da caridade.

Visitação de Nossa Senhora

Na solenidade da Visitação de Nossa Senhora à sua prima Isabel, temos uma grande oportunidade que a Igreja nos dá de refletir sobre o canto do "Magnificat".
Temos tantos motivos para dar glória a Deus! E mesmo que nossa vida seja de cruzes e dores!
Maior generosidade oferecendo tudo a Deus aqui, maior será a recompensa que nos está reservada no céu!
Só nos resta, com Maria, fazer um ato de fé no amor misericordioso de Deus.
Saber servir, sendo verdadeiros mensageiros do Evangelho!

sexta-feira, 30 de maio de 2014

O ROSÁRIO MEDITADO

Por São Luiz Maria Grignion de Montfort

CREDO:
1º) Fé na presença de Deus;
2º) Fé no Evangelho;
3º) Fé e obediência ao Papa como Vigário de Jesus Cristo.

Padre Nosso: Unidade de um só Deus, vivo e verdadeiro.

1ª Ave Maria: Em honra do Pai Eterno, que gera seu Filho contemplando-se.
2ª Ave Maria: Em honra do Verbo eterno, igual ao Pai, que com Ele produz o Espírito Santo.
3ª Ave Maria: Em honra do Espírito Santo, que procede do Pai e do Filho por via de amor.




MISTÉRIOS GOZOSOS


1º Mistério - ANUNCIAÇÃO DO ANJO E ENCARNAÇÃO DO VERBO


Padre Nosso: Caridade de Deus, imensa.

1ª Ave Maria, para lamentar o desgraçado estado de Adão desobediente, sua justa condenação e a de todos os seus filhos.
Ave Maria, para honrar:
2ª os desejos dos patriarcas e profetas, que pediam a vinda do Messias;
3ª os desejos e as preces da Santíssima Virgem, que apressaram a vinda do Messias;
4ª a caridade do Pai Eterno, que nos deu Seu divino Filho;
5ª o amor do Filho, que se entregou por nós;
6ª a embaixada e a saudação do arcanjo Gabriel;
7ª o temor virginal de Maria;
8ª a fé e o consentimento da Santíssima Virgem;
9ª a criação da alma e a formação do Corpo de Jesus Cristo no seio de Maria, pelo Espírito Santo;
10ª a adoração do Verbo Encarnado, pelos anjos, no seio de Maria.

2º Mistério - VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA A SUA PRIMA ISABEL

Padre Nosso: Majestade de Deus, adorável.

Ave Maria, para honrar:

1ª o gozo do Coração de Maria e a morada durante 9 meses, do Verbo em seu seio;
2ª o sacrifício que Jesus Cristo fez de si mesmo ao Pai, ao entrar neste Mundo;
3ª as complacências de Jesus no seio humilde e virginal de Maria, e de Nossa Senhora, no gozo do seu Deus;
4ª a dúvida de São José acerca da maternidade de Maria;
5ª a eleição dos escolhidos, combinada entre Jesus e Maria, em seu seio;
6ª o fervor de Maria na sua visita a Santa Isabel;
7ª a santificação de João Batista no ventre de sua mãe;
8ª a gratidão da Santíssima virgem com Deus, no Magnificat;
9ª a sua caridade e humildade em servir sua prima;
10ª a mútua dependência de Jesus e de Maria, e a devoção que devemos ter para com um e outra.


3º Mistério - NASCIMENTO DE JESUS

Padre Nosso: Riquezas de Deus, infinitas.

Ave Maria, para honrar:

1ª os desprezos e injúrias feitas a Maria e a São José em Belém;
2ª a pobreza do estábulo onde Deus veio ao mundo;
3ª a alta contemplação e o excessivo amor de Maria no momento de dar à luz;
4ª a saída do Verbo Eterno do seio de Maria sem romper o selo de sua virgindade;
5ª as adorações e cânticos dos anjos no nascimento de Jesus;
6ª a formosura arrebatadora de Sua divina infância;
7ª a vinda dos pastores ao estábulo, com seus presentes;
8ª a circuncisão de Jesus Cristo e Suas dores amorosas;
9ª a imposição do nome de Jesus Cristo e suas grandezas;
10ª a adoração dos reis magos e seus presentes.


4º Mistério - PURIFICAÇÃO DE NOSSA SENHORA, APRESENTAÇÃO NO TEMPLO

Padre Nosso: Sabedoria de Deus, eterna.

Ave Maria, para honrar:

1ª a obediência de Jesus e de Maria à Lei;
2ª o sacrifício que ali fez Jesus de sua Humanidade;
3ª o sacrifício que ali fez Maria de sua honra;
4ª o gozo e os cânticos de Simeão e Ana, a profetisa;
5ª o resgate de Jesus pela oferenda de duas rolas;
6ª a matança dos santos inocente;
7ª a fuga de Jesus para o Egito, pela obediência de São José à voz do anjo;
8ª a estadia misteriosa no Egito;
9ª a Sua volta para Nazaré;
10ª o seu crescimento em idade, sabedoria e graça.


5º Mistério - ENCONTRO DE JESUS NO TEMPLO

Padre Nosso: Santidade de Deus, incompreensível.

Ave Maria, para honrar:

1ª a Sua vida oculta, laboriosa e obediente na casa de Nazaré;
2ª sua pregação e encontro no Templo entre os doutores;
3ª seu jejum e tentações no deserto;
4ª seu Batismo por São João Batista;
5ª sua pregação admirável;
6ª seus milagres portentosos;
7ª a eleição de seus 12 Apóstolos e os poderes que lhes dá;
8ª sua transfiguração maravilhosa;
9ª o lava-pés dos Apóstolos;
10ª a instituição da Sagrada Eucaristia.


MISTÉRIOS DOLOROSOS

1º Mistério - AGONIA DE JESUS NO HORTO

Padre-Nosso: Felicidade de Deus, essencial.

Ave Maria, para honrar:
1ª os divinos retiros que fez Jesus em Sua vida, principalmente no horto;
2ª suas orações humildes e fervorosas durante Sua vida e na véspera da Paixão;
3ª a paciência e doçura com que suportou Seus Apóstolos, particularmente no Horto;
4ª o tédio de sua Alma durante toda a Sua vida, principalmente no Horto;
5ª os rios de sangue que a dor fez brotar de seu Ser adorável;
6ª o consolo que teve por bem aceitar de um anjo na agonia;
7ª sua conformidade com a Vontade do Pai, apesar da repugnância de Sua natureza;
8ª Sua traição por Judas e prisão pelos judeus;
9ª o valor com que saiu ao encontro dos algozes e a força da palavra com que os lançou por terra e os levantou;
10ª o abandono que sofreu de Seus Apóstolos.


2º Mistério - A FLAGELAÇÃO

Padre-Nosso: Paciência de Deus, admirável.

Ave Maria, para honrar:

1ª as cordas com que Jesus foi atado;
2ª a bofetada que recebeu em casa de Caifás;
3ª as negações de São Pedro;
4ª as ignomínias que sofreu em casa de Herodes, quando lhe puseram a veste branca;
5ª o despojamento de Suas vestes;
6ª os desprezos e insultos que sofreu de Seus verdugos pela Sua nudez;
7ª as varas espinhosas e os açoites cruéis com que foi golpeado;
8ª a coluna em que foi atado;
9ª o sangue que derramou e as chagas que recebeu;
10ª a Sua queda pela fraqueza no sangue que derramou.


3º Mistério – COROAÇÃO DE ESPINHOS

Padre-Nosso: Formosura de Deus, inefável.

Ave-Maria, para honrar:
1ª o despojamento de Suas vestes pela terceira vez;
2ª a Sua coroa de espinhos;
3ª o véu com que Lhe vendaram os olhos;
4ª as bofetadas e os escarros com que Lhe cobriram o rosto;
5ª o andrajo que Lhe puseram sobre os ombros;
6ª a cana que Lhe puseram nas mãos;
7ª a pedra pontiaguda sobre a qual O sentaram;
8ª os ultrajes e os insultos que Lhe fizeram;
9ª o sangue e os suores que saíam de Sua cabeça adorável;
10ª os cabelos e a barba que Lhe arrancaram.

4º Mistério - JESUS CARREGA A CRUZ

Padre-Nosso: Onipotência de Deus, sem limites.

Ave-Maria, para honrar:
1ª apresentação de Nosso Senhor diante do povo com o “Ecce Homo”;
2ª o haver sido preferido a Barrabás;
3ª os falsos testemunhos que contra Ele deram;
4ª Sua condenação à morte;
5ª o amor com que abraçou e beijou a Cruz;
6ª o trabalho espantoso que teve em carregá-la;
7ª as quedas de pura debilidade sobre Seu peso;
8ª o encontro doloroso com Sua Santa Mãe;
9ª o véu de Verônica, no qual Seu rosto se estampou;
10ª suas lágrimas, as de Sua Santa Mãe e das piedosas mulheres que O seguiram até o Calvário.

5º Mistério – A CRUCIFICAÇÃO

Padre-Nosso: Justiça de Deus, espantosa.

