quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Oração a Maria

Oração a Maria “Mulher, eis aí o teu Filho. Filho, eis aí a tua Mãe” (Jo 19,26) Estás na cruz. Estás nu, sem nada. Porém segues cuidando dos teus. Tu és, totalmente, uma dor, uma ferida imensa, mas ficas comovido com o pranto da tua Mãe, e te dói ver teu amigo na intempérie, sem que ninguém cuide de sua pequenez ameaçada. No berço e na cruz, sempre tua Mãe, aberta à dor e ao amor, aberta a Ti. Inclinas teus olhos e abres espaços de confiança. Olhas e percebes em tua Mãe a dor de quem ama. Olhas para ela uma e outra vez. Quantas vezes tens olhado para ela! Teu olhar, agora, se encontra com o dela. Olhas também para “quem tanto amas”,para todos os amigos do caminho. Desejas que Maria siga cantando suas canções, aquelas que Te ensinou quando crescias. Quando nos vês pobres como somos, podes dizer a Maria: “Mulher, eis aí os teus filhos”.Quando nos vês pobres como somos, podes nos dizer:”Eis aí a vossa Mãe”.Obrigado, Senhor, pelo presente de tua Mãe. Obrigado, Senhor, pelo presente de tua Igreja-Mãe. Ela nos acompanha no caminho até colocar um amém em nossos lábios, nas mãos do Pai.

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

O silêncio de Maria



A Santíssima Virgem Maria avançou no caminho da fé, e conservou fielmente a união com seu filho até a cruz, junto da qual, por desígnio de Deus, se manteve de pé (LG 58).

A virtude de Maria que é mais explicitada nas Escrituras é o silêncio. Às demais, o leitor e o pesquisador são levados a intuir, a concluir. Sobre o silêncio não. Em mais de uma oportunidade o hagiógrafo afirma claramente ...Maria guardava fielmente essas coisas no silêncio de seu coração (cf. Lc 2, 19. 51)

Esse silêncio é outro exemplo que conseguimos colher, através da imagem da porta que teria ficado aberta. Maria nunca perguntou mais que o necessário; jamais tentou negociar, ou sair pela tangente. Mesmo sem conhecer o magnífico projeto, do qual fazia parte, sempre confiou, sempre se entregou e se deixou levar por sua fé e sua exemplar disponibilidade. A doação de Maria foi benéfica à encarnação. É de São Metódio († 884), o apóstolo dos eslavos um texto que aborda o rico conteúdo da participação de Maria no mistério da salvação: Todos os homens, Senhor, te são devedores, mas tu és devedor a uma mulher que na sua pobreza recebeu o teu Verbo, enriquecendo a humanidade toda. Por isso muitos declaram Maria co-autora da salvação. Hoje, inexplicavelmente, alguns teólogos e escritores modernos, especialmente da Europa, tentam pintar Maria como uma menina bobinha, alienada e sem vontade própria. Eles estão enganados! Embora uma adolescente, a fé que trazia em seu coração, a confiança que depositava em seu Deus, tornava-a adulta em determinação e coragem para decidir, e essas virtudes, entre tantas outras, valeram-lhe o título de bem-aventurada (cf. Lc 1, 42). Como afirma Carmen Galvão, "gloriosa no céu, ela atua na terra, participando do reinado do ressuscitado, cuidando com amor materno de nós, irmãos de seu filho amado, enquanto ainda peregrinamos nesta vida (...) Maria é a mulher admirável, cuja missão de mãe, amiga e defensora, perpassa os tempos, e sua imagem é encontrada nas Sagradas Escrituras desde o Gênese até o Apocalipse. De fato Maria falou pouco. Ela age até hoje!" (in: Tempo de Libertação. Ed. Paulinas, 1994).

terça-feira, 26 de novembro de 2013

Tudo se desmancha no ar

"As nuvens mudam sempre de posição, mas são sempre nuvens no céu. Assim devemos ser todo dia, mutantes, porém, leais com o que pensamos e sonhamos; lembre-se, tudo se desmancha no ar, menos os pensamentos."     
(Paulo Baleki)

Vencendo a si mesmo

"Jesus nos ensina que a PAZ é fruto de vitórias. Não de vitórias sobre os inimigos, mas sobre si mesmo. Obtêm-se quando a pessoa se regenera a si mesma, vencendo a própria soberba, a própria violência e a ira."
(Raniero Catalemessa)

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Santa Catarina de Alexandria

