segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ 2013


QUE NOSSA SENHORA DESDE JÁ PASSE NA FRENTE EM SUA VIDA PARA QUE 2013 SEJA UM ANO TOTALMENTE DIFERENTE...

"QUE MARIA PASSE NA FRENTE DA SUA VIDA EM 2013"

Dos nossos impossíveis, Maria passa à frente...

Daquilo que não conseguimos fazer, Maria passa à frente...

Das altas muralhas da nossa Jericó, Maria passa à frente...

Dos gigantes e golias do nosso dia-a-dia, Maria passa a frente... Dos nossos mares vermelhos, Maria passa à frente... Das portas que precisan ser abertas, Maria passa à frente... 

De modo inteiramente singular, pela obediência, fé, esperança e ardente caridade, ela cooperou na Obra do Salvador para a restauração da vida sobrenatural das almas. Por este motivo, ela se tornou, para nós, Mãe na ordem da graça...

Desejo que Maria passe na frente de todas as necessidades daqueles que estão em Cristo Jesus.


FONTE: admiravelsenhora.blogspot.com

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

"MATERNIDADE DIVINA"



O tempo do Natal constitui uma memória continuada da Maternidade divina, virginal e "salvífica", daquela cuja "intemerata virgindade deu a este mundo o Salvador".(9) Assim, na solenidade da Natividade do Senhor, a Igreja, ao adorar o divino Salvador, venera também a sua gloriosa Mãe; na Epifania do Senhor, ao mesmo tempo que celebra a vocação universal para a salvação, contempla a Virgem Maria, verdadeira Sede da Sabedoria e verdadeira Mãe do Rei, que apresenta à adoração dos Magos o Redentor de todas as gentes (cf. Mt 2,11); e na festa da Sagrada Família, Jesus, Maria e José (Domingo dentro da oitava da Natividade do Senhor), considera, venerável, a vida de santidade que levam, na casa de Nazaré, Jesus, Filho de Deus e Filho do homem, Maria, sua Mãe, e José, homem justo (cf. Mt 1,19). 
No ordenamento do período natalício, conforme foi recomposto, parece-nos que as atenções de todos se devem voltar para a reatada solenidade de Santa Maria Mãe de Deus. Esta, colocada como está, segundo o que aconselhava uso antigo da Urbe, no dia 1° de janeiro, destina-se a celebrar a parte tida por Maria neste mistério de salvação e, a exaltar a dignidade singular que daí advém para a "santa Mãe..., pela qual recebemos... o Autor da vida";(10) é, além disso, ocasião propícia para renovar a adoração ao recém-nascido "Príncipe da Paz", para ouvir ainda uma vez o grato anúncio angélico (cf. Lc 2,14), para implorar de Deus, tendo como medianeira a "Rainha da Paz", o dom supremo da paz. Por isso, na feliz coincidência da Oitava do Natal do Senhor com a data auspiciosa de 1° de janeiro, instituímos o Dia Mundial da Paz, que vai recebendo crescentes adesões e já matura nos corações de muitos homens frutos de paz. 



EXORTAÇÃO APOSTÓLICA MARIALIS CULTUS DO SANTO PADRE PAULO VI PARA A RETA ORDENAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DO CULTO À BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA


terça-feira, 25 de dezembro de 2012

"GLÓRIA INEXCELSIS DEO"


Glória a Deus nos altos Céus, paz na terra aos seus amados! A vós louvam, Rei Celeste, os que foram libertados!
Deus e Pai, nós vos louvamos, adoramos, bendizemos; damos glória ao vosso nome, vossos dons agradecemos.
Senhor Nosso, Jesus Cristo, Unigênito do Pai. Vós de Deus, Cordeiro Santo, nossas culpas perdoai.
Vos que estais junto do Pai, como nosso intercessor, acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamor.
Vós somente sois o Santo, o Altíssimo, o Senhor. Com o Espírito Divino, de Deus Pai no esplendor! AMÉN.

FONTE: Filhos Espirituais de Pe. Pio

domingo, 16 de dezembro de 2012

"SAUDAÇÃO DA BEM-AVENTURADA VIRGEM MARIA"



Saudação da Bem-aventurada Virgem Maria 
(São Francisco de Assis)

Ave, ó Senhora, santa Rainha,
  Santa Mãe de Deus, Maria,
  que és virgem feita Igreja.

Eleita pelo santíssimo Pai do Céu,
   a quem consagrou com seu santíssimo dileto Filho
  e com o Espírito Santo Paráclito.

Em ti residiu e reside toda a plenitude da graça e todo o bem.

Ave, ó palácio do Senhor;
  Ave, ó tabernáculo do Senhor;
  Ave, ó casa do Senhor.

Ave, ó vestimenta do Senhor;
  Ave, ó serva do Senhor.

Ave, ó mãe do Senhor
  e ave, vós todas santas virtudes infusas,
  pela graça e iluminação do Espírito Santo
  nos corações dos fiéis, fazendo-os, de infiéis,
  fiéis de Deus.


http://www.reflexoesfranciscanas.com.br

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

"A VIDA DE SÃO JOÃO DA CRUZ"

O santo deste dia é conhecido como Doutor Místico: São João da Cruz. Nasceu em Fontiveros, na Espanha, em 1542. Seus pais, Gonçalo e Catarina, eram pobres tecelões. Gonçalo morreu cedo e a viúva teve de passar por dificuldades enormes para sustentar os três filhos: Francisco, Luís e João. Mas Luís morreu quando ainda era criança. Como João de Yepes (era este o seu nome de batismo) mostrou-se inclinado para os estudos, a mãe o envia para o Colégio da Doutrina. Em 1551, os padres jesuítas fundaram um colégio em Medina (centro comercial de Castela). Nele, esse grande santo estudou Ciências Humanas. Com 21 anos, sentiu o chamado à vida religiosa e entrou na Ordem Carmelita, na qual pede o hábito. Nos tempos livres, gostava de visitar os doentes nos hospitais, servindo de enfermeiro. Chamar-se-á para o futuro João de Santa Maria. Devido ao talento e à virtude, depressa foi destinado para o colégio de Santo André, que a Ordem possui em Salamanca, ao lado da famosa Universidade. Ali, estudou Artes e Teologia. Foi neste colégio nomeado de "prefeito dos estudantes", o que indica o seu aproveitamento e a estima que os demais tinham por ele. Em 1567 foi ordenado sacerdote. Desejando uma disciplina mais rígida, São João da Cruz quase saiu da Ordem para ir para os Cartuxos, mas, felizmente, encontrou-se com a reformadora dos Carmelos, Santa Teresa D'Ávila, que tinha recebido autorização para a reforma dos conventos masculinos. João, empenhado na reforma, conheceu o sofrimento, as perseguições e tantas outras resistências. Chegou a ficar nove meses preso num convento em Toledo, até que conseguiu escapar. São João da Cruz transformou, em Deus, todos as cruzes num meio de santificação para si e para os irmãos. Três coisas pediu e acabou recebendo de Deus: primeiro: força para trabalhar e sofrer muito; segundo: não sair deste mundo como superior de uma comunidade; e terceiro: morrer desprezado e escarnecido pelos homens. Pregador, místico, escritor e poeta, esse grande santo da Igreja faleceu após uma penosíssima enfermidade, em 1591, com 49 anos de idade. Foi canonizado no ano de 1726 e, em 1926, o Papa Pio XI o declarou Doutor da Igreja. Escreveu obras bem conhecidas como: Subida do Monte Carmelo; Noite escura da alma (estas duas fazem parte de um todo, que ficou inacabado); Cântico espiritual e Chama viva de amor. No decurso delas, o itinerário que a alma percorre é claro e certeiro. Negação e purificação das suas desordens sob todos os aspectos. São João da Cruz é o Doutor Místico por antonomásia, da Igreja, o representante principal da sua mística no mundo, a figura mais ilustre da cultura espanhola e uma das principais da cultura universal. Foi adotado como Patrono da Rádio, pois, quando pregava, a sua voz chegava muito longe. São João da Cruz, rogai por nós!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