Ave Maria, para honrar:

1ª As cinco chagas de Jesus e o sangue que derramou na cruz;
2ª Seu coração traspassado e a Cruz em que foi crucificado;
3ª Os cravos e a lança que O atravessaram;
4ª A vergonha e a infâmia que sofreu, sendo crucificado entre dois ladrões;
5ª A compaixão de Sua Mãe Santíssima;
6ª As 7 últimas palavras;
7ª Seu desamparo e Seu silêncio;
8ª A aflição de todo o Universo;
9ª Sua morte cruel e ignominiosa.
10ª A descida da Cruz e sepultamento.
MISTÉRIOS GLORIOSOS

1º Mistério - A RESSURREIÇÃO DE JESUS

Padre-Nosso: Eternidade de Deus, sem princípio.

Ave Maria, para honrar:

1ª A descida da Alma de Nosso Senhor aos Infernos;
2ª O gozo e a saída das almas dos Santos Padres que estavam no Limbo;
3ª A reunião de Sua Alma e de Seu Corpo no sepulcro;
4ª Sua milagrosa saída do Sepulcro;
5ª Suas vitórias sobre a morte, o pecado, o mundo e o demônio;
6ª Os quatro dons gloriosos de Seu Corpo;
7ª O poder que Lhe deu Seu pai no céu e na terra;
8ª As aparições com que honrou Sua Santa Mãe;
9ª As conversações sobre o Céu e a Ceia que fez com Seus Apóstolos;
10ª A autoridade e missão que lhes deu, para que fossem pregar por toda a Terra.


2º Mistério – ASCENSÃO DE JESUS

Padre-Nosso: Imensidade de Deus, sem limites.

Ave Maria, para honrar:

1ª a promessa que fez Jesus aos Apóstolos de lhes enviar o Espírito Santo, e a ordem que lhes deu de se prepararem para O receber;
2ª a reunião no Monte das Oliveiras;
3ª a benção que lhes deu ao se elevar da Terra aos Céus;
4ª Sua gloriosa e admirável Ascensão por Sua própria virtude até o Céu Empíreo;
5ª O recebimento e o triunfo que lhe fez Deus, Seu Pai, e toda a corte celestial;
6ª o poder triunfante com que abriu as portas do Céu, onde nenhum mortal havia entrado;
7ª seu assento à direita do Pai, como Seu Filho querido, igual a Ele mesmo;
8ª o poder que Lhe deu de julgar os vivos e os mortos;
9ª Sua última vinda sobre a Terra, na qual Seu poder e majestade aparecerão em todo o seu esplendor;
10ª a justiça que fará no último Juízo, recompensando os bons e castigando os maus por toda a eternidade.


3º Mistério - VINDA DO ESPÍRITO SANTO SOBRE MARIA E OS APÓSTOLOS

Padre-Nosso: Providência de Deus, universal.

Ave Maria, para honrar:

1ª a Verdade do Espírito Santo, Deus que procede do Pai e do Filho, e que é o Coração da Divindade;
2ª o dom do Espírito Santo pelo Pai e pelo Filho sobre os Apóstolos;
3ª o grande estrondo com que desceu, sinal de Sua força e Seu poder;
4ª as línguas de fogo que enviou sobre os Apóstolos, para lhes dar a inteligência das Escrituras, o amor de Deus e do próximo;
5ª a plenitude de graças com que distinguiu Maria, Sua fiel esposa;
6ª Sua conduta maravilhosa, com os santos e com o próprio Jesus Cristo, a quem guiou durante toda a vida;
7ª os 12 frutos do Espírito Santo;
8ª os 7 dons do Espírito Santo;
9ª para pedir em particular o dom da Sabedoria e a vinda de Seu reino aos corações;
10ª para obter a vitória sobre os três espíritos que Lhe são opostos, a saber: o espírito da carne, do mundo e do demônio.

4º Mistério – ASSUNÇÃO DE NOSSA SENHORA

Padre-Nosso: Liberalidade de Deus, inenarrável.

Ave Maria, para honrar:
1ª a predestinação eterna de Maria, como obra-prima das mãos de Deus;
2ª Sua Conceição Imaculada, a plenitude de graças e o uso da razão no seio de sua mãe;
3ª Sua Natividade que regozijou todo o Universo;
4ª Sua apresentação e sua vida no Templo;
5ª Sua vida admirável e isenta de todo pecado;
6ª a plenitude de suas virtudes singulares;
7ª Sua virgindade fecunda e seu parto sem dor;
8ª Sua maternidade divina e sua aliança com a Santíssima Trindade;
9ª Sua morte preciosa e cheia de amor;
10ª Sua Ressurreição e Assunção triunfante.

5º Mistério - COROAÇÃO DE NOSSA SENHORA RAINHA DOS CÉUS
Padre-Nosso: Glória de Deus, inacessível.

Ave Maria, para honrar:

1ª a tríplice coroa com que a Santíssima Trindade coroou Maria;
2ª o gozo e a glória nova que recebeu o Céu por seu triunfo;
3ª para reconhecê-la como Rainha do Céu e da Terra, dos anjos e dos homens;
4ª a tesoureira e dispensadora de todas as graças de Deus, dos méritos de Jesus Cristo e dos dons do Espírito Santo;
5ª a Medianeira e Advogada dos homens;
6ª a destribuidora e dispensadora de todas as graças de Deus, dos méritos de Jesus Cristo e dos dons do Espírito Santo;
7ª o refúgio seguro dos pecadores;
8ª a mãe e nutriz dos cristãos;
9ª a que é gozo e doçura dos justos;
10ª a que é asilo universal dos vivos, consolo todo-poderoso dos aflitos, dos moribundos e das almas do purgatório.

segunda-feira, 26 de maio de 2014

Ó Santíssima e Imaculada Virgem Maria!

Ó Santíssima e Imaculada Virgem Maria,
terníssima Mãe nossa e poderoso Auxílio dos Cristãos,
nós nos consagramos inteiramente
ao vosso doce amor e ao vosso santo serviço.
Consagramo-vos a mente com seus pensamentos,
o coração com seus afetos, o corpo com seus sentidos
e com todas as suas forças,
e prometemos querer sempre trabalhar
para a maior glória de Deus e a salvação das almas.
Vós, entretanto, ó Virgem incomparável,
que fostes sempre a Auxiliadora do povo cristão,
continuai, por piedade, a mostrar-vos tal,
especialmente nestes dias.
Humilhai os inimigos de nossa Santa Religião
e frustrai seus perversos intentos.
Iluminai e fortificai os Bispos e os Sacerdotes,
e conservai-os sempre unidos
e obedientes ao Papa, mestre infalível;
preservai da religião e do vício a incauta mocidade;
promovei as santas vocações
e aumentai o número dos ministros sagrados,
a fim de que, por meio deles,
se conserve o reino de Jesus Cristo entre nós
e se estenda até os últimos confins da terra.
Suplicamo-vos também, ó dulcíssima Mãe nossa,
lanceis continuamente vossos olhares piedosos
sobre a incauta mocidade rodeada de tantos perigos,
sobre os pobres pecadores e moribundos;
sede para todos, ó Maria, doce esperança,
Mãe de misericórdia e Porta do Céu.
Mas também por nós vos suplicamos, ó grande Mãe de Deus.
Ensinai-nos a copiar em nós vossas virtudes,
e de um modo especial vossa angélica modéstia,
a fim de que, por quanto for possível, com nossa presença,
com nossas palavras e com nosso exemplo,
representemos ao vivo no meio do mundo
a Jesus, vosso bendito Filho,
vos façamos conhecer e amar,
e possamos por este meio salvar muitas almas.
Fazei mais, ó Maria Auxiliadora,
que estejamos todos unidos
debaixo do vosso maternal manto.
Fazei que nas tentações
vos invoquemos logo com toda a confiança.
Fazei, enfim, que o pensamento
de que sois tão boa, tão amável e tão querida,
a lembrança do amor que tendes aos vossos devotos,
nos conforte de tal modo que, na vida e na morte,
saiamos vitoriosos contra os inimigos de nossa alma,
e possamos depois unir-nos convosco no Paraíso. Amem.
Maria, Auxílio dos Cristãos, rogai por nós.

FONTE: TUMBLR

domingo, 25 de maio de 2014

Novena dos "54 terços"



A "Novena do Rosário de 54 dias" é uma ininterrupta série de Rosários em honra de Nossa Senhora, revelada à doente incurável Fortuna Agrelli, por Nossa Senhora de Pompéia, em Nápoles, Itália, no ano de 1884. Por 13 meses Fortuna Agrelli sofria de terríveis dores e nem mesmo os médicos mais célebres conseguiam curá-la. Em 16 de Fevereiro de 1884, a menina e seus pais começaram uma novena do Rosário. A Rainha do Santo Rosário a premiou com uma aparição a 3 de março. Maria sentava-se sobre um alto trono, contornado por numerosas figuras; trazia o Seu Divino Filho sobre o colo e na mão um rosário. Nossa Senhora e o Menino Jesus estavam acompanhados por São Domingos e Santa Catarina de Sena. O trono estava decorado com flores, a beleza de Nossa Senhora era maravilhosa. A Santa Virgem disse: "Filha, você me invocou com vários títulos e sempre obteve favores de mim. agora, posto que me invocou com o título que muito me agrada, 'Rainha do santo Rosário', não posso mais recusar o favor que você me pede; porque este nome é o mais precioso e querido por mim. Faça três novenas e você obterá tudo". Mais uma vez Nossa Senhora lhe apareceu e disse: "Qualquer um que deseja obter favores de mim deveria fazer três novenas da oração do Rosário e três novenas em agradecimento".