Neste dia lembramos a vida desta santa que é inspiradora e protetora de um Estado brasileiro: Santa Catarina. Nascida em Alexandria, recebeu uma ótima formação cristã. É uma das mais célebres mártires dos primeiros séculos, um dos Santos Auxiliadores. O pai, diz a lenda, era Costes, rei de Alexandria. Ela própria era, aos 17 anos, a mais bonita e a mais sábia das jovens de todo o império; esta sabedoria levou-a a ser muitas vezes invocada pelos estudantes. Anunciou que desejava casar-se, contanto que fosse com um príncipe tão belo e tão sábio como ela. Esta segunda condição embargou que se apresentasse qualquer pretendente. "Será a Virgem Maria que te procurará o noivo sonhado", disse-lhe o ermitão Ananias, que tinha revelações. Maria aparece, de fato, a Catarina na noite seguinte, trazendo o Menino Jesus pela mão. "Gostas tu d'Ele?", perguntou Maria. -"Oh, sim". -"E tu, Jesus, gostas dela?" -"Não gosto, é muito feia". Catarina foi logo ter com Ananias: "Ele acha que sou feia", disse chorando. -"Não é o teu corpo, é a tua alma orgulhosa que Lhe desagrada", respondeu o eremita. Este instruiu-a sobre as verdades da fé, batizou-a e tornou-a humilde; depois disto, tendo-a Jesus encontrado bela, a Virgem Santíssima meteu aos dois o anel no dedo; foi isto que se ficou chamando desde então o "casamento místico de Santa Catarina". Ansiosa de ir ter com o seu Esposo celestial, Catarina ficou pensando unicamente no martírio. Conta-se que ela apresentou-se em nome de Deus, diante do perseguidor, imperador Maxêncio, a fim de repreendê-lo por perseguir aos cristãos e demonstrar a irracionalidade e inutilidade da religião pagã. Santa Catarina, conduzida pelo Espírito Santo e com sabedoria, conseguiu demonstrar a beleza do seguimento de Jesus na sua Igreja. Incapaz de lhe responder, Maxêncio reuniu para a confundir os 50 melhores filósofos da província que, além de se contradizerem, curvaram-se para a Verdade e converteram-se ao Cristianismo, isto tudo para a infelicidade do terrível imperador. Maxêncio mandou os filósofos serem queimados vivos, assim como à sua mulher Augusta, ao ajudante de campo Porfírio e a duzendos oficiais que, depois de ouvirem Catarina, tinham-se proclamado cristãos. Após a morte destes, Santa Catarina foi provada na dor e aprovada por Deus no martírio, tendo sido sacrificada numa máquina com quatro rodas, armadas de pontas e de serras. Isto aconteceu por volta do ano 305. O seu culto parece ter irradiado do Monte Sinai; a festa foi incluída no calendário pelo Papa João XXII (1316-1334).

sábado, 23 de novembro de 2013

Mais uma resposta católica à um equívoco grave dos protestantes contra a Mãe do Salvador, Nossa Senhora!