"NOVENA A NOSSA SENHORA DE GUADALUPE"

 

Orações para todos os dias

Posto de joelhos diante de Maria Santíssima, fazer a sinal da Cruz, e dizer o ato de contrição.

Ato de contrição:

Senhor meu Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, criador e Redentor meu, por ser vós quem sois, e porque vos amo sobre todas as coisas, me pesa de todo coração vos haver ofendido. Proponho emendar-me e confessar-me a seu tempo e ofereço tudo quanto fizer em satisfação de meus pecados, e confio em vossa bondade e misericórdia infinita, que me perdoeis e me dês graça para nunca mais pecar. Assim o espero por intercessão de minha mãe, nossa Senhora Virgem de Guadalupe. Amém. Fazer aqui o pedido que se deseja. Rezar quatro Salves Rainhas em memória das quatro aparições e logo se reza a oração correspondente a cada dia.

Primeiro Dia

Começar com a oração inicial de todos os dias. Oh! Santíssima Senhora de Guadalupe! Essa coroa com que cinges vossa sagrada fronte publica que sois Rainha do Céu e Universo. Senhora pois como Filha, como Mãe e como Esposa do altíssimo tens absoluto poder e justíssimo direito sobre todas as criaturas. Sendo isto assim, eu também sou vosso; também pertenço a Vós por mil títulos; mas não me contento com ser vosso por tão alta jurisdição que tens sobre todos; quero ser vosso por outro título, isto é, por eleição de minha vontade quero ser vosso escravo. Vede que, aqui prostrado diante do trono de vossa Majestade, vos elejo por minha Rainha e minha Senhora e com este motivo quero dobrar o Senhorio e domínio que tens sobre mim; quero depender de Vós e quero que os desígnios que tem de mim a Providência divina, passem por vossas mãos. Dispõe de mim como vos agrade; os sucessos e lances de minha vida quero que tudo corram por vossa conta. Confio de vossa benignidade, que tudos o que se endereçaram ao bem de minha alma seja para a honra e glória daquele Senhor que tanto se compadece em todo o mundo. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

Segundo Dia

Oh! Santíssima Virgem de Guadalupe! Que bem se conhece que sois Advogada nossa no tribunal de Deus, pois essas lindíssimas mãos que jamais deixam de nos beneficiar, as juntas ante o peito em sinal de quem suplica e rogai, dai-nos com isto a ver que desde o trono de glória como Rainha de anjos e homens fazes também oficio de advogada, rogando e procurando a favor nosso. Com que afetos de reconhecimento e gratidão poderei pagar tanta fineza?, Sendo que não há em todo meu coração suficiente saldo para pagá-lo. A Vós recorro para que me enriqueças com os dons preciosos de uma caridade ardente e fervorosa, de uma humildade profunda e de uma obediência pronta ao Senhor. Esforçai vossas súplicas, multiplicai vossos rogos, e não cesses de pedir ao Todo-poderoso que me faça vosso e me conceda ir a dar-vos as graças pelo feliz êxito de vossa intermediação na glória. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória

Terceiro Dia

Oh! Santíssima Virgem Maria de Guadalupe! O que posso crer ao ver-vos cercada dos raios do sol, senão que estás intimamente unida ao Sol da Divindade, que não há em vossa alma nenhuma coisa que não seja luz, que não seja graça e que não seja santidade! O que posso crer senão que estás unida às divinas perfeições e atributos, e que Deus vos tem sempre em seu coração! Seja para nosso bem, Senhora tão alta felicidade. Eu, entre tanto, arrebatado de alegria que isto me causa, me apresento diante do trono de vossa soberania, suplicando que vos dignes enviar um de vossos ardentes raios até meu coração: ilumina com sua luz meu entendimento; Acende com sua luz minha vontade; fazei que acabe eu de persuadir me de que vivo enganado todo o tempo em que não me empenho em amar a Vós e em amar a meu Deus: Fazei que acabe de persuadir me de que me engano miseravelmente quando amo alguma coisa que não seja meu Deus e quando não vos amo a Vós por Deus. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

Quarto Dia

Oh! Santíssima Maria de Guadalupe! Se um anjo do céu tem por honra tão grande estar a vossos pés e que em prova de sua alegria abre os braços e estende as asas para formar com elas um tapete a vossa Majestade, que deverei eu fazer para manifestar minha veneração a vossa pessoa, não seja com a cabeça, nem com os braços, senão meu coração e minha alma para que a santificando com vossos divinos pés se faça trono digno de vossa soberania? Dignai, Senhora de admitir este obsequio; não o desprezeis por indigno a vossa soberania, pois o mérito que lhe falta por minha miséria e pobreza o recompenso com a boa vontade e desejo. Entrai em meu coração e verás que não o movem outras asas senão as do desejo de ser vosso e o temor de ofender a vosso Filho diviníssimo. Forma trono em meu coração, e já não se envilecerá dando-lhe entrada a culpa e fazendo-se escravo do demônio. Fazei que não viva senão para Jesus e Maria. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

Quinto Dia

Oh! Santíssima Virgem Maria de Guadalupe! Que outro vestido corresponderia a quem é um céu por sua beleza, senão um todo cheio de estrelas? Com que podia se adornar uma beleza toda celestial, senão com os brilhos de umas virtudes tão lúcidas e tão resplandecentes como as vossas? Bendita mil vezes a mão daquele Deus que quis unir em vossa beleza tão imensa uma pureza tão realçada, e honra tão brilhante e rica com uma humildade tão apreciável. Eu caio, Senhora absorto de beleza tão amável, e quisera que meus olhos se fixassem sempre em Vós para que meu coração não se deixasse arrastar em outro afeto que não seja o amor vosso. Não poderei conseguir este desejo se esses resplandecentes astros com que estás adornada não infundirem uma ardente e fervorosa caridade, para que ame de todo coração e com todas as minhas forças a meu Deus, e depois de meu Deus a Vós, como objeto digno de que o amemos todos. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