(Para Implorar Graças nos Casos Mais Difíceis) (Novenas do pedido)


Rezar a novena 3 vezes, durante 27 dias, fazendo o pedido - rezar o terço, meditando os mistérios nesta seqüência: gozosos, dolorosos e gloriosos, sem levar em conta o dia da semana. Logo a seguir, rezar a novena 3 vezes, durante 27 dias, agradecendo o favor pedido, mesmo não o tendo recebido ainda - rezar o terço da mesma maneira que rezou ao fazer o pedido.


(Quando Nossa Senhora propôs esta novena à sua confidente, ainda não havia os mistérios luminosos.


Oração Preparatória:


Ó Santa Catarina de Sena, minha Protetora e Mestra, vós que assistis do Céu aos vossos devotos quando rezam o Rosário de Maria, assisti-me neste momento, e dignai-vos rezar juntamente comigo esta novena à Rainha do Rosário, que estabeleceu o trono de suas graças no Vale de Pompéia, a fim de que, por vossa intercessão eu obtenha a graça que desejo. Amém.


Ó Deus, vinde em meu auxilio. Senhor, apressai-vos em me socorrer.


Rezar o Credo – 1 Pai-Nosso – 3 Ave-Marias - 1 Glória ao Pai.


1º mistério – (proclamar e meditar o mistério do dia)


Ò Virgem Imaculada e Rainha do Santo Rosário, vós nestes tempos de fé extinta e Impiedade triunfante, quiseste estabelecer a vossa sede de Rainha e Mãe sobre a antiga Pompéia, morada dos mortos pagãos. E desse lugar onde eram adorados os ídolos e os demônios, vós hoje Mãe da divina Graça espalhais, por toda a parte, os tesouros das celestes misericórdias. Volvei, também sobre mim, ó Maria, desse trono em que reinais piedosamente, os vossos olhos misericordiosos, e tende compaixão de mim, que tanto necessito de vosso socorro. Mostrai-vos também a mim, como a tantos outros vos tendes mostrado, verdadeiramente Mãe de Misericórdia, concedendo-me a graça de, pela força do Espírito Santo, colherdes do Coração de vosso divino Filho, Jesus, a vontade do Pai para a minha vida e a vida de Thiago neste e no próximo ano, enquanto eu, de todo o coração vos saúdo e vos invoco, ó soberana Rainha do Sacratíssimo Rosário. Amém.


1 Pai-Nosso e 10 Ave-Marias...


2º mistério – (proclamar e meditar o mistério do dia)


Prostrada aos pés de vosso trono, ó grande e gloriosa Senhora, minha alma vos venera em meio dos gemidos e das angústias que pesam intensamente sobre ela. Nestes temores e agitações em que me encontro, levanto cheia de confiança os olhos para vós, que vos dignastes eleger, para vossa morada, as terras de pobres e abandonados camponeses. E ali, em face da cidade e do anfiteatro dos prazeres mundanos onde reinam o silencio e a ruína, tu como Rainha das Vitórias, levantastes a vossa voz poderosa para chamar de todos os pontos da Itália e do mundo católico, os vossos devotos e filhos para vos construírem um Templo. Ó Senhora tende compaixão desta minha alma que jaz na miséria; tende piedade de mim que estou cheia de miséria e humilhações. Vós que sois o extermínio dos demônios, defendei-me destes inimigos que me assaltam; Vós que sois o Socorro dos Cristãos, tirai-me destas tribulações em que miseravelmente estou mergulhada. Vós, que sois a Nossa Vida, triunfai da morte que ameaça minha alma nestes perigos a que está exposta: , concedei-me a graça de, pela força do Espírito Santo, colherdes do Coração de vosso divino Filho, Jesus, a vontade do Pai para a minha vida e a vida de Thiago neste e no próximo ano e restituí-me a paz, a tranqüilidade, o amor e a saúde! Amém.


1 Pai-Nosso e 10 Ave-Marias...


3º mistério – (proclamar e meditar o mistério do dia)


Ah! Sabendo que são numerosos aqueles que têm sido por vós beneficiados, unicamente porque recorreram a vós com Fé, sinto novo desejo e coragem de vos invocar em meu socorro. Vós já prometestes outrora, a São Domingos que quem quisesse graças, com o vosso Rosário as obteria e eu, com o terço na mão, vos chamo, ó Mãe, ao cumprimento das vossas maternais promessas. Ainda agora, em nossos dias, operais contínuos prodígios, a fim de conduzir os vossos filhos para vos honrarem ao Templo de Pompéia... Quereis, pois, enxugar as nossas lágrimas, suavizar os nossos trabalhos! E eu, com o coração nos lábios, com viva fé, vos chamo e vos invoco: “Minha Mãe!...” Minha querida mãe... Minha mãe tão bela!... Minha mãe dulcíssima, ajudai-me “Mãe e Rainha do Sacratíssimo Rosário de Pompéia, concedei-me a graça de, pela força do Espírito Santo, colherdes do Coração de vosso divino Filho, Jesus, a vontade do Pai para a minha vida e a vida de Thiago neste e no próximo ano. Não tardeis mais em estender-me a vossa mão poderosa para me salvar, pois a demora, como vedes, me levaria à ruína! Amém.


1 Pai-Nosso e 10 Ave-Marias...


4º mistério – (proclamar e meditar o mistério do dia)


E a quem mais recorrerei eu, senão a vós, que sois o Alivio dos Aflitos, o Conforto dos Abandonados, a Consolação dos Infelizes? Oh! Eu confesso: a minha alma é miserável, está sobrecarregada de enormes pecados, merece arder no Inferno, indigna de receber graças... Mas, vós sois a Esperança dos Desesperados, a grande Medianeira entre o homem e Deus, a nossa poderosa Advogada junto ao trono do Altíssimo, o Refugio dos Pecadores! Ó, basta que digais uma palavra, em meu favor, ao Vosso Filho e Ele vos ouvirá. Pedi-lhe, pois, ó Mãe, esta graça de que tenho tanta necessidade: pela força do Espírito Santo, colhei do Coração de vosso divino Filho, Jesus, a vontade do Pai para a minha vida e a vida de Thiago neste e no próximo ano. Somente vós podereis obtê-la para mim. Vós, que sois a minha esperança, a minha consolação, a minha doçura, e toda a minha vida. Assim espero! Amém.


1 Pai-Nosso e 10 Ave-Marias...


5º mistério – (proclamar e meditar o mistério do dia)


Ó Virgem e Rainha do Sacratíssimo Rosário, vós sois a Filha do Pai Celeste, a Mãe do Divino Filho, a Esposa do Espírito Septiforme. Vós que tudo podeis junto à Santíssima Trindade, deveis impetrar-me esta graça, que me é tão necessária, contanto que não sirva de obstáculo à minha salvação eterna: pela força do Espírito Santo, colhei do Coração de vosso divino Filho, Jesus, a vontade do Pai para a minha vida e a vida de Thiago neste e no próximo ano. Eu vo-la rogo, pelo Coração de vosso adorável Jesus, pelos nove meses em que O trouxestes em vosso seio, pelos méritos do Seu Nome Santíssimo, pelo seu preciosismo Sangue. Peço-a, enfim, pelo vosso dulcíssimo Coração, pelo vosso nome glorioso, ó Maria que sois a Estrela do Mar, a Senhora Poderosa, a Porta do Céu, a Mãe de Todas as Graças. Em vós confio, de vós tudo espero de bom. Vós me haveis de ajudar! Amém.


1 Pai-Nosso e 10 Ave-Marias...


Tornai-me digna de vos louvar, ó Virgem Puríssima! Daí-me Força contra vossos inimigos! Rogai por nós, Rainha do Sacratíssimo Rosário!


Salve Rainha...


Oremos

Ó Deus, cujo Filho Unigênito, por sua Vida, Morte e Ressurreição nos mereceu a graça da salvação eterna, concedei, nós vo-lo suplicamos, que meditando estes mistérios do Sacratíssimo Rosário da Bem – aventurada Virgem Maria, imitemos o que contêm e obtenhamos o que prometem. Por Cristo Nosso Senhor. Amém.

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Como meditar o Santo Rosário









Para ajudar na meditação do Santo Rosário existem inúmeros livros. Apresentamos aqui dois exemplos com os mistérios comentados sob um tema específico.


1) Tema - Assim amou Deus
Mistérios Gozosos - Encarnação e vida oculta em Nazaré:


I – Anunciação


"Deus amou tanto o mundo que deu seu próprio Filho único, para que todo aquele que crê nele não pereça, senão que tenha vida eterna" (João 3, 16). Ele deu seu único Filho por Maria, porque queria que o Verbo tomasse nossa natureza no puríssimo seio da Virgem.