Maria pecou, porque Romanos 3:23 diz:  ”Todos pecaram e carecem da glória de Deus. ” Primeira carta de  João 1:8 acrescenta:
“Se alguém diz que não tem pecado é mentiroso e a verdade não está nele”. Estes textos não poderiam ser mais clarospara milhões de protestantes, será que os Católicos não percebem isso? Como alguém poderia acreditar que Maria estava livre de todo pecado à luz dessas passagens da Escritura, ainda mais quando a própria Maria disse: “A minha alma se alegra em Deus, meu Salvador em Lucas 1:47 . Maria compreendia claramente ser uma pecadora e admite precisar de um salvador!!
A resposta católica
Muitos protestantes ficariam surpresos ao descobrirem que a Igreja Católica, na verdade, concorda que Maria foi “salva”. De fato, Maria precisava de um salvador! No entanto, Maria foi “salva” do pecado de uma forma mais sublime. Ela foi dada a graça de ser “salva” completamente do pecado , para que ela nunca cometeu a menor transgressão. Os protestantes tendem a enfatizar a “salvação” de Deus quase que exclusivamente para o perdão dos pecados realmente cometidos . No entanto , a Sagrada Escritura indica que a salvação também pode se referir ao homem  no sentido de protegê-lo do pecado antes do fato :
Ora, àquele que é poderoso para vos guardar de tropeçar e apresentar-vos irrepreensíveis diante da presença de sua glória , com alegria , ao único Deus , nosso Salvador , por Jesus Cristo nosso Senhor, glória, majestade , domínio e poder, antes de todos os tempos e agora e para sempre. (Judas 24-25)
Seiscentos anos atrás, o grande teólogo franciscano Duns Scotus explicou que a queda no pecado poderia ser comparada a um homem se aproximando inadvertidamente à uma vala profunda. Se ele cai na vala , ele precisa de alguém para baixar uma corda e salvá-lo. Mas se alguém avisá-lo do perigo à frente , impedindo o homem de cair na vala em tudo, ele seria salvo de cair em primeiro lugar . Da mesma forma, Maria foi salva do pecado , recebendo a graça de ser preservada a partir dele. Mas ela ainda foi salva .
Todos pecaram, exceto …
Mas o que dizer “todos pecaram ” ( Rom. 3:23 ), e “se alguém diz que não tem pecado é mentiroso e a verdade não está nele ” (1 João 1:8 ) ? Não seria ” tudo ” e ” qualquer homem ” incluindo Maria? Em princípio, isso soa razoável e parece lógico. Mas esta maneira de pensar levada à sua conclusão lógica seria listar TODOS, inclusive Jesus Cristo, em companhia dos pecadores bem . Nenhum cristão fiel ousaria dizer isso. No entanto, nenhum cristão pode negar os textos claros da Escritura declarando plena humanidade de Cristo também. Assim, para tomar 1 João 1:8 em um sentido estrito, literal seria aplicar ” qualquer homem ” a Jesus também, porque o texto diz TODOS, não diz: TODOS, exceto Jesus.
A verdade é que Jesus Cristo foi uma exceção a Romanos 3:23 e 1 João 1:8 . E a Bíblia nos diz que ele estava em Hebreus 4:15 : ” Cristo foi tentado em todos os pontos como nós somos e ainda assim ele estava sem pecado. “A questão agora é: Existem outras exceções a esta regra ? Sim, provavelmente milhões delas.
Tanto Romanos 3:23 e 1 João 1:9 lidam com pecado pessoal ao invés de pecado original. (Romanos 5 trata de pecado original. ) E há duas exceções a essa norma bíblica em geral. Mas, por agora , vamos simplesmente lidar com Romanos 3:23 e 1 João 1:8 . Primeira Carta de João 1:8 , obviamente, refere-se ao pecado pessoal porque no próximo verso , João nos diz: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados … ” Nós não confessamos o pecado original; confessarmos os pecados pessoais .
O contexto de Romanos 3:23 deixa claro que ele também se refere a pecado pessoal:
Não há justo , nem sequer um , ninguém entende , ninguém busque a Deus . Todos se extraviaram, e juntamente se fizeram de errado , ninguém faz o bem , nem um sequer . A sua garganta é um sepulcro aberto. Eles usam suas línguas para enganar. O veneno  está nos seus lábios . Sua boca está cheia de maldição e amargura. (Romanos 3:10-14 )
O pecado original não é algo que fazemos, é algo que herdamos . Romanos capítulo 3 lida com o pecado pessoal porque fala de pecados cometidos pelo pecador . Com isso em mente , considere o seguinte: Um bebê no útero ou uma criança de dois anos já cometeu um pecado pessoal? Não. Porque para pecar a pessoa tem que saber o ato que ele está prestes a realizar é pecaminoso, ao mesmo tempo  livremente engajar a sua vontade em realizá-lo.  Portanto, sem as faculdades adequadas que lhes permitam o pecado, as crianças antes de alcançarem a idade da responsabilidade  e da razão, bem como quem não tem o uso de seu intelecto e não pode pecar . Assim, existem e existiram milhões de exceções a Romanos 3:23 e 1 João 1:8!!!