Sexto Dia

Oh! Santíssima Virgem Maria de Guadalupe! Que bem serve a vossa soberania esse tapete que a lua forma a vossos sagrados pés! Brilhaste com invicta rainha sob as vaidades do mundo, e sendo superior a toda a criação jamais padeceste o minguante da mais ligeira imperfeição: Antes de vosso primeiro instante estiveste cheia de graça. Miserável de mim, Senhora que não sabendo me manter nos propósitos que faço, não tenho estabilidade na virtude e somente sou constante em meus viciosos costumes. Tende piedade de mim, Mãe amorosa e terna; já que sou como a lua em minha inconstância, seja como a lua que está a vossos pés, isto é, firme sempre em vossa devoção e amor, para não padecer os minguantes da culpa. Fazei que esteja eu sempre a vossos pés pelo amor e a devoção, e já não temerei os minguantes do pecado mas sim procurarei dar me por completo a minhas obrigações, detestando de coração tudo o que é ofensa a meu Deus. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

Sétimo Dia

Oh! Santíssima Virgem Maria de Guadalupe! Nada, nada vejo neste lindíssimo retrato que não me leve a conhecer as altas perfeições de que dotou o Senhor a vossa alma inocentíssima. Esse lenço grosseiro e desprezado; esse pobre mas feliz traje em que se vê estampada vossa singular beleza, dão claro a conhecer a profundíssima humildade que lhe serviu de alicerce e fundamento a vossa assombrosa santidade. Não vos desdenhaste de tomar a pobre túnica de João Diego, para que nela estampasse vosso rosto, que é encanto dos anjos, maravilha dos homens e admiração de todo o universo. Pois, como não tenho de esperar eu de vossa benignidade, que a miséria e pobreza de minha alma não sejam embaraço para que estampes nela vossa imagem graciosíssima? Eu vos ofereço as telas de meu coração. Tomai-o, Senhora em vossas mãos e não o deixeis jamais, pois meu desejo é que não se empenhe em outra coisa que em amar a vós e amar a Deus. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

Oitavo Dia

Oh! Santíssima Virgem de Guadalupe! Quão Mistériosa e que acertada esteve a mão do Artífice Supremo, bordando vosso vestido com essa orla de ouro finíssimo que lhe serve de guarnição. Aludia sem dúvida a aquele finíssimo ouro da caridade e amor de Deus com que foram enriquecidas vossas ações. E quem duvida, Senhora que essa vossa ardente caridade e amor de Deus esteve sempre acompanhada do amor ao próximo e que por estar triunfante na pátria celestial, nunca vos tem esquecido de nós? Abre o seio de vossas piedades a quem é tão miserável; dai-lhe a mão a quem caído vos invoca para se levantar; Cantarei a glória de haver encontrado em mim uma miséria proporcional, mais que todas, a vossa compaixão e misericórdia. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

Nono Dia

Oh! Santíssima Virgem de Guadalupe! Que coisa será impossível para Vós, quando multiplicando os prodígios, nem a pobreza nem a grosseria do traje lhe servem de embaraço para formar tão primoroso vosso retrato, nem a voracidade do tempo em mais de quatro séculos tem sido capaz de destroçar nem borra-lo? Que motivo tão forte é este para alentar minha confiança e suplicarei que abrindo o seio de vossas piedades, de acordo com o amplo poder que vos deu a Divina Onipotência do Senhor, para favorecer aos mortais, vos dignes estampar em minha alma a imagem do Altíssimo que tem borrado minhas culpas! Não embarace a vossa piedade a grosseria de meus perversos costumes, dignai somente olhar-me, e já com isto alentarei minhas esperanças; porque eu não posso crer que se me olhas não se comovam vossas entranhas sobre o miserável de mim. Minha única esperança, depois de Jesus, sois Vós Sagrada Virgem Maria. Amém. Terminar com um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.



"Sempre mantém-vos unido a Santa Igreja Católica, porque somente ela pode salvar-vos, porque somente ela possui a Jesus Sacramentado, que é o verdadeiro Príncipe da Paz. Fora da Igreja Católica, não há salvação, ela vos dá o batismo, o perdão dos pecados, o Corpo, o Sangue, a Alma, e a Divindade de Jesus Cristo, concedendo-vos por tanto a vida eterna; e todos os santos sacramentos para levar uma vida de santidade." Santo Pio de Pietrelcina.
http://www.oracoes.info/NSGuadalupe03.html

"GUADALUPE" - A imagem viva

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

"MATERNIDADE DIVINA"


I. 1. Introdução.
O mistério da maternidade divina de Santa Maria constitui sua
razão de ser, a mais profunda razão de sua existência e do lugar que
ela ocupa no plano da salvação.
Seguindo o Concilio Vaticano II, se “só no mistério do Verbo
Encarnado se esclarece verdadeiramente o mistério do homem” (GS
22), somente no mistério da maternidade divina se esclarece o mistério
de Maria e do lugar que ela ocupa na Economia da Salvação.
A essencial e total referência de Santa Maria a sua maternidade
vem sublinhada no texto do Concílio pela afirmação que sua eleição
como mãe tem lugar na mesma decisão (
consilio) da encarnação do
Verbo:
ab eterno una cum divini Verbi incarnatione (cf. Lumen Gentium
nº 61).
Por tanto, Mãe e Filho aparecem indissoluvelmente unidos no
plano divino. No mesmo mistério de Cristo, Maria está presente já
“antes da criação do mundo” como aquela que o Pai elegeu como Mãe
de seu Filho na Encarnação, e junto com o Pai a elegeu o Filho,
confiando-a eternamente ao Espírito Santo.
I.2. A maternidade divina na Sagrada Escritura.
Na Sagrada Escritura não se afirma explicita e formalmente que
Santa Maria é a Mãe de Deus,
Theotokos ou Deigenitrix. Ela é chamada
mãe de Jesus ou mãe do Senhor. Ao mesmo tempo, se diz que Jesus é o
Filho de Deus, o Verbo Eterno do Pai. Disto infere-se que Santa Maria
deve ser venerada verdadeira e propriamente com o título de
Theotokos
, de Mãe de Deus, pois seu Filho é o Logos, Unigênito do Pai
e, portanto, Deus verdadeiro.
Lc 1, 35
Filho de Deus que nasceu de Maria
“Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do
Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que
nascer de ti será chamado Filho de Deus.”
*Trata-se aqui de uma autêntica maternidade que
tem sua origem em
uma intervenção extraordinária de Deus;
*A esta maternidade Maria contribui com sua aceitação consciente e
livre. Trata-se de um consentimento que procede da fé, da caridade e
da obediência, implicando assim a santidade pessoal de Santa Maria e
sua entrega à obra da Redenção.
Este livre consentimento faz parte
integral do conceito adequado de sua maternidade divina.
4
Gl 4, 4-6
“Mas quando veio a plenitude dos tempos, Deus enviou seu Filho, que
nasceu de uma mulher e nasceu submetido a uma lei, a fim de remir os
que estavam sob a lei, para que recebêssemos a sua adoção. A prova de
que sois filhos é que Deus enviou aos vossos corações o Espírito de seu
Filho, que clama: Aba, Pai!”
*Fica claro que a ação geradora é em relação ao Verbo.
Rm 9, 5
“...e os patriarcas; deles descende Cristo, segundo a carne, o qual é,
sobre todas as coisas, Deus bendito para sempre. Amém”.
*Essa doxologia afirma que Cristo, descendente segundo a carne dos
israelitas, é Deus. Por isso, a mulher da que Jesus procede na carne –
ou seja, Maria – é Mãe de Deus.
Mt 1, 21
“Ela dará à luz um filho, a quem porás o nome de Jesus, porque ele
salvará o seu povo de seus pecados”.
*A expressão
seu povo é muito forte. O Novo Testamento, herdando a
linguagem do Antigo, aplica esta expressão unicamente ao Senhor, que
havia escolhido a Israel como Seu povo (possessivo forte).
*Portanto, é atribuído de forma direta a Jesus o caráter divino, pois na
Nova Aliança o povo de Israel será tanto d’Ele como de seu Pai.
*Esta tese é reforçada com o objeto da salvação:
de seus pecados;
palavras que reiteram indiretamente a divindade de Jesus Cristo, pois,
no mundo religioso judeu, esse poder somente corresponde a Deus;
motivo pelo qual acusam de blasfemo a Jesus, quando em nome próprio
perdoa os pecados.
Lc 1, 43
“Donde me vem esta honra de vir a mim a mãe de meu Senhor?”
* A palavra Senhor (
Kyrios) se aplica a Deus e não somente ao Messias.
ESCOLA TEOLÓGICA PARA LEIGOS DA
ARQUIDIOCESE DE OLINDA E RECIFE
APOSTILHAS de MARIOLOGIA