Que a Virgem, Mãe de Deus, digne-se pois dar-nos o crer firmemente que Deus nos amou tanto. Que tudo em nossa vida seja iluminado por uma fé muito viva no mistério do Verbo feito carne.


II – Visitação


À exclamação de sua prima Isabel: Bendita és entre todas as mulheres, Maria respondeu com o Magnificat. É um canto de muito humilde agradecimento pelo mistério da Encarnação: "Minha alma glorifica o Senhor e meu espírito exulta de alegria em Deus meu Salvador, porque colocou os olhos na humildade de sua escrava (...). Sua misericórdia estende-se de geração em geração sobre os que o temem".


Que Nossa Senhora do Magnificat nos ensine a meditar em nosso coração os mistérios da misericórdia divina. Dessa forma nossa conversação interior por-se-á em uníssono com nossa fé ao invés de extraviar-se e perder-se no vazio.


III - Nascimento de Jesus


Vindo ao mundo pela Virgem Maria na noite de Natal, o Filho de Deus, que é seu próprio Filho, nos é dado de uma vez por todas. Este dom não nos será mais retirado; esta presença não nos será tirada, porque depois de subir aos céus, Jesus continua estando presente e dando-se sob as espécies eucarísticas.


Que Nossa Senhora do Natal nos consiga crer com todas nossas forças no mistério da Eucaristia e comungar o mais dignamente possível.


IV - Apresentação de Jesus no Templo e Purificação de Nossa Senhora


Quando a Virgem Maria depositou nos braços do ancião Simeão seu pequeno filho, verdadeiro Filho de Deus, verdadeiro Salvador do mundo, o santo ancião profetizou a missão de Jesus: Ele é a salvação preparada para todos os povos, luz que deve iluminar os pagãos e gloria do povo de Israel. Pois bem, é pela santa Igreja católica que o Filho de Deus dispensa ao gênero humano as luzes e as graças da Redenção.


Peçamos a Nossa Senhora da Apresentação no Templo, que a santa Igreja católica seja conservada em união e seja governada em toda a terra, pelo Pai muito misericordioso". (Canon Romano, Te igitur).

V - Encontro de Jesus no Templo e vida oculta em Nazaré


As dificuldades e inquietudes cotidianas não nos devem impedir permanecer no amor de Deus, viver no nível de nossa fé, mantermo-nos na paz de Jesus Cristo, porque Jesus Cristo nos foi dado e nunca nos faltará. Observando a Santa Família, aprendamos a cumprir nosso dever cotidiano em paz, amor e paciência e com grande pureza de coração. Que Nossa Senhora de Nazaré nos ensine a caminhar por esta pequena via de humildade e simplicidade interior.


Mistérios Dolorosos - Paixão Redentora

I - Agonia no Horto das Oliveiras


Quando Jesus banhado em suor de sangue e caindo com o rosto em terra, pede a seu Pai afastar o cálice, Ele é verdadeiramente o Cordeiro de Deus que leva sobre si o peso dos pecados do mundo. Por amor a seu Pai e a nós pecadores, tomou sobre si nossos pecados e por isso mesmo nos livrou deles.


Que Nossa Senhora nos obtenha vislumbrar o imenso amor contido nas palavras do consentimento de Jesus:"Pater, fiat voluntas tua" (Pai, que seja feita tua vontade). Que o pensamento de um amor tão grande nos de ânimo e valor para lutar contra o pecado e conformar nossa vida a nossa fé.


II – Flagelação


Depois do consentimento da Agonia, eis aqui a aceitação sempre cheia de amor, dos crudelíssimos tormentos, que seguiram às condenações mais injustas.


Que Nossa Senhora nos obtenha viver na fé do amor do Filho de Deus, que sofreu por nós uma dolorosíssima flagelação. Que sejamos capazes de mortificar nossos sentidos, e como o diz o Apóstolo, de reduzi-los à servidão (1 Cor. 9, 27).


III - Coroação de Espinhos


Como se uma prova de amor tal como a flagelação não bastasse para afastar-nos do pecado e merecermos a graça, o Filho de Deus quis submeter-se ainda à coroação de espinhos.


Que Nossa Senhora nos consiga ser comovidos por este mistério; que uma humilhação tal oferecida por nós com um coração tão generoso nos mova a praticar a humildade e a doçura.


IV - A Cruz nos ombros - Caminho ao Calvário


Via Crucis. Nossa Senhora subiu o caminho da Cruz com seu Filho Jesus Cristo, contou as quedas, visto as feridas, escutado as blasfêmias e as zombarias. Que Ela nos faça entrever o amor extraordinário que animava o Filho e que o fez capaz de levar a cruz até o fim.


Que Nossa Senhora da Compaixão, tão valente e tão paciente, nos obtenha a força, a paciência e o valor. Confiemos-lhe muito particularmente os enfermos e os inválidos.


V - Morte na cruz - Sacrifício Redentor


Et consummatum est (tudo está consumado) significa que o amor misterioso do Coração de Jesus alcança seu último limite, que uma satisfação infinita é por conseguinte oferecida por nossos pecados, que a obra da Redenção está consumada. Visto que tudo está consumado, por que, pois, ainda, antes da sepultura, o episódio da lançada, que abre o coração? Este episódio é simbólico. A abertura do coração pela lançada nos deve fazer compreender que tudo o que Jesus fez, tudo o que sofreu, é unicamente por amor, e é por amor que nos deixou na Eucaristia o memorial eficaz e sacramental da Paixão que nos salva. A efusão do sangue e da água designa, de fato, o dom do sacrifício eucarístico e o nascimento da Santa Igreja.


Que Nossa Senhora do Stabat obtenha-nos penetrar sempre mais dentro do mistério inesgotável do Sagrado Coração.


Mistérios Gloriosos - Glorificação de Jesus e de Maria - Mediação universal de Maria

I – Ressurreição


Que Nossa Senhora obtenha-nos alegrar-nos com Ela, vendo a Jesus glorificado e exaltado em certa medida proporcionalmente aos seus abatimentos e suas humilhações.


Que Ela nos ajude a encontrar o repouso e a segurança, vendo que o Pai, por esta ressurreição, manifestou sua complacência pela obra de seu Filho bem-amado.


II – Ascensão


Que Ela nos consiga igualmente crer em fiança ilimitada em seu Filho Jesus Cristo, que vive e reina sentado para sempre à direita do Pai.


Que Ela nos consiga igualmente crer nEle como Sumo e Eterno Sacerdote, que apresenta ao Pai as cicatrizes irradiantes de sua Paixão, assim como não deixa de oferecer seu sacrifício, sacramental mas realmente, em nossos altares daqui embaixo.


III – Pentecostes


Pela ação do Espírito Santo, eis aqui que a santidade de Cristo, a santa conformidade à Paixão e Ressurreição, continuarão para sempre no interior da Igreja, em cada um dos fiéis de Cristo. Para que seja assim, que Nossa Senhora obtenha-nos entregar-nos às sugestões e aos movimentos do Espírito Santo.


IV – Assunção


Nossa Senhora, Mãe de Deus, a bem-aventurada Virgem Maria, estava unida muito perto à Encarnação e à Paixão redentora de seu Filho para não estar unida igualmente, primeira de todas as criaturas, a sua Ressurreição. O poder de sua intercessão na gloria é proporcional à intensidade de sua união de amor no momento do Fiat da Anunciação e durante o Stabat da Crucifixão. Estamos persuadidos de que Ela intercede com uma força irresistível e que somente pertence a Ela. Não nos cansemos nunca de dizer-lhe com toda a confiança e todo o reconhecimento de que somos capazes: rogai por nós, pobres pecadores, agora e na hora de nossa morte.


V - Coroação no céu e Realeza de Maria


Nossa Senhora está, pois, intimamente unida à incessante e multiforme ação de seu Filho Jesus Cristo, para aplicar-nos as graças e os benefícios da Encarnação redentora. Ela é mediadora de todas as graças. Ocupemo-nos em recorrer a Ela na fé e como crianças pequenas. Ocupemo-nos em viver com Ela e Ela se ocupará de levar a sua perfeição, acima de tudo, a obra de santificação que Jesus começou em nossas vidas.


Do livro "El rosario de nuestra señora" de Roger-Thomas Calmel O.P. (Editora ICTION em espanhol).


2) Tema - O Santíssimo Sacramento
Mistérios Gozosos

I - A Anunciação de Nossa Senhora


No mistério da Encarnação, Nosso Senhor veio esconder sua divindade atrás de nossa humanidade, e Nossa Senhora era então a única a poder adorá-Lo no seu rebaixamento. No Santíssimo Sacramento, Nosso Senhor esconde tanto sua divindade quanto sua humanidade sob as espécies eucarísticas. Nós, que estamos tão próximos dEle neste estado, adoremo-Lo presente entre nós, e convidemos Nossa Senhora para vir adorá-Lo conosco.


II - A Visitação de Nossa Senhora


Na Visitação, Nossa Senhora fica três meses com sua prima Santa Isabel; e todo este tempo foi um tempo de bênçãos para a casa de São Zacarias. Nosso Senhor está presente em nossa terra há tanto tempo, no Santíssimo Sacramento; sejamos agradecidos por todos os bens que Ele fez a todas as almas durante todo esse tempo.