Mas então podemos com isso concluir que a Bíblia mentiu ou errou? Claro que não, o mais provável é que a interpretação protestante, essa sim esteja em erro!! Pra negar isso o protestante deve necessariamente afirmar que um bebezinho recém nascido está incluído na palavra TODOS pecaram!
Ainda assim, como sabemos que Maria é uma exceção à norma do “todos pecaram” ? E mais importante, há apoio bíblico para essa afirmação? Sim , há muito apoio bíblico!
O nome já diz tudo
E [o anjo Gabriel ] veio à [ Maria ] e disse: “Ave, cheia de graça, o Senhor está contigo ! ” Mas ela ficou perturbada com a palavra , e considerado em sua mente que tipo de saudação seria essa . E o anjo disse -lhe: ” Não temas, Maria , pois achaste graça diante de Deus . ” (Lucas 1:28-30 )
Muitos protestantes insistirão este texto não passa de uma saudação comum do Arcanjo Gabriel a Maria.” O que isso tem a ver com Maria ser sem pecado? ” No entanto, a verdade é que, de acordo com a própria Maria , esta não era uma saudação comum. O texto revela Maria ter ficado “muito perturbada com o dito e considerou em sua mente que tipo de saudação seria essa” (Lucas 1:29 , ênfase adicionada) . O que havia nesta saudação que era tão incomum para Maria reagir desta maneira? Podemos considerar pelo menos dois aspectos chaves:
Primeiro , de acordo com os estudiosos bíblicos (bem como o Papa João Paulo II) , o anjo fez mais do que simplesmente cumprimentar Maria. O anjo realmente comunicou um novo nome ou título a ela. ( cf. Redemptoris Mater , 8, 9). Em grego, a saudação foi Kaire , kekaritomene , ou ” Ave, cheia de graça”. Geralmente, quando um outro recebidos com Kaire , um nome ou título seria encontrado no contexto imediato . “Salve, rei dos judeus ” em João 19:03 e ” Claudias Lysias , a Sua Excelência o governador Felix , saudação ” (Atos 23:26 ) são dois exemplos bíblicos deste . O fato de que o anjo substitui o nome de Maria na saudação por ” cheia de graça” não era nada comum. Isso seria análogo a alguém, por exemplo,  falar  um técnico do blog dizendo: “Olá, Ele Que Conserta Computadores. ” Na cultura hebraica , nomes e mudanças de nome nos dizem algo permanente sobre o caráter e a vocação daquele chamado. Apenas para ilustrar a importância deste ponto, vamos recordar as mudanças de nome de Abrão para Abraão ( de ” pai ” para ” pai das multidões ” ) em Gênesis 17:05 , Saray a Sarah ( ” minha princesa ” para ” princesa ” ) , em Gênesis 17:15 e Jacó Israel ( “suplantador ” para ” ele que prevalece com Deus ” ) em Gênesis 32:28 . Nome na era Bíblica, principalmente na cultura Hebraica era algo seríssimo, escolhido com critério e grande seriedade. Portanto, não se deixe levar pela frivolidade dos nossos tempos ao olhar para temas da Bíblia, isso é um grande erro cometido por amadores ao estudarem as escrituras.
Em cada caso, os nomes revelam algo permanente sobre o nomeado. Abraão e Sara transição de ser um “pai” e ” princesa ” de uma família para ser ” pai ” e ” princesa ” ou ” mãe” de todo o povo de Deus (cf. Rom 4:1-18 , é 51. . : 1-2). Eles se tornam patriarca e matriarca do povo de Deus para sempre. Jacó / Israel se torna patriarca cujo nome, ” ele que prevalece com Deus”, continua para sempre na Igreja , que é chamado de “o Israel de Deus” (Gl 6:16) . O povo de Deus sempre vai ” prevalecer com Deus ” na imagem do patriarca Jacob . Pedro, antes Simão, recebeu um nome Cephas (Petrus – Pedro), tornando-se a pedra. etc…
O que há em um nome ? Segundo as Escrituras, muito.
São Lucas usa o particípio passivo perfeito, kekaritomene , como o seu ” nome” para Maria. Esta palavra significa literalmente “aquela que foi agraciada” em um sentido completo.  Este adjetivo verbal, “agraciada “, não está apenas descrevendo uma ação simples passada. O Grego tem outro conjugação para esse sentido. O tempo perfeito é usado para indicar que uma ação foi concluída no passado, resultando em um estado atual de ser. “Cheia de graça ” é o nome de Maria. Então, o que isso nos diz sobre Maria ? Bem, a média cristã não é concluída em graça e em um sentido permanente ( ver Phil 3:8-12 . ). Mas de acordo com o anjo, Maria é . Você e eu pecamos , não por causa da graça, mas por causa de uma falta de graça , ou a falta de nossa cooperação com a graça, em nossas vidas.  Esta saudação do anjo é uma indicação para o caráter único e chamado da Mãe de Deus. Só à Maria é dado o nome de “cheia de graça” e no tempo perfeito , indicando que este estado permanente de Maria foi concluído.
Arca da Aliança ( Nova)