"EM UMA NOITE ESCURA"



CANÇÃO I
Em uma noite escura,
De amor em vivas ânsias inflamada
Oh! ditosa ventura!
Saí, sem ser notada,
Já minha casa estando sossegada.

DECLARAÇÃO
1. A alma conta, nesta primeira Canção, o modo e maneira que teve em sair, — quanto ao apego, — de si e de todas as coisas, morrendo por verdadeira mortificação a todas elas e a si mesma, para assim chegar a viver vida doce e saborosa, com Deus. E diz como este sair de si e de todas as coisas se realizou "em uma noite escura" — o que aqui significa a contemplação purificadora, conforme se dirá mais adiante. Tal purificação produz passivamente na alma a negação de si mesma e de todas as coisas.
2. Esta saída, diz ainda a alma, foi possível efetuá-la graças à força e calor que para isto lhe deu o amor de seu Esposo nessa mesma contemplação obscura. Assim encarece a ventura que teve em caminhar para Deus através desta noite, com tão próspero sucesso que nenhum dos três inimigos, — mundo, demônio e carne, que são os que sempre se opõem a este caminho, — a pudessem impedir. Com efeito, a dita noite de contemplação purificativa fez com que adormecessem e amortecessem, na casa de sua sensualidade, todas as paixões e apetites, quanto a seus desejos e movimentos contrários.
Diz, pois, o verso:
Em uma noite escura.

Trecho do livro NOITE ESCURA de São João da Cruz

domingo, 9 de dezembro de 2012

ROSARIUM VIRGINIS MARIAE



1. O Rosário da Virgem Maria (Rosarium Virginis Mariae), que ao sopro do Espírito de Deus se foi formando gradualmente no segundo Milénio, é oração amada por numerosos Santos e estimulada pelo Magistério. Na sua simplicidade e profundidade, permanece, mesmo no terceiro Milénio recém iniciado, uma oração de grande significado e destinada a produzir frutos de santidade. Ela enquadra-se perfeitamente no caminho espiritual de um cristianismo que, passados dois mil anos, nada perdeu do seu frescor original, e sente-se impulsionado pelo Espírito de Deus a « fazer-se ao largo » (duc in altum!) para reafirmar, melhor « gritar » Cristo ao mundo como Senhor e Salvador, como « caminho, verdade e vida » (Jo 14, 6), como « o fim da história humana, o ponto para onde tendem os desejos da história e da civilização ».1
O Rosário, de facto, ainda que caracterizado pela sua fisionomia mariana, no seu âmago é oração cristológica. Na sobriedade dos seus elementos, concentra a profundidade de toda a mensagemevangélica,da qual é quase um compêndio.2 Nele ecoa a oração de Maria, o seu perene Magnificat pela obra da Encarnação redentora iniciada no seu ventre virginal. Com ele, o povo cristão frequenta a escola de Maria, para deixar-se introduzir na contemplação da beleza do rosto de Cristo e na experiência da profundidade do seu amor. Mediante o Rosário, o crente alcança a graça em abundância, como se a recebesse das mesmas mãos da Mãe do Redentor.

Os Romanos Pontífices e o Rosário
2. Muitos dos meus Predecessores atribuíram grande importância a esta oração. Merecimento particular teve, a propósito, Leão XIII que, no dia 1 de Setembro de 1883, promulgava a Encíclica Supremi apostolatus officio,3 alto pronunciamento com o qual inaugurava numerosas outras declarações sobre esta oração, indicando-a como instrumento espiritual eficaz contra os males da sociedade. Entre os Papas mais recentes, já na época conciliar, que se distinguiram na promoção do Rosário, desejo recordar o Beato João XXIII4 e sobretudo Paulo VI que, na Exortação apostólica Marialis cultus, destacou, em harmonia com a inspiração do Concílio Vaticano II, o carácter evangélico do Rosário e a sua orientação cristológica.
Eu mesmo não descurei ocasião para exortar à frequente recitação do Rosário. Desde a minha juventude, esta oração teve um lugar importante na minha vida espiritual.
Trouxe-mo à memória a minha recente viagem à Polónia, sobretudo a visita ao Santuário de Kalwaria. O Rosário acompanhou-me nos momentos de alegria e nas provações. A ele confiei tantas preocupações; nele encontrei sempre conforto. Vinte e quatro anos atrás, no dia 29 de Outubro de 1978, apenas duas semanas depois da minha eleição para a Sé de Pedro, quase numa confidência, assim me exprimia: « O Rosário é a minha oração predilecta. Oração maravilhosa! Maravilhosa na simplicidade e na profundidade. [...] Pode dizer-se que o Rosário é, em certo modo, um comentário-prece do último capítulo da Constituição Lumen gentium do Vaticano II, capítulo que trata da admirável presença da Mãe de Deus no mistério de Cristo e da Igreja. De facto, sobre o fundo das palavras da “Avé Maria” passam diante dos olhos da alma os principais episódios da vida de Jesus Cristo. Eles dispõem-se no conjunto dos mistérios gozosos, dolorosos e gloriosos, e põem-nos em comunhão viva com Jesus – poderíamos dizer– através do Coração de Sua Mãe. Ao mesmo tempo o nosso coração pode incluir nestas dezenas do Rosário todos os factos que formam a vida do indivíduo, da família, da nação, da Igreja e da humanidade. Acontecimentos pessoais e do próximo, e de modo particular daqueles que nos são mais familiares e que mais estimamos. Assim a simples oração do Rosário marca o ritmo da vida humana.
Com estas palavras, meus caros Irmãos e Irmãs, inseria no ritmo quotidiano do Rosário o meu primeiro ano de Pontificado. Hoje, no início do vigésimo quinto ano de serviço como Sucessor de Pedro, desejo fazer o mesmo. Quantas graças recebi nestes anos da Virgem Santa através do Rosário: Magnificat anima mea Dominum! Desejo elevar ao Senhor o meu agradecimento com as palavras da sua Mãe Santíssima, sob cuja protecção coloquei o meu ministério petrino: Totus tuus!