III - O Nascimento de Nosso Senhor


No Natal, Nosso Senhor manifestou-Se visivelmente no presépio de Belém: aqui nós tempos outra Belém, e Nosso Senhor está presente em todas as Missas, onde, por assim dizer, Ele nasce novamente. Saibamos agradecer por todas as Missas celebradas, particularmente pela conservação da verdadeira Missa católica em nosso país.


IV - A Apresentação de Jesus nos Templo e a Purificação de Nossa Senhora


Na Purificação, vede Jesus passando dos braços de Nossa Senhora, para os de São José, deste para São Simeão: é a imagem da santa comunhão, onde Nosso Senhor se dá a todos com tanto amor. Agradeçamos a Ele, na hora da comunhão, por todas as nossas comunhões, da primeira até a última, esta de hoje.


V - O Encontro de Jesus no Templo


Algumas almas comungaram e não guardaram bem a Nosso Senhor. Algumas O perderam e não querem mais procurá-Lo, enquanto outras, depois de O perderem O procuram novamente. Peçamos a Jesus que se faça procurado por todas elas, e que dê a todas a alegria de sua presença.


Mistérios Dolorosos

I - A Agonia no Jardim das Oliveiras


Na sua agonia, Jesus rezava e estava só. Três vezes veio junto de seus apóstolos, e encontrando-os dormindo disse-lhes: "Vigiai e orai! Não pudestes vigiar uma hora comigo?" No Santíssimo Sacramento, Jesus não dorme, seu coração vigia: Ele ama, Ele reza. E nós, sabemos vigiar, amar e rezar com Ele? Peçamos a Ele que nos mantenha unidos a seu amor e a sua oração.


II - A Flagelação de Nosso Senhor


O mistério da Flagelação, infelizmente, continua ainda. A fúria dos demônios joga os homens contra Jesus; e a história nos ensina como eles pisaram, queimaram, cortaram com faca, e profanaram de tantos outros modos o Santíssimo Sacramento. Choremos diante de tais profanações.


III - A Coroação de Espinhos


Como é comovente o espetáculo dos padres e fiéis, juntos em torno dos altares, para o Santo Sacrifício e a Santa Comunhão. É uma coroa de júbilo e alegria para Nosso Senhor. Rezemos para que nesta coroa nunca haja os espinhos do sacrilégio.


IV - Jesus Carrega a Cruz ao Calvário


Jesus sacramentado não pode mais sofrer; mas se Ele pudesse sofrer, não poderíamos imaginá-Lo a seguir sua Via Sacra? Todos os nossos pecados são para Ele uma pesada cruz: como a ovelhinha carregada ao matadouro, Jesus espera, reza, ama, e derrama sua graça sobre nós. Imitemos esse amor paciente de Jesus.


V - A Crucifixão de Nosso Senhor


O Santo Sacrifício da Missa é a continuação do sacrifício da cruz. O corpo e o sangue de Jesus, consagrados como que separados sobre o altar: o padre os eleva ao alto, como que para nos lembrar de Jesus pregado na cruz e elevado da terra.


Mistérios Gloriosos

I - A Ressurreição de Nosso Senhor


No dia de sua Ressurreição, Nosso Senhor saiu do túmulo e veio aparecer a seus queridos apóstolos. O sepulcro não foi seu primeiro sacrário? Como Ele saiu do sepulcro vivo e glorioso, Ele sai do sacrário vivo e glorioso, e vem até nós. Sejamos para Ele um sacrário, onde Ele esteja vivo, mas nunca um sepulcro; não o entreguemos à morte em nós por nossos pecados.


II - A Ascensão de Nosso Senhor


Nosso Senhor ressuscitado subiu ao céu. Façamos um esforço para que, quando Ele vier na comunhão, sejamos um verdadeiro céu, onde reina Deus, onde a Santíssima Virgem seja amada, onde Jesus seja adorado por nós e por seus anjos.


III - A Vinda do Divino Espírito Santo


Na Anunciação, o Espírito Santo veio para operar o mistério da Encarnação; Ele vem na Missa operar o mistério da consagração: que Ele venha a nós, preparar e santificar o mistério da santa comunhão.


IV - A Assunção de Nossa Senhora


Na sua Assunção gloriosa, Nossa Senhora entrou para sempre no céu. Quando Nosso Senhor nos chama para a comunhão, Ele opera em nós uma verdadeira assunção, nos tomando com Ele no céu da Eucaristia. Subamos para lá depressa para não descer mais.


V - A Coroação de Nossa Senhora


A coroação de Nossa Senhora nos céus foi o ponto culminante da graça de Deus sobre sua Santa Mãe. A última comunhão que receberemos, será o ponto culminante das bondades da Sagrada Eucaristia em nós. Rezemos a Deus pela nossa última comunhão: que ela seja santa, humilde, amorosa, e que ela nos dê a graça da perseverança final.


Do livro "O Mês do Rosário - onze mistérios meditados" de Pe. Emmanuel-André (Editora Permanência).


Fonte:

http://indexbonorvm.blogspot.com

Oração á Santa Rita de Cássia


Oração a Santa Rita

Oh! Santa Rita, filha obediente, esposa amável de um homem difícil, mãe paciente de filhos indomáveis, irmã bondosa e compreensiva das religiosas do convento, mulher sofredora e fiel a Jesus, modelo de vida para todas as famílias, dignai-vos mostrar aqui vosso auxílio poderoso.

Vós conheceis a humanidade e seu sofrimento.

Vós sabeis também das minhas necessidades e do pedido que venho depositar a vossos pés, confiando na vossa poderosa intercessão junto a Deus.

Concedei-me a graça mais importante:

A de viver sempre na amizade de Deus e com os irmãos, ouvindo a Palavra do Evangelho, participando dos Sacramentos, crescendo na Fé e na vida de Comunidade.

Inúmeras pessoas ajudastes, em casos desesperados e quase impossíveis, tornando-se assim um refúgio seguro para todos os que rezam com fé.

Não esqueçais meu fervoroso pedido, vós que, como ninguém, tivestes o privilégio de se identificar com Cristo no mistério da cruz.

Ajudai-me a carregar a minha cruz e a seguir com coragem o meu caminho.

Oh! poderosa Santa Rita, sede minha protetora. Amém.

Súplica a Santa Rita de Cássia I

Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo - Amém.

Oh! gloriosa Santa Rita, uma prece fervorosa brota espontaneamente do nosso coração neste dia consagrado a vós pela Igreja, nossa Mãe.

Nesta hora solene, na qual milhares de corações se dirigem a vós cheios de fé e santa confiança de experimentarem vossa celeste proteção, eu também uno minha prece ao Sacratíssimo Coração de Jesus e à sua Mãe Maria Imaculada, para obter as graças de que tanto preciso.

Oh! grande Santa da Igreja de Deus, não será possível que minha confiança em vosso patrocínio seja frustrada!

Não sois vós aquela que o povo denomina a Santa dos Impossíveis, a advogada dos casos desesperados?

Eu justamente me acho em tão tristes condições por causa dos meus pecados!

Não afasteis de mim o vosso olhar, não me fecheis o coração; eu estou certo que experimentarei a vossa poderosa intercessão.

Reconheço-me indigno por causa dos meus pecados;

pois bem, mostrai a vossa caridade, o vosso grande amor, obtendo-me a salvação para a minha alma.

Esta é a graça que principalmente peço a Deus pela vossa intercessão, neste dia comemorativo da vossa entrada no Paraíso.

Com esta graça, alcançai-me também as outras, que me são necessárias, segundo a vontade divina.

Oh! boa Santa Rita, recebei os meus votos, ouvi os meus gemidos, enxugai as minhas lágrimas e eu também proclamarei ao mundo o amor de Deus (aqui se apresenta o pedido a Deus por meio da Santa Rita de Cássia, que certamente será atendido)

Neste dia de glória, no qual aumenta e mais viva se faz a confiança no Vosso patrocínio, peço-vos: obtende de Deus a bênção que imploro, para mim, para os presentes, para o Vigário de Jesus Cristo, o Episcopado Católico, o Sacerdócio, para os vossos Religiosos, Irmãos e Irmãs de hábito, que formam a ordem do grande Santo Agostinho, para os benfeitores do vosso Santuário e Mosteiro de Cássia, para os propagadores do vosso culto, para os enfermos, os pobres, os aflitos, os pecadores, para todos e para as Almas do Purgatório.

Oh! Santa Rita, esposa amabilíssima de Jesus Crucificado, de quem recebestes como dom um espinho de sua sacratíssima coroa, neste dia de triunfo ajudai-me e com vossa proteção acompanhai-me até a hora da minha morte. Assim seja.

Súplica a Santa Rita de Cássia II

Oh! poderosa e gloriosa Santa Rita, eis a vossos pés uma alma desamparada que, necessitando de auxílio, a vós recorre com a doce esperança de ser atendida.