A Arca do Antigo Testamento da Aliança era um verdadeiro ícone do sagrado. Porque continha a presença de Deus simbolizada por três tipos de a vinda do Messias – o maná , os Dez Mandamentos, e Aarão da haste que tinha que ser pura e intocada pelo homem pecador (ver 2 Sam . 6:1-9 e Ex . 25:10 ss; Num 4:15). .
No Novo Testamento , a nova Arca não é um objeto inanimado , mas uma pessoa : a Mãe de Deus . Quanto mais pura seria a nova Arca ser quando consideramos a velha arca era uma mera “sombra” em relação a ele ( ver Hb 10:01 ). ? Esta imagem de Maria como a Arca da Aliança é um indicador de que Maria seria oportunamente ser livre de todo contágio do pecado para ser um vaso digno de levar Deus em seu ventre. E o mais importante , assim como a Arca da Antiga Aliança foi preservada desde o momento em que foi construída com instruções divinas explícitas em Êxodo 25 , de modo que Maria seja pura a partir do momento de sua concepção . Deus , em certo sentido, preparado sua própria moradia , tanto no Antigo como no Novo Testamento .
A Arca da Aliança continha três “tipos” de Jesus dentro : maná , a vara de Arão, e os Dez Mandamentos. Em hebraico, mandamento
(dabar ) pode ser traduzida como ” palavra”. Compare : Maria carregou a realização de todos esses tipos em seu corpo. Jesus é o ” verdadeiro [ maná ] do céu ” (João 6:32) , o verdadeiro ” sumo sacerdote ” (Hb 3:1) , e ” a palavra se fez carne ” (João 1:14) .
A nuvem de glória (hebraico Anan ) foi representativa do Espírito Santo, e ” ofuscou ” a Arca quando Moisés a consagrou em Ex . 40:32-33 . A palavra grega para “ofuscar ou ensombrar ” encontrada na Septuaginta é uma forma de episkiasei . Compare : ” O Espírito Santo virá sobre ti , e o poder do Altíssimo te encobrirá , por isso a criança que vai nascer será chamado santo, Filho de Deus” (Lucas 1:35 ) . A palavra grega para “ofuscar ” é episkiasei . David “pulou e dançou ” perante a Arca quando estava sendo levada para Jerusalém em procissão em 2 Sam . 6:14-16 . Compare : Assim que Isabel ouviu o som de saudação de Maria, João Batista ” pulou de alegria ” em seu ventre (cf. Lc 1:41-44 ) .
Após a manifestação do poder de Deus trabalhando através da Arca, David exclama: “Como é que a Arca do Senhor, vinde a mim ? ” Compare : Depois da revelação de Elizabeth sobre a verdadeira vocação de Maria, que estava carregando Deus em seu ventre , Isabel exclama: ” Por que me é dado , que a mãe do meu Senhor venha me visitar ? ” (Lucas 1:43)
A Arca do Senhor “permaneceu na casa de Obede-Edom … por três meses ” em 2 Samuel 6:11 . Compare:”Maria permaneceu com [ Isabel ] por cerca de três meses” ( Lucas 1:56 ) .
O Novo
É importante para nós lembrarmos que as realizações da Nova Aliança são sempre mais gloriosas e mais perfeitas do que os ‘tipos’ do Antigo Testamento, que são ” apenas uma sombra das boas coisas por vir” na Nova Aliança (Hb 10:1). Com isto em mente , vamos considerar a revelação de Maria como a “Nova Eva “. Após a queda de Adão e Eva em Gênesis 3 , Deus prometeu o advento de uma outra ” mulher ” em Gênesis 3:15 , ou uma “Nova Eva” que iria se opor Lúcifer, e cuja “semente” iria esmagar a cabeça dele. Esta ” mulher ” e ” a semente” iria reverter a maldição , por assim dizer , que o “homem ” original e “mulher ” trouxe à humanidade através de sua desobediência.
É mais importante aqui notar “Adão” e “Eva ” são revelados simplesmente como “o homem ” e ” mulher ” antes do nome da mulher ser mudado para ” Eva” ( hebraico, ” mãe dos viventes ” ) depois da queda ( veja Gn 02:21 ss). Quando , em seguida, olhar para a Nova Aliança , Jesus é explicitamente referido como o ” último Adão “, ou o “Novo Adão” em 1 Coríntios. 15:45 . E o próprio Jesus indica que Maria é a profética ” mulher ” ou ” Nova Eva” de Gênesis 3:15 , quando ele se refere à sua mãe como ” mulher ” em João 2:4 e 19:26 . Além disso , São João refere-se à Maria como “mulher ” oito vezes em Apocalipse 12 . Como a primeira Eva trouxe a morte a todos os seus filhos através da desobediência e atendendo as palavras da antiga serpente , o diabo, a “Nova Eva” do Apocalipse 12 traz vida e salvação a todos os seus filhos através de sua obediência. A mesma “serpente ” que enganou a mulher original do Genesis é revelado, em Apocalipse 12 , a falhar em sua tentativa de superar esta nova mulher. A Nova Eva vence a serpente e, como resultado , “A serpente está zangado com a mulher, e foi fazer guerra ao resto de sua descendência , aos que guardam os mandamentos de Deus, e dar testemunho de Jesus ” (Ap . 12:17) .
Se Maria é a nova Eva e realizações do Novo Testamento são sempre mais gloriosa do que seus antecedentes do Antigo Testamento, seria impensável para Maria a ser concebida em pecado . Se não o fosse, ela seria inferior a Eva, que foi criada em um estado perfeito, livre de todo pecado.