"ATO DE OFERECIMENTO"



Deus eterno, eis-me prostrado diante de vossa infinita Majestade; adoro-vos humildemente e vos ofereço todos os meus pensamentos, todas as palavras e ações deste dia. Tenho a intenção de tudo fazer por vosso amor, por vossa glória, para cumprir vossa divina vontade, para vos servir, louvar e bendizer, para me instruir nos mistérios da Fé, assegurar minha salvação e alcançar vossa misericórdia; para
satisfazer a vossa divina justiça por tantos pecados que cometi, para aliviar as santas almas do Purgatório e para obter a todos os pecadores a graça duma verdadeira conversão. Em uma palavra, tenho a intenção de executar hoje todas as minhas ações em união com as intenções perfeitíssimas que tiveram nesta vida Jesus e Maria, todos os santos que estão no Céu, e todos os justos na terra. Quisera poder assinar com meu próprio sangue esta resolução e repeti-la a todo momento, tantas vezes quantos instantes houvesse na eternidade. Recebei, meu Deus, minha boa vontade, dai-me vossa santa benção, com a graça eficaz de não cometer pecado mortal em todo tempo de minha vida, mas especialmente neste dia. Desejo e tenho a intenção de ganhar hoje todas as indulgências que puder, e de assistir a todas as missas que se celebrarão no mundo inteiro; aplico-as no alívio das almas do Purgatório, a fim de que elas fiquem livres de suas penas.
Assim seja!

(São Leonardo de Porto Maurício)

"ORAÇÃO PEDINDO A ARMADURA DE DEUS"

Pai celeste, eu agora, pela fé, clamo a proteção da vossa armadura, para que eu possa permanecer firme contra satanás e todas as suas hostes e, no Nome do Senhor Jesus, vencê-las. 

Eu tomo a Vossa Verdade contra as mentiras e os erros do inimigo astucioso. Eu tomo a Vossa Justiça para vencer os maus pensamentos e as acusações de satanás. 

Eu tomo o Equipamento do Evangelho da Paz e deixo a segurança e os confortos da vida para combater o inimigo. 

E, acima de tudo, eu tomo a Vossa Fé para barrar o caminho da minha alma às dúvidas e incredulidade. Eu tomo a Vossa Salvação e confio em vós para proteger meu corpo e minha alma contra os ataques de satanás. Eu tomo a vossa palavra e oro para que o Espírito Santo me capacite a usá-la eficazmente contra o inimigo, a cortar toda escravidão e a libertar todo cativo de satanás, no poderoso e conquistador Nome de Jesus Cristo, meu Senhor. 

Eu me visto desta armadura, vivendo e orando em completa dependência de Ti, bendito Espírito Santo. Amém!

Orações selecionadas, por cura, libertação e intercessão

"SALMO DA COMUNICAÇÃO"




Louvado sejas, Senhor, por nossa irmã, a Imprensa, pão para a inteligência e luz para a alma;
Ilumina com a tua luz, Senhor, os redatores e editores; que saibam edificar o mundo na verdade e no amor; 
Louvado sejas, Senhor, pelos jornalistas e repórteres; pelas agências de notícias, pelos desenhistas da comunicação social, pelos pintores das trilhas publicitárias; Glória a ti Senhor, por nosso irmão, o cinema. Que ele seja guia de bons caminhos, mestre da justiça, amigo da verdade. 
Louvado sejas, Senhor, por nossa irmã, a televisão, cátedra que se coloca no espaço da casa. Jamais seja mestra que deforme a consciência ou dê lições de ódio e imoralidade. Louvado sejas, Senhor, pelos CD-Roms e DVDs, compêndios e síntese do conhecimento e da ciência. louvado sejas, Senhor, por nossos irmãos, os satélites, a fibra ótica, informática, a internet, que encurtam as distâncias e criam solidariedade entre as pessoas. Glórias a ti, Senhor, pela comunicação humana e social. Amém!

Adaptação do Salmo da Comunicação de Pe. Tiago Alberione

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

"TERÇO DO ANJO DA GUARDA"


Na Medalha:
Santo Anjo do Senhor, inspirai-me; Santo Anjo do Senhor, protegei-me; Santo Anjo do Senhor, pedi por
mim; Santo Anjo do Senhor, fortificai-me; Santo Anjo do Senhor, defendei-me; Santo Anjo do Senhor,
ensinai-me.
Na Dezena:
Santo Anjo do Senhor, meu zeloso guardador, se a ti me confiou a piedade divina, hoje e sempre me rege
a guarda, governa e ilumina.
No final da Dezena:
Santo Anjo do Senhor, purificai-me;
Santo Anjo do Senhor, amparai-me;
Santo Anjo do Senhor, falai por mim;
Santo Anjo do Senhor, dirigi-me;
Santo Anjo do Senhor, iluminai-me;
Santo Anjo do Senhor, governai-me.
Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória pelos Anjos da Guarda das pessoas que nós ofendemos
e escandalizamos.
Rezar também um Pai Nosso, uma Ave Maria e um Glória pelos Anjos da Guarda das pessoas que mais
precisarem de oração (dizer seus nomes).
Rezar um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória pelos Anjos da Guarda do santo Padre João Paulo II, do
nosso Bispo Diocesano, de todo o Clero e, principalmente, de todos aqueles que se preparam para o
Ministério Sacerdotal.
Consagração:
Santo Anjo da Guarda, que desde o início da minha vida me fostes concedido para meu protetor e
companheiro, quero eu (nome), pobre pecador, consagrar-me hoje a vós na presença de meu Senhor e
Deus, de Maria, minha Mãe celestial e de todos os Anjos e Santos;
Peço-vos, Santo Anjo, toda a força do amor divino para que eu seja nele inflamado; peço-vos o vigor da fé
para que nunca mais vacile.
Enfim, peço-vos que esta minha união convosco seja para mim escudo protetor contra todos os ataques de
Satanás.
Tudo isso vos peço em nome do Senhor Jesus Cristo, que vive e reina com Deus Pai na unidade do
Espírito Santo. Amém.
Final:
Alcançai-nos de Deus a saúde do corpo e da alma, defendei-nos contra os ladrões, assaltantes,
seqüestradores e terroristas.
Livrai-nos da morte repentina e iminente, dos desastres, dos perigos e acidentes em nossas viagens, e
guiai-nos na difícil caminhada, rumo à casa do Pai.
E nestas intenções, unidos a vós, agradecemos ao Pai, ao Filho e ao espírito Santo, pelos inefáveis dons de
vossa criação e confirmação na graça divina, e pelas missões que Deus vos confiou. Amém.