Por causa da minha indignidade e de minhas infidelidades passadas, não ouso esperar que minhas preces cheguem a mover o coração de Deus e é por isto que sinto a necessidade de uma medianeira toda poderosa, e foi a vós que me dirigi, Santa Rita, com o incomparável título de “Santa das Causas Impossíveis e Desesperadas”.

Oh! Santa Rita, interessai-vos pela minha causa, intercedei junto a Deus para que me conceda a graça de que tanto necessito e que ardentemente desejo. (fazer o pedido)

Não permitais que me afaste de vossos pés sem ser atendido. Se houver em mim algum obstáculo que me impeça de obter a graça que imploro, auxiliai-me para que o afaste; envolvei minha prece em vossos preciosos méritos e apresentai-a a vosso celeste esposo em união com a vossa.

Assim, enriquecida por vós, esposa fidelíssima entre as mais fiéis, por vós que sentistes as dores da sua paixão, como poderá Deus repeli-la ou deixar de atendê-la?

Oh! cara Santa Rita, que jamais diminua a confiança e esperança que em vós coloquei; fazei com que não seja vã a minha súplica; obtende-me de Deus o que peço; a todos farei, então, conhecer a bondade do vosso coração e a onipotência da vossa intercessão.

E vós, coração admirável de Jesus, que sempre vos mostrastes tão sensível às menores misérias da humanidade, deixai-vos enternecer pelas minhas necessidades e, sem olhar minha fraqueza e indignidade, concedei-me a graça que tanto desejo e que por mim e comigo vos pede vossa fiel esposa Santa Rita.

Oh! sim, pela fidelidade com que Santa Rita sempre correspondeu à graça divina, por todos esses dons com os quais quisestes cumular sua alma, por tudo quanto sofreu em sua vida de esposa, de mãe, e como participante de vossa dolorosa paixão, concedei-me esta graça que me é tão necessária.

E vós, Oh! Virgem Maria, como nossa boa Mãe do céu, depositária dos tesouros divinos e dispensadora de todas as graças, sustentai com vossa poderosa intercessão a de vossa grande devota Santa Rita, para me alcançar de Deus a graça desejada. Assim seja!

Oração para a proteção do lar

Poderosa Santa Rita, a quem Deus constituiu Auxiliadora dos Cristãos, nós vos escolhemos como Senhora e Protetora desta casa. Dignai-vos mostrar aqui o vosso poderoso auxílio. Preservai esta casa de todo perigo: do incêndio, da inundação, do raio, das tempestades, dos ladrões, dos malfeitores, da guerra e de todas as outras calamidades que conheceis.

Abençoai, protegei, defendei e guardai como coisa vossa as pessoas que vivem nesta casa.

Sobretudo, concedei-lhes a graça mais importante: a de viverem sempre na amizade de Deus, evitando o pecado.

Dai-lhes a fé que tivestes na Palavra de Deus e o amor que nutristes para com o vosso Salvador Jesus Cristo e para com todos aqueles pelos quais Ele morreu na cruz.

Gloriosa Santa Rita, rogai por todos os que moram nesta casa que vos foi consagrada. Amém!

Oração de agradecimento a Santa Rita
É com o coração profundamente comovido e perturbado que hoje venho a vós, Oh! gloriosa e poderosa Santa Rita.

Na hora do perigo, no momento em que estava ameaçada a minha felicidade e a dos que me são caros, a vós roguei com a alma aflita e cheia de apreensão.

A vós supliquei, a vós que todos chamam de Santa dos Impossíveis, Advogada nos Casos Desesperados, Refúgio na Última Hora.

Não foi iludida a minha confiança em vós.

Agora volto a vós, não mais com as lágrimas do sofrimento nos olhos, mas com alegria e serenidade no coração, para vos ofertar meu infinito reconhecimento.

Esta alegria, esta serenidade, a vós as devo, cara Santa, a vós que intercedestes em meu favor junto a Deus, apesar da minha indignidade, e me alcançastes a graça desejada.

Quisera poder melhor exprimir-vos o profundo sentimento de gratidão que enche meu coração, Oh! Santa milagrosa, Oh! consoladora dos aflitos, mas a própria emoção causada pela felicidade de ter obtido esta graça paralisa minhas expressões e somente sei murmurar: graças vos dou, muitas graças, mil graças, Santa Rita.

Para vos demonstrar, então, de maneira mais eficaz meu infinito reconhecimento, prometo-vos propagar com zelo cada vez maior o vosso culto, fazer-vos amada por aqueles que não vos conhecem ainda e que não têm, como eu, a felicidade de ter experimentado vossa infinita benevolência.

Prometo-vos auxiliar, segundo as minhas possibilidades, a manutenção do vosso culto e participar, sempre que possível, das cerimônias celebradas em vossa honra. Para tornar-me sempre mais digno do auxílio do céu e da vossa santa proteção, tomo a partir de hoje a resolução de cumprir com maior zelo e fervor os meus deveres cristãos.

Oh! cara Santa Rita, a vós confio o cuidado de apresentar a Deus estas sinceras resoluções e de lhe agradecer por mim a graça generosamente concedida.

Dignai-vos, enfim, não me desamparar jamais e continuai a dispensar-me vossa santa e ativa proteção, a fim de que possa um dia encontrar-vos no céu e dizer-vos melhor todo o meu reconhecimento. Amém!

Oração para pedir uma graça:

Santa do impossível, Oh! Santa Patrona dos necessitados, Santa Rita, cujas preces ante o Divino Senhor são quase irresistíveis, quem pela generosidade em outorgar favores tem sido chamada Mediadora dos Sem Esperança e inclusive do impossível;

Santa Rita, tão humilde, tão pura, tão mortificada, tão paciente e de tão compadecido amor por Jesus Crucificado que poderias obter dele qualquer coisa que peças.

Por conta disso recorremos confiantes a ti, esperando, se não sempre alívio, ao menos consolo.

Sede favorável ao nosso pedido, mostrando o poder de Deus em nome deste/a suplicante, sede generosa conosco, como o tem sido em tantos casos maravilhosos, para a maior Glória de Deus, pela divulgação de sua própria devoção, e pelo consolo daqueles que confiam em ti.

Prometemos, se nosso pedido for concedido, glorificar seu nome, informando do favor concedido, para bendizer e cantar tuas graças para sempre.

Confiando então nos méritos e poder ante o Sagrado Coração de Jesus, te rogamos:

(Mencione agora seu pedido)

Obtém para nós o nosso pedido:

Pelos singulares méritos de sua infância,

Pela perfeita união com a Divina Vontade,

Pelos heroicos sofrimentos durante sua vida de casada,

Pelo consolo que experimentaste com a conversão de seu esposo,

Pelo sacrifício de teus meninos antes de vê-los ofender gravemente a Deus,

Pela sua milagrosa entrada ao Convento,

Pelas austeras penitências e as sangrentas oferendas três vezes ao dia.

Pelo sofrimento causado pela ferida que recebeste com o espinho do Salvador Crucificado;

Pelo amor divino que consumiu seu coração,

Pela a notável devoção ao Sagrado Sacramento, com o qual viveste por quatro anos;

Pela felicidade com a qual partiste de tuas provas para se reunir com o Divino Esposo,

Pelo exemplo perfeito que deste as pessoas de cada estado de vida.

Oremos:

Oh! Deus, que em sua infinita ternura tem sido bondoso para escutar a prece de sua serva, Santa Rita, outorgas a sua suplica ao que é impossível, em recompensa de seu compadecido amor e firme confiança em sua promessa, tem piedade em nossa adversidade e socorrei-nos em nossas calamidades, que o fiel possa saber que seu sois a recompensa do humilde, a defesa dos sem esperança, e a força daqueles que confiam em vósi através de Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém

Oração para os casos desesperados

Oh! poderosa Santa Rita, chamada Advogada dos casos desesperados, socorro na última esperança, refúgio e salvação na dor e no desespero: com toda a confiança em seu celestial poder, recorro a ti no caso difícil e imprevisto que oprime dolorosamente meu coração.

Diga-me, oh! Santa Rita, não vais me ajudar? não vais me socorrer? Vais afastar seu olhar e sua piedade de meu coração, tão sumamente atribulado? Tu também sabes o que é o martírio do coração, tão sumamente atribulado! Pelas atrozes penas, pelas amargas lágrimas que santamente derramaste, vem em minha ajuda.

Falai, rogai, intercedei por mim, que não me atrevo a fazê-lo, ao Coração de Deus, Pai de misericórdia e fonte de toda consolação, e consegue-me a graça que desejo (Diga aqui a graça desejada).

Se apresentada minha prece é seguro que serei atendido: e eu me valerei deste favor para melhorar minha vida e meus costumes, para cantar na terra e no céu as misericórdias divinas.

Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória.

FONTE: soutodoteumariatuestodaminha

quinta-feira, 22 de maio de 2014

Ladainha de Santa Rita






Ladainha de Santa Rita

Senhor, compadecei-vos de nós!

Cristo, compadecei-vos de nós!

Senhor, compadecei-vos de nós!

Cristo, ouvi-nos!

Cristo, escutai-nos!

Pai celestial, que sois Deus, tende misericórdia de nós!

Filho, Redentor do mundo, que sois Deus, tende misericórdia de nós!