sexta-feira, 22 de novembro de 2013

Oração a Santa Cecília

Ó Santa Cecília, dai-me fé e esperança e a caridade, expulsando, o ódio e a opressão com vosso amor e caridade;  que a caridade nos faça vencer os ódios e os rancores. Inundai nosso coração de amor a Deus e aos irmãos. Santa Cecília, através de vosso auxílio e exemplo, queremos que nossa vida seja um testemunho claro de fé, da esperança e do amor aos seres humanos e ao mundo. Amém.

                Padre Antônio Luiz Martins        

O homem, que vê anjos

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Da utilidade das adversidades



1. Bom é passarmos algumas vezes por afl ições e contrariedades, porquefreqüentemente fazem o homem refl etir, lembrando-lhe que vive no desterroe, portanto, não deve pôr sua esperança em coisas alguma do mundo.Bom é encontrarmos às vezes contradições, e que de nós façam conceito mauou pouco favorável, ainda quando nossas obras e intenções sejam boas.Isto ordinariamente nos conduz à humildade e nos preserva da vanglória.Porque, então, mais depressa recorremos ao testemunho interior de Deus,quando de fora somos vilipendiados e desacreditados pelos homens.2. Por isso, devia o homem rmar-se de tal modo em Deus, que lhe nãofosse mais necessário mendigar consolações às criaturas. Assim que ohomem de boa vontade está atribulado ou tentado, ou molestado pormaus pensamentos, sente logo melhor a necessidade que tem de Deus, semo qual não pode fazer bem algum. Então se entristece, geme e chora pelasmisérias que padece. Então causa-lhe tédio viver mais tempo, e desejaque venha a morte livrá-lo do corpo e unilo a Cristo. Então compreendetambém que neste mundo não pode haver perfeita segurança nem pazcompleta.



Imitação de Cristo

FONTE: filhosespirituaisdepepio.blogspot.com.br

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

Ao Sagrado Coração de Jesus


Para ser rezado na festa do Coração de Jesus e nas primeiras         sextas-feiras


Dulcíssimo Jesus, cuja infinita caridade para com os homens é deles tão ingratamente correspondida com esquecimentos, friezas e desprezos, eis-nos aqui prostrados, diante do vosso altar, para vos desagravarmos, com especiais homenagens, da insensibilidade tão insensata e das nefandas injúrias com que é de toda parte alvejado o vosso dulcíssimo Coração.
Reconhecendo, porém, com a mais profunda dor, que também nós, mais de uma vez, cometemos as mesmas indignidades, para nós, em primeiro lugar, imploramos a vossa misericórdia, prontos a expiar não só as próprias culpas, senão também as daqueles que, errando longe do caminho da salvação, ou se obstinam na sua infidelidade, não vos querendo como pastor e guia, ou, conculcando as promessas do batismo, sacudiram o suavíssimo jugo da vossa santa Lei.
De todos estes tão deploráveis crimes, Senhor, queremos nós hoje desagravar-vos, mas particularmente das licenças dos costumes e imodéstias do vestido, de tantos laços de corrupção armados à inocência, da violação dos dias santificados, das execrandas blasfêmias contra vós e vossos santos, dos insultos ao vosso vigário e a todo o vosso clero, do desprezo e das horrendas e sacrílegas profanações do Sacramento do divino Amor, e enfim, dos atentados e rebeldias oficiais das nações contra os direitos e o magistério da vossa Igreja. Oh, se pudéssemos lavar com o próprio sangue tantas iniquidades!
Entretanto, para reparar a honra divina ultrajada, vos oferecemos, juntamente com os merecimentos da Virgem Mãe, de todos os santos e almas piedosas, aquela infinita satisfação que vós oferecestes ao Eterno Pai sobre a cruz, e que não cessais de renovar todos os dias sobre os nossos altares.
Ajudai-nos, Senhor, com o auxílio da vossa graça, para que possamos, como é nosso firme propósito, com a viveza da fé, com a pureza dos costumes, com a fiel observância da lei e caridade evangélicas, reparar todos os pecados cometidos por nós e por nossos próximos, impedir por todos os meios novas injúrias à vossa divina Majestade e atrair ao vosso serviço o maior número de almas possível.
Recebei, oh! Benigníssimo Jesus, pelas mãos de Maria.