FONTE: Filhos Espirituais de Pe. Pio

"TERÇO DOS ARCANJOS DO SENHOR"

 

Nas contas grandes de um terço comum reza-se:

São Rafael, São Gabriel, São Miguel, intercedei por nós.

Nas contas pequenas de um terço comum reza-se:

São Rafael, com Tobias.

São Gabriel com a Virgem Maria.

São Miguel com todas as hierarquias.

Abra-nos esta via.

(diga o caminho a ser aberto).


FONTE: Filhos Espirituais de Pe. Pio

"LADAINHA DO SANTO ANJOS DA GUARDA"

 

Senhor, tende piedade de nós.

Cristo, tende piedade de nós.

Senhor, tende piedade de nós.

Cristo, nos ouça.

Deus, o Pai do Céu, tende misericórdia de nós.

Deus o Filho, Redentor do mundo, tende misericórdia de nós.

Deus o Espírito Santo, tende misericórdia de nós.

Santíssima Trindade, um só Deus, tende misericórdia de nós.

Santa Maria, Rainha dos Anjos, rogai por mim.

Anjo do Céu, que é meu tutor, rogai por mim.

Anjo do Céu, a quem me guia como superior, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem dá-me conselho de beneficência, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem dá-me sensata direção, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem tem o lugar de um diretor, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem me ama ternamente, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem me auxilia e consola, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem me acompanha como um bom irmão, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem se encarregar da verdade e da salvação, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem me guia com a caridade de pastor, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem testemunha todas as minhas ações, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem me ajuda em todos os meus compromissos, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem está continuamente a vigiar-me, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem intercede por mim, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem levar-me pela mão, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem endireita todos os meus caminhos, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem defende-me com zelo, rogai por mim.

Anjo do céu, quem conduzi-me com sabedoria, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem guarda-me de todo perigo, rogai por mim.

Anjo do Céu, quem dissipa as trevas e ilumina a mente, rogai por mim.

Cordeiro de Deus, que tiras o pecado do mundo, salvai-nos, Senhor.

Cordeiro de Deus, que tiras o pecado do mundo, por misericórdia ouvir-nos, ó Senhor.

Cordeiro de Deus, que tiras o pecado do mundo, tende misericórdia de nós.

Cristo, nos ouça.

Cristo, nos atenda.

Rogai por nós, Anjo da Guarda, para que sejamos dignos das promessas de Jesus Cristo.

Oremos.

Onipotente e eterno Deus, que por uma inefável graça de vossa bondade tens dado a cada um dos fiéis um

anjo guardião do corpo e da alma, concedei que eu possa ter para com meu Anjo, que me deu a Vossa

misericórdia, tanto respeito e amor, que, protegidos pelas vossas graças e dons, eu possa merecer para ir

ao céu, para contemplar-Vós com ele e os outros espíritos, o brilho da Vossa glória.

Amém.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

"MARIA NO DESÍGNIO DE DEUS"



1. Foi pela Santíssima Virgem Maria que Jesus Cristo veio
ao mundo, e é também por Ela que deve reinar no mundo.


A Humildade de Maria
2. Durante a vida, Maria permaneceu muito oculta. É por
isso que o Espírito Santo e a Igreja lhe chamam Alma Mater,
Mãe escondida e secreta. A sua humildade foi tão profunda,
que não teve na Terra atrativo mais poderoso nem mais contínuo
que o de se esconder de si mesma e de toda criatura, para
que só Deus a conhecesse.


3. A fim de atender aos pedidos que Ela lhe fez para que
a ocultasse, empobrecesse e humilhasse, aprouve a Deus
ocultá-la na sua conceição e nascimento, na sua vida, mistérios,
ressurreição e assunção, aos olhos de quase toda criatura
humana. Seus próprios pais não a conheciam, e os anjos perguntavam
muitas vezes entre si: “Quem é esta?” (Ct 8, 5),
porque o Altíssimo lha escondia ou, se alguma coisa lhes revelava
a seu respeito, infinitamente mais lhes ocultava.


4. Deus Pai consentiu em que Ela não fizesse milagres
em vida, pelo menos manifestos, embora lhe tivesse dado
poder para isso. Deus Filho permitiu que quase não falasse,
embora tendo-lhe comunicado a sua sabedoria. Deus Espírito
Santo deixou que os Seus Apóstolos e Evangelistas falassem
muito pouco sobre Ela, apenas o necessário para dar a conhecer
Jesus Cristo, apesar de Ela ser a sua esposa fiel.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

"A SANTA DOS MÚSICOS"

Hoje celebramos a santidade da virgem que foi exaltada como exemplo perfeitíssimo de mulher cristã, pois em tudo glorificou a Jesus. Santa Cecília é uma das mártires mais veneradas durante a Idade Média, tanto assim que no século V uma Basílica foi construída em seu nome. Embora se trate da mesma pessoa, na prática fala-se de duas santas Cecílias: a da história e a da lenda. A Cecília histórica é uma senhora romana que deu uma casa e um terreno aos cristãos dos primeiros séculos. A casa transformou-se em igreja que se chamou mais tarde Santa Cecília no Trastévere; o terreno tornou-se cemitério de São Calisto, onde foi enterrada a doadora, perto da cripta fúnebre dos Papas. No século VI, quando os peregrinos começaram a perguntar quem era essa Cecília cujo túmulo e cuja inscrição se encontravam em tão honrosa companhia, para satisfazer a curiosidade deles, foi então publicada uma Paixão, que deu origem à Cecília lendária; esta foi sem demora colocada na categoria das mártires mais ilustres. Segundo o relato da sua Paixão Cecília tinha sido uma bela cristã da mais alta nobreza romana que, segundo o costume, foi prometida pelos pais em casamento a um nobre jovem chamado Valeriano. Aconteceu que, no dia das núpcias, a jovem noiva, em meio aos hinos de pureza que cantava no íntimo do coração, partilhou com o marido, com transparência, o fato de ter consagrado sua virgindade a Cristo e que um Anjo guardava sua decisão. Valeriano, que até então era pagão, a respeitou, mas disse que somente acreditaria se contemplasse o Anjo. Desse desafio Cecília conseguiu a conversão do esposo que foi apresentado ao Papa Urbano, sendo então preparado e batizado, juntamente com um irmão de sangue de nome Tibúrcio. Depois de batizado, o jovem, agora cristão, contemplou o Anjo, que possuía duas coroas (símbolo do martírio) nas mãos. O Anjo colocou uma coroa sobre a cabeça de Cecília e outra sobre a de Valeriano, o que significava um sinal, pois primeiro morreu Valeriano e seu irmão por causa da fé abraçada e logo depois Santa Cecília sofreu o martírio, após ter sido presa ao sepultar Valeriano e Tibúrcio na sua vila da Via Ápia. Colocada perante a alternativa de sacrificar aos deuses ou morrer, escolheu a morte. Ao prefeito Almáquio, que lembrava Cecília que tinha sobre ela direito de vida ou de morte, respondeu: "É falso, porque podes dar-me a morte, mas não me podes dar a vida". Almáquio condenou-a a morrer asfixiada; como ela sobreviveu a esse suplício, mandou cortar-lhe a cabeça. Nas Atas de Santa Cecília lê-se esta frase: "Enquanto ressoavam os concertos profanos das suas núpcias, Cecília cantava no seu coração um hino de amor a Jesus, seu verdadeiro esposo". Estas palavras, lidas um tanto por alto, fizeram acreditar no talento musical de Santa Cecília e valeram-lhe o ser padroeira dos músicos. Hoje essa grande mártir e padroeira dos músicos canta louvores ao Senhor no céu. Santa Cecília, rogai por nós! cancaonova.com