Espírito Santo que sois Deus, tende misericórdia de nós!

Trindade Santa, que sois um só Deus, tende misericórdia de nós!

Santa Maria, rogai por nós!

Santa Mãe de Deus, rogai por nós!

Santa Virgem das virgens, rogai por nós!

Santa Rita, sol luminoso para guiar ao porto da salvação, rogai por nós!

Santa Rita, intercessora dos aflitos, rogai por nós!

Santa Rita, Anjo de caridade, rogai por nós!

Santa Rita, serafim inflamado no amor divino, rogai por nós!

Santa Rita, modelo exemplar das esposas, rogai por nós!

Santa Rita, coroada com os espinhos de Cristo crucificado, rogai por nós!

Santa Rita, valioso auxílio em todas as necessidades, rogai por nós!

Santa Rita, sol brilhante da Igreja católica, rogai por nós!

Pelo inexplicável alegria que tivestes no dia da vossa profissão, amparai esta súplica!

Pelas particulares consolações que gozou a vossa alma amparai esta súplica!

Pelas graças que recebestes do Santíssimo Sacramento da Eucaristia, amparai esta súplica!

Pela cruz de um marido incompatível, amparai esta súplica!

Pelas dores crudelíssimas que sofrestes em vossa fronte, amparai esta súplica!

Por todas as vossa tribulações amparai esta súplica!

Pela vossa vida paciente, penitente e solitária, amparai esta súplica!

Vós, cujo crucificado foi um trono da majestade divina amparai esta súplica!

Vós que, sendo uma criatura terrena, pareceis um querubim celeste, amparai esta súplica!

Vós que recebestes o poder de triunfar os impossíveis amparai esta súplica!

Vós que sois a consoladora dos necessitados, amparai esta súplica!

Vós que fostes assinalada com o selo de Jesus Cristo, amparai esta súplica!

Vós que tudo podeis junto a Jesus e Maria, amparai esta súplica!

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos Senhor!

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos Senhor!

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende misericórdia de nós!

V. Assinalastes, Senhor, a vossa serva Rita.

R. Com o sinal de vossa caridade e paixão.

Oremos:

Deus, que vos dignastes conferir à Santa Rita tamanha graça que, havendo ela vos imitado no amor aos seus inimigos, trouxe no coração e na fronte os sinais de vossa caridade e sofrimento, concedei-nos vo-lo suplicamos, que pela sua intercessão e merecimento de Santa Rita, amemos os nossos inimigos e com espinho da compunção, perenemente contemplemos as dores de vossa paixão e mereçamos receber a recompensa prometida aos mansos e humildes. Amém.

fonte: soutodoteutuestodaminha

Novena contra a Depressão


Oração para todos os dias

ATO DE FÉ

 Eu creio Senhor que sois Deus Pai todo-poderoso, Criador do céu e da terra. Eu creio em Jesus Cristo Salvador de todo gênero humano. Eu creio no Divino Espírito Santo santificador.

Senhor hoje pedimos a graça da libertação da depressão por nós e por aqueles cujos nomes neste momento lembramos...

(diga os nomes...)

Em nome de Jesus liberta-me Senhor da depressão.Em nome de Jesus liberta-me da angústia.
Em nome de Jesus liberta-me da ansiedade.

Senhor que o Teu poder libertador, livre e liberte o espírito da depressão retirando todas as amarras e todasas formas de manifestação da angústia. Cure Senhor onde esse mal se instalou, arranque pela raiz esse problema, cure as lembranças dolorosas, os traumas, ressentimentos e as marcas negativas.

Senhor Deus, que a alegria transborde profundamente em meu ser. Com Teu poder e em nome de Jesus,refaça minha história, meu passado e meu presente. Livra-me Senhor de todo o mal, e que nos momentos de solidão, de descaso e de rejeição, eu seja curado e libertado na Tua presença.

Eu renuncio no poder libertador de Nosso Senhor Jesus Cristo, ao medo, à incerteza, à desesperança e me apego em Teu poder Senhor, em Tua graça, em Tua bênção.

Dai-me Senhor a graça da libertação da depressão.Dai-me Senhor a graça da libertação da angústia.
Dai-me Senhor a graça da libertação da ansiedade.

Amém.


http://www.padrereginaldomanzotti.org.br/capela_virtual/novenas_virtuais/contra-a-depressao/oracao-1.html

Santa dos Impossíveis e Advogada das Causas Perdidas.

Santa Rita de Cássia


Exemplo de virtude em todos os estados de vida pelos quais passou. Sua intercessão é tão poderosa, que se tornou advogada de pessoas com problemas insolúveis

Dedicação e amor a Deus talvez sejam as qualidades que mais definam o caráter de Santa Rita de Cássia; essa mulher humaníssima agüentou como poucos a “tragédia da dor e da miséria, moral e social”.

Rita nasceu na Úmbria, bispado de Espoletoem Roccaporena um pequeno povoado de Cásscia (Província de Perúgia) na Itália no dia 22 de maio de 1381.
Seus pais, Antonio Mancini e Amata Serri, ambos católicos praticantes, já eram de idade provavelmente casaram em 1339 e tiveram sua única filha, Rita, depois de mais de 40 anos de casados. Seu nascimento foi um grande milagre. Foi batizada, e recebeu a primeira Eucaristia na Igreja de Santa Maria dos Pobres, em Cássia.

Conta uma história que, certa vez, seus pais a levaram para o campo e, enquanto trabalhavam na roça em seus afazeres, deixaram a recém-nascida debaixo de uma árvore, na sombra num berço dormindo. Um enxame de abelhas brancas como a neve voou até a menina e girava em torno de seus lábios, como se fossem flores das mais perfumadas.
Um homem que passava por ali, e que tinha pouco antes ferido a mão, ao ver Rita e as abelhas, gritou assustado aos seus pais. As abelhas foram embora e o homem teve a mão curada naquele mesmo instante.

O CASAMENTO FORÇADO E INFELIZ.

Foi num lar católico que Rita cresceu. Antonio e Amata a educaram na fé em casa, e a ensinaram a rezar. Desde a infância, ela demonstrou uma grande afeição a Nossa Senhora e a Jesus Crucificado.
Na adolescência os 12 anos, tinha um desejo intenso de consagrar-se a Deus na vida religiosa. Em Cássia havia um mosteiro das monjas agostinianas. Seus pais, porém, já idosos, queriam que ela se cassasse.
 Seu temor a Deus e a obediência que mostrava ter aos seus pais a obrigaramrenunciar ao seu desejo de se entregar a religião e se fechar em um convento, para aceitar abraçar o matrimônio com um jovem rapaz da religião, tido como violento daqueles que “não levava desaforo pra casa”, chamado Paulo Ferdinando.
Rita foi obediente, casou-se. Ele se embriagava com freqüência, brigava com os amigos e, chegando em casa, espancava Rita. Houve uma ocasião em que Rita esteve à beira da morte de tanto apanhar do marido.
         Foram muitas as vezes em que Rita não foi à igreja porque Paulo Ferdinando a impediu de ir. Ela, contudo, rezava por ele diante do crucifixo, pedindo pela conversão.

Durante o seu matrimônio, Santa Rita de Cássia era uma mulher doce, preocupada com o bem-estar de seu marido. Mesmo consciente de seu caráter violento, sofria, mas rezava em silêncio, oferecia tudo a Deus.
A bondade de Santa Rita de Cássia era tão aparente que seu marido foi contagiado por ela. Passado um tempo, e perseverando Rita na oração pelo seu marido, Paulo Ferdinando caiu aos seus pés, pediu perdão a ela e a Deus, e mudou sua vida e seus costumes. Rita feliz, agradeceu a graça recebida.

Rita e Paulo Ferdinando tiveram dois filhos: Tiago Antonio e Paulo Maria. Ambos foram educados na fé por seus pais e, com Rita, constantemente saíam de casa para visitar os enfermos e os pobres.


SOFRIMENTO DESDE JOVEM.


Em 1402 morreram Antonio e Amata, pais de Rita. Seu pai morreu aos 19 de março e sua mãe aos 25 do mesmo mês, com 90 anos.
Logo depois, alguns antigos inimigos de Paulo Ferdinando, por vingança o assassinaram. Os filhos, já crescidos, e influenciados por amigos, planejaram vingar a morte do pai.
Rita, ao saber do desejo dos filhos Rezou, pedindo a Deus que tirasse este desejo do coração de seus filhos, ou, se fosse vontade divina, que os levasse para a glória do Céu para obterem a salvação, mas que não fossem assassinos. Deus ouviu suas preces, ambos adoeceram, e Rita cuidou deles com amor. Depois de pouco tempo, Tiago Antonio e Paulo Maria morreram.

A mãe carregou no coração a grande dor da perda dos pais, do marido e dos filhos sem perder a fé. Perdoou publicamente os assassinos de Paulo Fernando.


A SOLIDÃO NO MUNDO.