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Resolvendo impasses

Viver e conviver é sempre um desafio. Ao longo da história de um casal há conflitos. Será sinal de sabedoria que marido e mulher se empenhem na solução dos impasses. Nos momentos de escuridão, em que não se vê as sendas e serem trilhadas, mais do que nunca será preciso acreditar na força do amor. Há essas manifestações de indiferença. Há posturas de orgulho e de soberba de um ou de outro. Há preocupações exageradas com trabalho e na busca sempre de mais dinheiro. Há, quem sabe, um momento louco e impensado de infidelidade. Mas por detrás de tantas coisas há amor, há duas vidas que se entrelaçam para unidas poderem rasgar o tempo da vida. E nesses momentos de conflitos será preciso buscar e imaginar soluções. Os que se unem na base de um sólido e verdadeiro amor buscam soluções. 

Frei Almir Ribeiro Guimares, OFM

Proteção de Maria sobre o Pontificado de Leão XIII

Veneráveis Irmãos,
Saúde e Bênção Apostólica.
Proteção de Maria sobre o Pontificado de Leão XIII
1. Quando refletimos sobre o longo período de tempo que, por vontade de Deus, temos passado na suprema dignidade do Pontificado, não podemos deixar de reconhecer havermos experimentado de modo o mais tangível a singular assistência da Providência Divina. Na verdade, pensamos deva isto principalmente atribuir-se às orações unânimes, e, por isto mesmo, eficacíssimas, que agora toda a Igreja incessantemente eleva a Deus por Nós, como outrora por Pedro. Por isto, antes de tudo agradecemos do mais profundo do coração ao Senhor, dispensados de todos os bens.
E, enquanto tivermos vida, a Nossa alma conservará uma fiel recordação de cada singular benefício d'Ele recebido. Mas logo depois o Nosso pensamento suavemente se volve para a maternal proteção da augusta Rainha do Céu; e esta piedosa lembrança viverá indelével no Nosso coração, para nos mover a magnificar os benefícios de Maria e a nutrir para com ela a mais sentida gratidão. Dela, com efeito, como de um canal repleto, desce a onda das graças celestes: "nas suas mãos se acham os tesouros das divinas misericórdias" (S. João Damasceno, Sermo I de Nativitate) "É vontade de Deus que ela seja o princípio de todos os bens" (S. Ireneu, Contra Valent. 1, III, c. 33). E Nós firmemente esperamos poder encerrar a Nossa vida terrena no amor desta terníssima Mãe: amor que com todas as Nossas forças sempre nos esforçamos por cultivar e estender sempre mais.

A Obra do Pontífice para a devoção ao Rosário
2. Já de há tempo Nós, movido pelo desejo de colocar na tão aumentada devoção para com a Virgem, como numa rocha inexpugnável, a salvação da humanidade, nunca cessamos de promover entre os fiéis a piedosa prática do "santo Rosário". Para este fim, já desde o primeiro dia de Setembro do ano de 1883, publicamos uma Carta Encíclica, e, como todos vós bem sabeis, em seguida temos promulgado sobre este assunto vários outros decretos. E, já que os desígnios da divina misericórdia nos concedem ver, ainda este ano, a aproximação do mês de Outubro, já reiteradamente por Nós dedicado e consagrado à celeste Rainha do Rosário, não queremos deixar de renovar-vos a Nossa exortação. Portanto, a fim ,de que sejam brevemente resumidos todos os esforços por Nós até agora feitos para o incremento desta singular forma de oração, entendemos de coroar a Nossa obra com um último documento que quer demonstrar, com evidência ainda maior, o Nosso zelo e a Nossa solicitude por esta louvabilíssima manifestação de piedade mariana, e ao mesmo tempo estimular o ardor dos fiéis a conservar piedosamente na sua integridade a bela prática do santo Rosário.

Resumo dos documentos pontifícios sobre o Santo Rosário
3. Portanto, impelido pelo constante desejo de manifestar ao povo cristão o poder e a grandeza do Rosário mariano, Nós recordamos antes de tudo a origem, mais celeste que humana, desta oração. E, para este fim, pusemos em evidência que esta maravilhosa coroa é um enredo de saudações angélicas, intercaladas pela oração dominical, unidas pela meditação. Assim composto, o Rosário constitui a mais excelente forma de oração, e o meio mais eficaz para alcançar a vida eterna, visto como, além da excelência das suas orações, ele nos oferece uma sólida defesa da nossa fé e um sublime modelo de virtude, nos mistérios propostos à nossa contemplação. Além disto demonstramos que o Rosário é uma prática fácil e adaptada à índole do povo, a qual apresenta, outrossim, na recordação da Família de Nazaré, o ideal mais perfeito da vida doméstica. Por tais motivos os fiéis sempre lhe experimentaram o salutar poder.