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

"NO MEIO DA ANGUSTIA"

 
1 [De Davi.] Eu te dou graças, Senhor, de todo coração: pois ouviste as palavras da minha
boca. A ti contarei diante dos anjos,
2 e prostrar-me diante do teu santo templo. Celebro teu nome pela tua bondade e pela tua fidelidade: pois tua promessa supera toda fama.
3 Quando te invoquei, me respondeste, aumentaste em mim a força.
4 Senhor, todos os reis da terra te louvarão quando ouvirem as palavras da tua boca.
5 Cantarão sobre os caminhos do Senhor: “Grande é a glória do Senhor!”
6 Excelso é o Senhor e olha para o humilde, mas conhece o soberbo de longe.
7 Se ando no meio da angústia, tu me conservas a vida; contra a ira dos meus inimigos estendes a mão e tua mão direita me salva.
8 O Senhor completará para mim a sua obra. Senhor, tua bondade dura para sempre: não abandones a obra de tuas mãos.

Salmo 137 Bíblia da CNBB

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

"São Roque e Companheiros"


"ESCUTAR, FALAR E FAZER"



 Sabei, meus caríssimos irmãos, que cada um deve ser pronto para ouvir, mas lento para
falar e lento para se irritar. Pois aquele que se encoleriza não é capaz de realizar a justiça
de Deus. Por esta razão, rejeitai toda impureza e todos os excessos do mal, mas recebei
com mansidão a Palavra que em vós foi implantada, e que é capaz de salvar-vos. Todavia,
sede praticantes da Palavra, e não meros ouvintes, enganando-vos a vós mesmos. Com
efeito, aquele que ouve a Palavra e não a põe em prática é semelhante a alguém que observa o
seu rosto no espelho: apenas se observou, sai e logo esquece como era a sua aparência.
Aquele, porém, que se debruça sobre a Lei perfeita, que é a da liberdade e nela persevera, não
como um ouvinte distraído, mas praticando o que ela ordena, esse há de ser feliz naquilo que
faz. Se alguém julga ser religioso, mas não refreia a sua língua, engana-se a si mesmo: a
sua religiosidade é vazia. Religião pura e sem mancha diante do Deus e Pai é esta: assistir
os órfãos e as viúvas em suas dificuldades e guardar-se livre da corrupção do mundo.

Carta de Tiago 1, 19-27

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

"ERROS DA EQUIPE DA LITURGIA"




1. Deixar tudo para última hora;
2. Não ensaiar as leituras com antecedência;
3. Ler tudo do folheto;
4. Rezar sem convicção;
5. Improvisar ao máximo;
6. Ler por ler;
7. Quebrar o ritmo da celebração;
8. Fazer tudo de modo maquinal;
9. Celebrar apenas para cumprir obrigação;
10. Tirar todo o mistério;
11. Reduzir a celebração a uma solenidade;
12. Reduzir a celebração a um cerimônia;
13. Fazer bastante barulho antes da celebração;
14. Os músicos formarem um grupinho à parte;
15. Escolher músicas que o povo não conhece;
16. O coral cantar todas as canções;
17. Volume dos instrumentos acima do volume das vozes;
18. Tossir ao microfone;
19. Usar trajes que chamem muito a atenção;
20. Permitir que aconteça microfonia;
21. Afinar os instrumentos cinco minutos antes da missa;
22. Escolher os cantos durante a missa;
23. Todos mexerem no aparelho de som;
24. Ler bem rápido;
25. Evitar os momentos de silêncio;
26. Nunca explicar os sinais, gestos e palavras;
27. Fazer comentários muito demorados;
28. Não pronunciar as últimas sílabas;
29. Fazer os gestos de qualquer jeito;
30. Quando o povo está de pé, prolongar demais a celebração;
31. Cantar tudo o que for possível;
32. Cochichar no altar;
33. Não dizer ao padre que o "Santo" será cantado;
34. Ensaiar dez músicas novas antes da missa;
35. Fazer do casamento apenas um ato social;
36. Colocar letras religiosas em música populares;
37. Gritar ao microfone para incentivar o povo a cantar;
38. Repetir várias vezes o mesmo aviso;
39. Usar a prece dos fiéis para dar lições de moral;
40. Não se preocupar com a preparação do ambiente;
41. Colocar cantos novos a cada celebração;
42. Não ler o Evangelho antes da missa;
43. Não gastar tempo para aprender mais sobre liturgia;
44. Ignorar a realidade da assembléia;
45. Não organizar a Pastoral Litúrgica na paróquia;
46. Se o padre não pode vir, não acontece celebração;
47. Condenar todo tipo de expressão corporal;
48. Uma pessoa monopolizar todos os ministérios;
49. Ser sempre contrário à opinião do padre;
50. Repetir a cada dia: NA LITURGIA, DE QUALQUER JEITO
ESTÁ BOM.