Sozinha no mundo, Rita transformou-se numa mulher de oração. Além do trabalho doméstico, ela continuava a visitar os enfermos e os pobres.
Participava da missa no mosteiro das agostinianas. Um dia, procurou a superiora e pediu-lhe para ingressar na ordem, mas não foi aceita. Provavelmente, por ser viúva e não ser mais virgem. As irmãs tinham medo também dos inimigos de Paulo Fernando, já que eles continuavam a ameaçar Rita. Por três vezes Rita pediu para ser admitida no mosteiro, e por três vezes ouviu o “não” da superiora. Rita vivia em casa, sozinha.


MOSTEIRO DAS IRMÃS AGOSTINIANAS

Vivendo em casa, Rita vivia como se estivesse no mosteiro.
Num dia, a noite em profunda oração, ouviu um chamado: "Rita! Rita!". Abriu a porta e eram três homens que foram à sua casa. Ao acolhe-los, ela os reconheceu. Eram os seus três santos protetores: São João Batista, Santo Agostinho e São Nicolau de Tolentino.
Levantou-se e seguiu seus santos protetores. Era noite, e a porta do convento estava fortemente trancada. Eles então a levaram no interior do mosteiro das agostinianas, em Cássia.Ao amanhecer, as religiosas agostinianas ficaram estupefatas ao verem Rita, na capela do convento, rezando, sendo que a porta estava fechada.
As religiosas, a começar pela superiora, ficaram pasma com a presença de Rita, mesmo estando fechadas as portas do mosteiro. Vendo que era Deus que destinava à vida religiosa, a recebera na Ordem. Há quem veja o acontecimento afirmado que, ao ser aceita no mosteiro, Rita atribuiu a graça aos seus santos protetores.
No mosteiro, Rita mostrou-se serviçal e contemplativa. Ao mesmo tempo em que estava disponível às irmãs, servindo-as, também estava em constante oração, passando muitas horas diante de Jesus crucificado. Mesmo no mosteiro, continuou a sair para visitar os enfermos e os pobres. Enfrentou dificuldades e tentações; a tudo superou na força da fé.


OBEDIÊNCIA TAMBÉM NO CONVENTO.

Consciente de que obedecendo à superiora, obedeceria a Jesus.
Certo dia, a superiora, para pô-la a prova, pediu-lhe que, todos os dias, regasse um galho seco pela manhã e à tarde. Em sinal de obediência, Rita o fez com todo o carinho e, tempos depois, milagrosamente, o galho seco se transformou em uma bela videira. Esta ainda existe, em Cássia, e continua produzindo uvas.



O ESPINHO DA COROA DE JESUS.

A devoção a Jesus crucificado sempre foi uma constante na vida de Rita. No ano de 1443, Tiago della Marca- depois canonizado – pregou um retiro em Cássia sobre a Paixão e a Morte de Jesus.
Voltando para o mosteiro depois de uma das pregações, Rita prostrou-se diante do crucifixo, na capela, e pediu para participar de alguma forma, da Paixão do Senhor. Foi quando um espinho da coroa de Cristo se destacou e feriu profundamente sua fronte, e ela desmaiou. Ao acordar, tinha uma ferida na testa. Com o tempo, essa ferida tornou-se mal-cheirosa. Rita então passou a viver numa cela à parte, distante das demais monjas; uma religiosa levava alimento a ela, diariamente. A ferida causava muitas dores; tudo ela oferecia a Deus. Por 15 anos Rita carregou consigo a marca feita pelo espinho da coroa de Cristo.


CURAS E PEDIDOS.

O povo de Cássia, atento ao que acontecia no mosteiro, percebeu que havia algo de diferente em Rita. Muitos Ian até ela e pediam a sua intercessão, e eram atendidos. Em pouco tempo sua fama de santidade se espalhou pela região.


A PEREGRINAÇÃO A ROMA.

Em 1450 o papa Nicolau V proclamou o Ano Santo. De toda parte pessoas iam a Roma em busca de indulgências. As monjas agostinianas de Cássia tomaram a decisão de ir a Roma. Rita queria receber as indulgências plenárias - perdão de todos os pecados - mas, devido a ferida fétida e por estar doente, não obteve da superiora permissão para participar da peregrinação. Diante do crucifixo, ela rezou, pediu a Jesus que retirasse temporariamente a ferida de sua fronte, mas mantivesse a dor para que pudesse ir a Roma. E conseguiu tal milagre. Rita foi a Roma, viu o Papa, obteve as indulgências, visitou os túmulos de Pedro e Paulo e outros lugares sagrados (igrejas). A viagem foi difícil, em parte feita a pé. Rita em nenhum momento perdeu a coragem e o ânimo. Ela estava, então, com 60 anos e, durante toda peregrinação, sentiu a dor do espinho (na fronte). Ao retornar a Cássia, a ferida voltou a se abrir, e a cada dia mais pessoas a visitavam para pedir a sua intercessão diante de Deus.


O ENFRAQUECIMENTO DO CORPO.

Aos poucos a saúde de Rita foi se debilitando, até o momento em que já não mais se alimentava, vivendo apenas da Eucaristia. Permaneceu doente por quatro anos, até a morte.


O MILAGRE DA ROSA.

Já no leito de morte uma parente de Rita a visitou no inverno, quando tudo estava coberto pela neve. Ao se despedir, a parente perguntou se Rita queria algo. Ela disse que sim, e pediu uma rosa do jardim de sua antiga casa, em Roccaporena. A parente julgou que ela estava delirando; desde quando havia rosas no inverno? Para atender o pedido foi em sua antiga casa e chegando em sua vila, a surpresa: Milagrosamente em meio à neve, havia uma rosa magnífica! A parente a colheu e levou para Rita, que agradeceu a Deus por Sua bondade.


A MORTE DE SANTA RITA.

Com o corpo debilitado pela falta de alimento, Rita pediu o Viático e recebeu a Unção dos Enfermos. O tempo todo tinha, sobre o peito, um crucifixo. Morreu no dia 22 de maio de 1457, aos 76 anos de idade, e tendo passado 40 anos no mosteiro. A ferida em sua fronte cicatrizou assim que ela morreu e, em lugar do mau cheiro, passou a exalar um suave perfume. Seu rosto tornou-se sorridente, como quem está pleno de contentamento.

CORPO DE SANTA RITA APÓS A MORTE.

Uma grande multidão acorreu ao oratório do mosteiro, para velar o seu corpo. No local da ferida, apenas a marca do que fora o sinal provocado pelo espinho. Todos olhavam para ela admirados, e louvavam a Deus. Já era tida como santa pelo povo. Rita não foi sepultada; seu corpo ficou exposto no oratório até 1595, ocasião em que foi transladado para a igreja anexa ao mosteiro, hoje dedicado a ela. O seu corpo permanece intacto.

OS MILAGRES.

Muitos fatos extraordinários e milagres de Deus são atribuídos à intercessão de Santa Rita, conhecida como a SANTA DOS IMPOSSÍVEIS.
São muitas as pessoas que visitam a capela onde Rita recebeu o espinho da coroa de Cristo, bem como a igreja de Cássia, onde está o seu corpo. São inúmeros os testemunhos de conversão, milagres e curas.


A DEVOÇÃO MUNDIAL

A devoção a Rita não ficou restrita a Cássia, nem a Itália. Espalhou-se por todo o mundo. Muitas são as igrejas dedicadas a ela.


A CANONIZAÇÃO DE SANTA RITA.

Rita foi beatificada duzentos anos depois de sua morte, em 1628. O papa Leão XIII, aos 24 de maio de 1900, a canonizou.


SOCIEDADE DAS OBRAS DE CARIDADE

Um ano após a canonização de Rita, o padre Salvador Font, da Ordem dos Agostinianos, fundou a Sociedade das Obras de Caridade de Santa Rita. São senhoras que recolhem donativos e costuram roupas com as próprias mãos, para depois oferecê-las aos enfermos e pobres. São imitadoras e discípulas de Santa Rita.


AS LIÇÕES DEIXADAS POR RITA.


Eis algumas dentre muitas outras lições que podemos tirar da vida de Santa Rita de Cássia:

1. Ela colocou a vontade de Deus acima de tudo;
2. Ela foi perseverante na oração e no perdão;
3. Ela sempre esteve a serviço dos enfermos e dos pobres;
4. Ela foi fiel à Igreja;
5. Ela amou a sua família;
6. Ela transformou o sofrimento em amadurecimento humano e espiritual;
7. Ela praticou o jejum como caminho para a doação ao próximo e como comunhão com Deus;
8. Ela alimentava-se da Eucaristia, de onde tirava coragem e força;
9. Ela acreditou no amor de Deus em todos os momentos da vida e, Ela nunca se cansou de interceder por aqueles que pediam a sua intercessão.


“Rita foi reconhecida ‘santa’ não tanto pela fama dos milagres que a devoção popular atribui à eficácia de sua intercessão junto de Deus todo-poderoso, porém, muito mais pela sua assombrosa ‘normalidade’ da existência quotidiana, por ela vivida como esposa e mãe, depois como viúva e enfim como monja agostiniana” (João Paulo II, no centenário da canonização de Santa Rita de Cássia).

http://www.derradeirasgracas.com/2.%20Segunda%20P%C3%A1gina/Santa%20Rita%20de%20C%C3%A1ssia.htm