O Mês de Outubro e a Festa do Rosário
4. Depois de havermos inculcado, especialmente com estas razões e com os Nossos reiterados apelos, a prática do santo Rosário, Nós, seguindo o exemplo dos Nossos Predecessores, demo-nos, além disso, pressa de juntar a importância e a solenidade do seu culto. Dos Nossos Predecessores, Sixto V, de feliz memória, aprovou o antigo costume de recitar o Rosário; Gregório XIII instituiu a festa do Rosário; Clemente VIII introduziu-a no Martirológio; Clemente XI estendeu-a a toda a Igreja; e Benedito XIII inseriu-a depois no Breviário Romano. Assim Nós, em perene testemunho do Nosso apreço por esta forma de piedade, além de havermos decretado que dita festa e o seu Oficio sejam celebrados em toda a Igreja, com rito duplo de segunda classe, também quisemos que o mês de Outubro inteiro fosse consagrado a esta devoção. Enfim, prescrevemos que nas Ladainhas Lauretanas se acrescentasse a invocação: "Rainha do sacratíssimo Rosário", como augúrio de vitória na presente luta.

Indulgências anexas à recitação do Santo Rosário
5. Depois disto, não restava senão fazer conhecer aos fiéis o imenso valor e as grandíssimas vantagens ligadas ao Rosário mariano, pelos numerosos privilégios e direitos com que ele foi enriquecido, e sobretudo pelo tesouro de Indulgências de que goza. E certamente não é difícil compreender o quanto estas vantagens devam ser estimadas por aqueles que pensam seriamente na sua eterna salvação. Com efeito, aqui se trata de obter, total ou parcialmente, a remissão da pena temporal a pagar nesta ou na outra vida, mesmo depois de haver sido cancelada a culpa. Tesouro este, sem dúvida, preciosíssimo, porque constituído pelos méritos de Cristo, aos quais se juntaram os da Mãe de Deus e dos Santos. A tal tesouro, o Nosso Predecessor Clemente VI com razão referia aquelas palavras da Sabedoria: "Inexaurível tesouro é ela para os homens: aqueles que dela fazem uso proporcionam-se amizade junto a Deus" (Sab. 7, 14). Já os Romanos Pontífices, por força do seu supremo poder recebido de Deus, abriram largamente os mananciais de tais graças aos membros das Confrarias do Santo Rosário, e àqueles que rezam o Rosário com devoção.
Anúncio de uma constituição sobre as confrarias do Rosário
6. Também Nós, portanto, persuadidos de que estas graças e estas Indulgências, como outras tantas fúlgidas jóias bem dispostas, aumentam o esplendor da Coroa de Maria, após madura reflexão decidimos promulgar uma "Constituição" sobre os direitos, privilégios, Indulgências, reservados às Confrarias do Rosário. Seja essa "Constituição" considerada um público testemunho do Nosso amor à augusta Mãe de Deus e, ao mesmo tempo, um estímulo e um prêmio à piedade dos fiéis, a fim de que, na hora extrema tia sua vida, possam ser confortados pelo seu auxílio, e suavemente adormecer sobre o seu seio.
7. É esta a graça que rogamos a Deus, pela intercessão da Rainha do sacratíssimo Rosário. E, entrementes, como penhor e auspício dos favores celestes, concedemos a vós, Veneráveis Irmãos, ao vosso clero e ao vosso povo a Bênção Apostólica.
Dado em Roma, junto a S. Pedro, a 5 de Setembro de 1898, vigésimo primeiro ano do Nosso Pontificado.

A importância do Santo Rosário

Testemunho sobre Nossa Senhora

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Quando se perde alguém

Deus nosso Pai. Estamos aqui reunidos pra nos despedir de uma pessoa que amamos muito. Alguém que tem um lugar especial em nossos corações e em nossas vidas. Agradecemos pelas vezes que nos deste para estarmos juntos, quando partilhamos o precioso dom da vida. Pedimos perdão por tudo o que fizemos que nos feriu e separou porque fomos egoístas. Ajudai-nos, Senhor a viver em paz com as imperfeições de nossa convivência humana. Sabemos que nos aceitas como somos. Confortai-nos pelas memórias que nosso ente querido deixa conosco. Que estas lembranças possam dar-nos coragem em nossa jornada para o amanhã. Dai a esta pessoa tão querida paz em vosso Reino, onde não haverá mais sofrimento e nem dor, mas felicidade sem fim. Amém!

Padre Arnaldo Pangrazzi, Camiliano