Filhos Espirituais de Pe. Pio

"DA UTILIDADE DAS ADVERSIDADES"



1. Bom é passarmos algumas vezes por aflições e contrariedades, porque freqüentemente fazem o homem refletir, lembrando-lhe que vive no desterro e, portanto, não deve pôr sua esperança em coisas alguma do mundo. Bom é encontrarmos às vezes contradições, e que de nós façam conceito mau ou pouco favorável, ainda quando nossas obras e intenções sejam boas. Isto ordinariamente nos conduz à humildade e nos preserva da vanglória. Porque, então, mais depressa recorremos ao testemunho interior de Deus, quando de fora somos vilipendiados e desacreditados pelos homens.
2. Por isso, devia o homem firmar-se de tal modo em Deus, que lhe não fosse mais necessário mendigar consolações às criaturas. Assim que o homem de boa vontade está atribulado ou tentado, ou molestado por maus pensamentos, sente logo melhor a necessidade que tem de Deus, sem o qual não pode fazer bem algum. Então se entristece, geme e chora pelas misérias que padece. Então causa-lhe tédio viver mais tempo, e deseja que venha a morte livrá-lo do corpo e unilo a Cristo. Então compreende também que neste mundo não pode haver perfeita segurança nem paz completa.

Imitação de Cristo

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

"SANTO ALBERTO MAGNO"

Santo Alberto Magno - 15 de Novembro Santo Alberto Magno Celebramos neste dia a santidade de um grande santo da nossa Igreja, o qual foi digno de ser intitulado de Magno (Grande). Nascido na Alemanha em 1206, numa família militar que desejava para Alberto a carreira militar ou administrativa. Soldado do Senhor e administrador do Reino de Deus, devotíssimo da Virgem Maria, Santo Alberto optou pelos desejos do coração de Deus, por isso depois de estudar ciências naturais em Pádua e Paris entrou na família Dominicana em 1223, a fim de mergulhar nos estudos, santidade e apostolado. Como consequência da sua crescente adesão ao Reino, foram aumentando os trabalhos na "vinha do Senhor", por isso na Ordem Religiosa foi superior provincial e mais tarde, nomeado pelo Papa, Bispo de Ratisbona, num tempo em que somente um santo e sábio poderia estabelecer a paz entre os povos e cidades, como de fato aconteceu. Santo Alberto Magno era um apaixonado e vocacionado ao magistério (teve como discípulo São Tomás de Aquino); foi dispensado do Episcopado, para na humildade e pobreza continuar lecionando, pregando e pesquisando e dominando com tranquilidade os assuntos sobre mecânica, zoologia, botânica, metereologia, agricultura, física, tecelagem, navegação e outras áreas do conhecimento, os quais inseriu no seu caminho de santidade: "Minha intenção última, escrevia, está na ciência de Deus". Suas obras escritas encheram 38 grossos volumes e com o testemunho impregnou toda a Igreja de santidade e exemplo de quem soube viver com equilíbrio e graça a fé que não contradiz a razão. Entrou no Céu em 1280, proclamado Doutor da Igreja e Patrono dos cultores das ciências naturais. Santo Alberto Magno, rogai por nós! http://www.cancaonova.com/portal/canais/liturgia/santo/index.php?&dia=15&... Categoria: Sem fins lucrativos/ativismo Licença: Licença padrão do YouTube

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

"OBJETOS LITÚRGICOS USADOS NA MISSA"


ALFAIAS: Designam todos os objetos utilizados no culto, como por exemplo, os
paramentos litúrgicos;
• ALIANÇA: Anel utilizado pelos noivos para significar seu compromisso de amor
selado no matrimônio;
• ANDOR: Suporte de madeira, enfeitado com flores. Utilizados para levar os
santos nas procissões;
• ASPERGES: Utilizado para aspergir o povo com água-benta. Também conhecido
pelos nomes de aspergil ou aspersório;
• BACIA: Usada como jarro para as purificações litúrgicas;
• BÁCULO: Bastão utilizado pelos bispos. Significa que ele está em lugar do Cristo
Pastor;
• BATISTÉRIO: O mesmo que pia batismal. É onde acontecem os batizados;
• BURSA: Bolsa quadrangular para colocar o corporal;
• CALDEIRINHA: Vasilha de água-benta;
• CAMPAINHA: Sininhos tocados pelo acólito no momento da consagração;
• CASTIÇAIS: Suportes para as velas;
• CADEIRA DO CELEBRANTE: Cadeira no centro do presbitério que manifesta a
função de presidir o culto;
• CÍRIO PASCAL: Uma vela grande onde se pode ler ALFA e ÔMEGA (Cristo:
começo e fim) e o ano em curso. tem grãos de incenso que representam as cinco
chagas de Cristo. Usado na Vigília Pascal, durante o Tempo Pascal, e durante o
ano nos batizados. Simboliza o Cristo, luz do mundo;
• COLHERINHA: Usada para colocar a gota de água no vinho e para colocar o
incenso no turíbulo;
• CONOPEU: Cortina colocada na frente do sacrário;
• CREDÊNCIA: Mesinha ao lado do altar, utilizada para colocar os objetos do
culto;
• CRUZ PROCESSIONAL: Cruz com um cabo maior utilizada nas procissões;
• CRUZ PEITORAL: Crucifixo dos bispos;
• ESCULTURAS: Existem nas Igrejas desde os primeiros séculos. Sua única
finalidade litúrgica é ajudar a mergulhar nos mistérios da vida de Cristo. O
mesmo se pode dizer com relação às pinturas.
• GENUFLEXÓRIO: Faz parte dos bancos da Igreja. Sua única finalidade é ajudar
o povo na hora de ajoelhar-se.
• HÓSTIA: Pão Eucarístico. A palavra significa "vítima que será" sacrificada.
• HÓSTIA GRANDE: É utilizada pelo celebrante. É maior apenas por uma questão
de prática. Para que todos possam vê-la na hora da elevação, após a
consagração;
• JARRO: Usado durante a purificação
• LAMPARINA: É a lâmpada do Santíssimo;
• LAVATÓRIO: Pia da Sacristia. Nela há toalha e sabonete para que o sacerdote
possa lavar as mãos antes e depois da celebração.;
• LIVROS LITÚRGICOS: Todos os livros que auxiliam na liturgia: lecionário,
missal, rituais, pontifical, gradual, antífona;
• LUNETA: Objeto em forma de meia-lua utilizado para fixar a hóstia grande
dentro do ostensório;
• MATRACA: Instrumento de madeira que produz um barulho surdo. Substitui os
sinos durante a semana santa;
• PISCINA: antigo nome da pia da sacristia;
• PÍXIDE: O mesmo que ÂMBULA;
• PRATINHO: Recipiente que sustenta as galhetas;
• PURIFICATÓRIO: O mesmo que sanguinho;
• RELICÁRIO: Onde são guardados as relíquias dos santos;
• SACRÁRIO: Caixa onde é guardada a Eucaristia após a celebração. Também é
conhecida como TABERNÁCULO;
• SANTA RESERVA: Eucaristia guardada no SACRÁRIO;
• TABERNÁCULO: O mesmo que SACRÁRIO;
• VÉU DO CÁLICE: Pano utilizado para cobrir o cálice;
• VÉU DO CIBÓRIO: Capinha de seda branca que cobre a âmbula. É sinal de
respeito para com a Eucaristia.


LITURGIA
OBRA DA SANTÍSSIMA TRINDADE